quinta-feira, 9 de agosto de 2018

PARA O MEU FILHO LUIZ OTÁVIO, ESTE TRI MUNDIAL NO MÉXICO 70

A Taça Jules Rimet

Esta foi a íntegra da minha crônica publicada pelo jornal Estado de Minas, em Belo Horizonte-MG, com a data da final da Copa do Mundo de 1970 - Brasil 4 x 1 Itália, no Estádio Azteca, da Cidade do México, no dia 21 de junho. Esta foi a segunda Copa que eu cobri,desta vez como Editor Geral dos Diários e Emissoras Associados de Minas Gerais - cobertura para 34 jornais do grupo,23 emissoras de rádio e 14 estações de TV (Rede Tupi). O comando da equipe de 25 profissionais foi de José de Oliveira Vaz, diretor  da TV Itacolomy, canal 4, e TV Alterosa, canal 2, em MG. Luiz Otávio, meu 1º filho,havia nascido em 5 de fevereiro deste ano, no Hospital São Lucas, na capital de Minas.
Tri, tri, tri - a torcida brasileira festeja no Estádio Azteca, da Cidade do México
-"Luiz Otávio, meu filho:

Você nem completou cinco meses ainda, e parece um predestinado. Nasceu em 1970, o ano do tri. Não ganhou ainda sua primeira bola, e os reis do futebol já conquistaram para você e o Brasil o maior troféu do futebol mundial para o Brasil.

Você deve ter acordado assustado com o barulho de foguetes que vinha da rua, da gente em festa, do povo feliz que celebra a conquista imortal, tão esperada por 90 milhões de brasileiros em ação. O tricampeonato mundial  que o Brasil ganhou com toda a honra, todo merecimento, toda a dignidade e toda a consciência  coletiva que um time pode ter.

O ano do tri vai marcar sua vida. Foi no México 70 que o Brasil teve a consagração definitiva do seu futebol no plano mundial. Destruiu tabus. Varreu lendas e superstições, Não empatou nos seu segundo jogo na Copa.
Marcou o primeiro gol da decisão e, ainda assim, não perdeu o título, como as outras seleções que marcaram primeiro e perderam as últimas cinco Copas. 

O Brasil foi um furacão que liquidou todos os azares. catimbas e manobras. Aqui está o campeão mais digno de toda a história de 40  Taças Jules Rimet. O Brasil liquidou a fria técnica da Tchecoslováquia, a prepotência da Inglaterra,os impulsos latinos da Romênia, as jovens feras do Peru, a irritante maldade do Uruguai nas semifinais e, para completar, liquidou também a forte Itália e suas pernas de ouro. Ganhou sempre com sobras.

           *  *  *

O México está em festa, meu filho.Os mexicanos ganharam a Copa conosco. Nunca faltaram ao Brasil com seu entusiasmo e solidariedade nas cinco vitórias em Guadalajara. Há chuvas que são maldição e outras que são bênção da natureza. Esta chuvarada que caiu sobre a Cidade do México, durante toda a tarde e noite de hoje, veio regar como uma bênção não apenas a grama verdinha que há pouco glorificou os campeões definitivos da Copa,mas também as bandeiras  e a festa da torcida nas ruas - como regou, há quatro dias, no Estádio El Jalisco, de Guadalajara,  a nossa heróica vingança contra o Uruguai. Vitória de 3 a 1 na semifinal, mas podia ser de 5 ou 6.

Campeão admirável - o Brasil.Um time com alma e coração.Com brio e decência. Com jogadores disciplinados e decentes,com espírito de luta - como Jairzinho,Rivelino,Clodoaldo, Brito, Wilson Piazza, o  capitão Carlos Alberto, Everaldo, Fontana e Gérson Nunes; como Pelé, que sacrificou sua glória pessoal e se tornou modesto abridor de defesas,ou como Tostão,cujos pais - seu Osvaldo e dona Osvaldina- acabam de assistir à sua maior tarde de glória aqui no Estádio Azteca.

      *  *  * 

Filho, quando crescer você saberá, no futuro, o valor deste time fabuloso que ganhou esta Copa. Que capacidade! Que soma de talentos! Que valentia! Numa época de tantos ferrolhos e retrancas, o Brasil ganhou a taça e salvou o que estava ameaçado no futebol: a graça e o gosto pelo gol; a beleza e a espontaneidade; a criatividade e encanto dos dribles; aquela ginga que desconcerta. Os europeus vão ter de aprender que não adianta marcar Pelé, Jairzinho, Rivelino, Gérson e Tostão. Eles parecem monopolizar a bola.

Acabou  a Copa dos 95 gols, contra os 89 de quatro anos atrás, na decisão em Wembley, Inglaterra. O Brasil tem o ataque mais positivo. Bastou que não houvesse violência para o Brasil jogar o fino do futebol, como dizia Mestre Didi.A partida mais fácil foi esta final,quando o Brasil não rendeu 50 por cento do que pode e sabe.Se jogasse tudo, ia humilhar a Itália, a quem faltou, na hora decisiva,o que sobrou em nós: o espírito de luta somado ao talento.


O Brasil sai daqui engrandecido. Foi prejudicado por dois juízes e não protestou. Sofreu faltas violentas e não revidou. Foi insultado e não reagiu. A Taça Jules Rimet ficou com o país que mais a mereceu, mais lutou por ela (posse permanente na terceira conquista). O Brasil a levou com sobras de talento.

Aí está a taça, meu filho, nas mãos dos campeões que voltam. Para o Brasil, as conquistas no futebol significam estabilidade politica, tranquilidade financeira e paz social. Apesar de tantas divisões e esse tremendo fosso social que tende a aumentar, .as Copas ainda nos unem e nos irmanam. Pena que sejam usadas politicamente. Não é obrigatória a passagem dos campeões mundiais por Brasília.

A sequência lógica deste tri no México é a largada para uma nova disputa nacional: colocar uma quarta estrela verde na camisa amarela, com os exageros de sempre. Então, que venham novas Copas e taças, de 4 em 4 anos, com outros nomes e sistemas de disputa. Estamos prontos, com o mesmo amor e dedicação. Mas precisamos melhorar em 2 quesitos: saber reconhecer o valor dos concorrentes e ter um pouco de humildade.
       *   *   *
Luiz Otávio, meu Tatá, você é pequeno demais para entender certas coisas. Mas, se um dia alguém lhe disser que um homem de verdade não chora, diga-lhe por favor, meu filho, que no dia 21 de junho de 1970, no superlotado Estádio Azteca, da Cidade do México, enquanto Gérson chorava de joelhos na grama, e o capitão Carlos Alberto Torres levantava gloriosamente a  Taça Jules Rimet  na Tribuna de Honra, dezenas de jornalistas esportivos brasileiros, homens tarimbados, vacinados contra todas as emoções da vida e da profissão, choravam também.

Entre eles,seu pai (hoje com  33 anos), orgulhoso de ser brasileiro e explodindo de felicidade.
----------------------------

PS: Luiz Otávio Noce Fraga  morreu aos 12 anos, em 6 de novembro de 1982, vitima do tumor cerebral meduloblastoma, depois de tentar a cura impossível na Inglaterra e nos Estados Unidos. Em sua memória, o pai escreveu o livro "O Menino Valente", com renda para as crianças cancerosas indigentes do Hospital Mário Penna, em BH-MG. Várias edições estão esgotadas.

-------------------------------

Belo Horizonte-MG, Brasil
Dia 06 de agosto de 2018
Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição--Ana Cristina Noce Fraga

segunda-feira, 30 de julho de 2018

IMIGRANTE MBAPPÉ CANDIDATO A SER ELEITO O MAIOR CRAQUE DO MUNDO




Depois da consagradora vitória da França sobre a Croácia, por 4 a 2,  na final da Copa da Rússia - com uma seleção onde 17 dos 23 novos campeões mundiais de futebol são de origem africana -, muita coisa importante vai acontecer  no esporte internacional  neste segundo semestre de 2018. Embora a próxima Copa da Fifa seja daqui a quatro anos,no Qatar, em novembro de 2022,a França desde já comprova que se credencia à conquista do terceiro título mundial,pois tem seu time formado,  e o mesmo acontece com alguns de seus adversários no Qatar, como Croácia e Bélgica. E o atacante Kylian Mbappé, de 19 anos, parece pronto para seguir os passos de Pelé,eterno rei do futebol, que foi  campeão mundial pelo Brasil na Suécia, em 1958, com apenas 17 anos,e nunca foi superado por qualquer outro jogador.
 
 


Depois de receber o troféu como maior revelação da Copa da Rússia, Mbappé entrou na lista dos 10 maiores craques mundiais, sendo forte candidato ao  prêmio The Best  (o melhor) da Fifa,que vai apontar o maior craque deste ano. Da lista de dez nomes,os três finalistas serão apontados em 3 de setembro  e a Fifa marcou a entrega do The Best em Londres, na noite de 24 de setembro.Os prováveis finalistas  serão Mbappé, o croata Luka Modric  (já premiado como melhor jogador da Copa), e o francês Antoine Griezmann, com  atuações brilhantes na Rússia. Importante mencionar que o brasileiro Neymar não concorre este ano e ficou fora da lista por tudo que não jogou na Copa 2018, onde queimou seu filme. Os belgas Kevin De Bruyne e Eden Hazard são também fortes candidatos a ser finalistas.
 
 

Ser   The Best  significa ser o sucessor de Cristiano Ronaldo (Portugal) e Leonel Messi (Argentina), que dividiram os dez últimos títulos de maior jogador do mundo:  cinco para cada um. Nada indica que um deles seja premiado agora, mas pois seus países foram eliminados da Copa da Rússia,mas CR-7 leva pequena vantagem pela conquista da Liga dos Campeões da UEFA,  que pode pesar na balança.


    KOLINDA ARRASTA A TORCIDA PARA CROÁCIA
 
 

Quem brilhou na Rússia, esportiva e socialmente,foi a linda presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic,50 anos. Grandes jornais do mundo falaram dela pela simpatia,simplicidade e alegria em todos os momentos. Ao contrário de ex-presidentes ignorantes, feias, carrancudas, mal humoradas e grosseiras (e algumas deixam os palácios escorraçadas depois de administrações corruptas e desastrosas), Kolinda praticamente arrastou a torcida neutra para apoiar mais a Croácia na sua luta de Davi contra o Golias da França. Ela foi festejada na tribuna de honra pelos presidentes da França, Emmanuel Macron. e da Fifa, Gianni Infantino. Com sua camiseta quadriculada de vermelho e branco, Kolina agiu como uma mulher comum, sem se julgar uma imperatriz Sissi de Viena.

Na revista Veja desta semana, na última página. o colunista José Roberto Guzzo - com a categoria e lucidez de sempre - fala da importância de mulheres como Kolinda, capazes de exercer uma presidência sem  empolgar com o poder ou renunciar à sua modéstia; e capazes de viajar à Rússia num voo fretado e no meio da torcida, pagando suas despesas de viagem. Enquanto outras chefes de Estado  abusam das mordomias e benesses dos cargos públicos, esquecendo-se de que estão ali para servir ao povo.


  D  EFENSOR DOS DIREITOS DOS IMIGRANTES

Voltando a Kylian Mbappé: ele é o candidato natural para liderar, com seu prestigio pessoal, as campanhas em defesa dos imigrantes pobres, vítimas de perseguições de policiais truculentos na França, e muitas vezes sem motivo. Ele e seus colegas da seleção da França podem se envolver numa série de campanhas mostrando que os imigrantes não são bandidos e merecem respeito. É só  pedir ajuda de Matuidi, Umtiti, Paul Pogba, Santé etc. Outra ajuda pode ser dada por Antoine Griezmann, Raphael  Varane e Pavard (ainda mais festejado agora, depois que seu gol foi considerado o mais belo da Copa da Rússia).
 
 

Mbappé frequentou, dos 14 aos 16 anos, o Instituto Nacional de Futebol da França, em Clairefontaine, que revela suas estrelas da raça negra, vindas da África, num trabalho de mais de 30 anos executado pelo treinador Pierre Sarratia. Mbappé é filho de ex-atletas e nasceu no subúrbio parisiense de Bondy. Fayza, sua mãe, foi atleta de handebol e chegou à Primeira Divisão. O pai, Wilfried, foi jogador de futebol,em nível regional, e depois se tornou professor de futebol do clube local. Foi o primeiro treinador do filho. 
 
Pelo pouco que vi dele na TV e li sobre ele na imprensa francesa, parece ser um rapaz simples,sem vedetismo,sem aquele ar de superioridade e de deboche que caracteriza alguns de seus colegas. Não pinta o cabelo de forma escandalosa (aliás, usa corte curto); quando  sofre falta e é derrubado,levanta-se rapidamente, em vez de sair rolando pelo gramado, como se tivesse sido atropelado por uma carreta; ;não simula pênaltis,jogando a torcida contra o juiz;; não desfila como manequim nem é excessivamente vaidoso. Pelo fato de Neymar ser seu colega de ataque no Paris St. Germain, pode aprender alguma coisa com Mbappé - só precisa ter o que não tem: humildade.

São estes os 10 candidatos ao The Best: o português Cristiano Ronaldo, ex-Real Madrid e agora no Juventus de Turim); o belga Kevin De Bruyne,do Manchester City; o francês Antoine Griezmann, da seleção da  França, craque do Atlético de Madrid; o belga Eden Hazard, do Chelsea da Inglaterra;o britânico Harry Kane, artilheiro da Copa da Rússia com 6 gols e atacante do Tottenham; Kylian Mbappé, titular da seleção da França e do Paris St. Germain; Raphael Varane, titular da seleção da França e uma das estrelas do Real Madrid, campeão da Copa da UEFA; Luka Modric, eleito o craque da Copa de 2018,vice-campeão mundial pela Croacia e craque do Real Madrid;  o egípcio Mohamad Salah, 26anos, titular do Liverpool ,que não brilhou tanto na Copa por motivo de contusão; e Leonel Messi, 31aos, estrela do Barcelona e titular da Argentina, que foi eliminada nas oitavas de final da Copa.


    BRASILEIROS ELEITOS MELHORES DO MUNDO

 Os últimos títulos de melhor jogador do mundo foram divididos entre Cristiano Ronaldo e Messi, cinco vezes cada. Tudo indica que nenhum dos dois será escolhido desta vez, porque ficaram abaixo de seu nível  habitual na Copa da Rússia,  onde ambos foram eliminados.  Messi foi eleito o melhor 2009, 2010,  2011, 2012 e 2015. Cristiano Ronaldo ganhou 2008, 2013,  2014, 2016 e 2017.

Brasileiros que foram eleitos como melhor do mundo e seus respectivos anos;  Romário em 1994; Ronaldo em 1996 e 1997; Rivaldo em 1999 e 2002; Ronaldinho Gaúcho em 2004, 2005 e 2006; e Kaká em 2007. Todos os anos, foram escolhidos 10 jogadores, listados de 1 a 10,  e Neymar foi o lanterna em 2011, 5º lugar em 2013, 7º    lugar em 2014, terceiro em 2015, quinto em 2016 e terceiro em 2017. Um detalhe interessante: quando Romário foi eleito o melhor do mundo em 1994 (Copa dos  Estados Unidos), Bebeto ficou em 6º lugar,  o capitão Dunga em oitavo e Mauro Silva em nono lugar. Outras curiosidades: o alemão Lothar Matthaus , que criticou muito Neymar na Copa da Rússia, pelas  quedas espalhafatosas e encenações nas faltas, foi o primeiro a ser eleito melhor do mundo em 1991 e o holandês Marco van Baasten ganhou em 1992.
 
 

Os especialistas escolhidos para indicar os 10 melhores de cada ano são os treinadores Fabio Capello (Itália) e Carlos Alberto Parreira (Brasil); os ex-jogadores Ronaldo Nazário (Brasil),Kaká (Brasil), Frank Lampard (Inglaterra), Andy Roxburg (Escócia), Alessandro Nesta (Itália), Wynton Rufer (Nova Zelandia), Sami Al-Jaber (Arábia Saudita) e Emmanuel Amunie (Nigéŕia). O único jogador em atividade entre os votantes é Didier Dogba, pela França.

No futebol feminino, a brasileira Marta, de 32 anos,que defendeu o Orlando Pride, dos Estados Unidos, concorre pela 14ª vez ao título,e volta agora, após ficar fora das relações de 2015 e 2017.Marta já recebeu cinco títulos mundiais, em sequência, de 2006 a 2010.Ela foi capitã do Brasil na conquista da Copa América. Na disputa do futebol,há  candidatas dos EUA, Japão,França,Noruega,Dinamarca, Noruega e Austrália.

    SENTINDO SAUDADES DE ARTUR ALMEIDA


Um ano depois de sua morte em Lisboa, em 24 de julho do ano passado, a família do jornalista Artur de Almeida foi cercada de apoio moral e carinho na celebração de uma missa na Igreja de São Mateus,Anchieta. Seus pais Guy de Almeida e Clélia  Bacha de Almeida, ao lado dos quatro filhos (Arnaldo, Beatriz,Guy Afonso e Guilherme), da viúva Sara e sua filha foram reconfortados pela presença de muitos amigos - entre eles  o jornalista Luiz Fernando Perez, companheiro de tantos anos e de todas as horas, levando sua solidariedade. A Rede Globo continua fazendo uma silenciosa mas eloquente homenagem ao editor e apresentador Artur, nas edições  diárias do jornal MGTV-1,na hora do almoço: Isabela Scalabrini continua sozinha na bancada, embora haja tantos colegas em condições de ocupar  o lugar dele.  Mas Artur era único mesmo.

----------

PS: No final da próxima semana, será reproduzida aqui a coluna "Por dentro do futebol" mostrando como o Brasil -então  com  90 milhões em  ação - comemorou a conquista do tricampeonato mundial de futebol goleando a Itália por 4 a 1 no  Estádio Azteca, da Cidade do México, em 21 de junho de 1970. Bons tempos de Pelé, Tostão,Gérson,Rivelino,
Clodoaldo, Brito, Fontana, Piazza, Everaldo, Felix e o eterno capitão Carlos Alberto Torres. Esta coluna faz parte de meu legado cultural esportivo -a mais bela entre as 6 mil que escrevi para o jornal Estado de Minas. Nunca houve outra tão emocionante.
 
Hélio Fraga- 29/07/2018

sábado, 14 de julho de 2018

JOGOS FINAIS DA COPA DA RÚSSIA QUE VAI DEIXAR MUITAS SAUDADES




Torcedores da Croácia festejando as vitórias de sua seleção na capital Zagreb

Assim como vi as 62 partidas anteriores, grudado na TV, claro que verei também, e com a maior atenção, essas duas que restam. Estou escrevendo em 13 de julho, véspera da Data Nacional da França e comemoração da Tomada da Bastilha, 14 de julho, quando a França e Croácia vão se enfrentar no domingo,dia 15, ao meio-dia, no Estádio Lujniki  de Moscou, fazendo uma final de arrepiar, em que  os favoritos naturais, os franceses, vão enfrentar um adversário estropiado por trẽs prorrogações e disputas de pênaltis, parecendo se agigantar diante das dificuldades, liderado pelo camisa 10 Modric, candidato sério a ser o melhor jogador desta Copa.

Bélgica e Inglaterra vão disputar amanhã, sábado, o 3º lugar em São Petersburgo, às 11h, numa partida sem favorito, em que uma das motivações é o confronto entre o artilheiro britãnico Larry Kane, com 6 gols, tentando não ser alcançado pelo belga Lukaku, camisa 9, que tem 4. Ele parou nesses 4 gols, o que, de certa forma, o prejudica na disputa de melhor jogador da competição.Se não fizer mais gols amanhã, perde a oportunidade. Importante lembrar que seu colega de time,o camisa 10 e capitão Eden Hazard, permanece como o candidato natural de seu time,ainda mais se ganhar o terceiro lugar contra os ingleses. Torço amanhã para a Bélgica.  É favorita para ganhar a Eurocopa, daqui a 2 anos, e a Copa do Qatar, em 2022.
 
Modric, camisa 10 da Croácia, canditado a melhor jogador da Copa
 

A defesa da França, com Varane à frente, conseguiu "amarrar" Lukaku no ataque, impedido de receber os lançamentos de Eden Hazard e Kevin De Bruyne.
 
Foi aí que os franceses,taticamente,conseguiram anular os pontos fortes dos belgas,fortissimos candidatos a campeões mundiais.Este terceiro lugar, amanhã,é questão moral para eles -embora  um modesto (não amargo) prêmio de consolação.


                 A RÚSSIA DEU UM SHOW DE ORGANIZAÇÃO
 


Estádio Lujniki, de Moscou, palco da grande final entre franceses e  croatas
 
Assim, neste final de semana, quando a glória e o fracasso andam lado a lado, bilhões de pessoas no Planeta Terra estarão ão de olho no que acontece nas cidades russas. Apesar de ser parada nas quartas de final,  a antiga URSS ou CCCP  conseguiu organizar uma Copa de alvo nível, com estádios maravilhosos, gramados impecáveis, cidades limpas e bem preparadas, segurança impecável. Não estava lá, mas é como se estivesse: acompanhei tudo pela bela cobertura do jornal Folha de S. Paulo, com um respeitável time de colunistas, destacando-se Tostão (que escreveu de BH),Juca Kfuri e PVA com sua prancheta,e um grupo de excelentes redatoras, escrevendo veradadeiros tratados de Soclologia em vez de análises de jogos.. A Folha devia reunir tudo isso num livro.Nossa literatura esportiva é tao pobre, com enormes possibilidades editoriais.

O principal legado da cobertura da Copa da Rússia  foi o sistema VAR,de vigilância eletrõnica dos principais lances por um conjunto de mais de30 câmeras em pontos estratégicos dos estádios.Veio para ficar, embora possa ser aperfeiçoado. E um de seus mais eloquentes  atestados de eficiência foi a desmoralização do cai-cai, das encenações, da simulação de faltas e pênaltis, dos exageros nos tombos para jogar os adversários  e a torcida contra o juiz. O grande artista deste antifutebol foi desmascarado. Isso abre para o jogador Neymar Jr. a chance de se reabilitar internacionalmente, mudar de atitude,deixar de ser um menino birrento e mimado,ser menos exibicionista, tornar-se um cidadão digno do respeito dos torcedores. Saiu da Russia muito menor do que quando lá chegou.


    ESPERANDO MUITO DA CROÁCIA CONTRA A FRANÇA

Vou   tentar resumir em tópicos esta final inesperada FRANÇA X CROÁCIA

1) A França é favorita natural. Tem time mais forte, mais experiência, mais conjunto e jogadores talentosos e decisivos como: Antoine Griezmann, Mbappé, Varane, Giroux e o goleiro Lloris.

2) A Croácia chega estropiada à decisão, mas jamais pode ser subestimada. Tem incrível força de vontade, espírito de luta, uma garra impressionante e grande poder de recuperação. Portanto, será uma grande adversária, inclusive ser campeã mundial se superar todos os obstáculos.

3) Até hoje a Croácia nunca ganhou da França. Perdeu 3 jogos e empatou dois. O nacionalismo croata é um componente fortíssimo nessas finais. Os 4,5 milhões de croatas esperam que a vitória nesta Copa signifique a redenção do país depois de todos os problemas enfrentados nos anos 90 com o esfacelamento da Iugoslávia em sete nações. A Croácia é um país muito sofrido.
 
 
Kolinda Grabar-Kitarovic, presidente da Croácia, presente na Rússia para apoiar seus jogadores  




4) A Croácia terá uma grande torcida mundial no domingo, por um conjunto de razões políticas. O fato de a presidente Kolinda Grabar-Kitarovic ter ido à Rússia pagando suas passagens como cidadã comum e agindo sem nenhum vedetismo foi um consolo para os torcedores de tantos países acostumados às mordomias de seus governantes.
 
 5) A Croácia disputou 3 prorrogações e quatro cobranças de pênaltis. Isso significa um esforço quase sobrehumano. O desgaste da seleção ficou visível, mas os jogadores colocaram o coração em cada lance das partidas. Enfim, se a França pensar que a Croácia entra no estádio Lujnick derrotada por antecipação pode cometer o maior erro da sua vida.

6) Se Luka Modric, camisa 10, jogar na final tudo que já mostrou nas partidas do Real Madrid, na Copa dos Campeões, ele pode ser eleito o maior craque desta Copa em Moscou.


HÉLIO FRAGA- 13/07/2018

domingo, 1 de julho de 2018

APROVEITANDO A EUFORIA ARTIFICIAL DA COPA PARA ENGANAR O POVO BRASILEIRO



Escrevendo sobre Copas do Mundo, olimpíadas, competições e eventos esportivos em geral, praticamente desde os anos 60, muitos de vocês, que acompanharam minhas colunas esportivas do Estado de Minas e outros jornais mineiros- Diário de Minas, Correio de Minas, Hoje em Dia, etc - devem se lembrar de que,várias vezes coloquei o dedo na ferida e considerei o futebol como um anestésico nacional, uma espécie de dopping coletivo, uma engrenagem malandra para criar fajutos paraísos e mentirosas Ilhas da Fantasia.

É preciso ser muito distraído, ou alienado intelectualmente para deixar que este clima de enganosa "Copa do Mundo da Felicidade" nos seja enfiado goela abaixo nas redes de televisão, que estão interessadas em faturar e vender anúncios seja do que for: cervejas, supermercados, bancos, pizzas,  marcas de carros,cartões de crédito, seguroos de vida,  passagens de avião, televisores, telefones celulares, tratores ou pneus.

O país se transforma, graças à Globo e demais emissoras,  num alucinado paraíso do consumo e de orgia do desperdicio. Entretanto, estamos enfrentando a maior crise econômica de todos os tempos, com mais de 13 milhões de desempregados,e há pais utiizando cheque especial para financiar material escolar,uniformes e pagar taxas de condomínio e aluguel atrasadas.

Critiquei inúmeras vezes, nas Copas do Mundo que ganhamos e nas outras tantas que perdemos - a atitude leviana daqueles torcedores barulhentos vestindo sua camisa amarela e enrolando-se na bandeira do Brasil, está mostrando que adora seu país e se dedica a trabalhar por um país melhor.
Mas, infelizmente, não vemos esse "patriotismo" no trânsito das cidades, na doação de órgãos para cirurgias, nas contribuições para entidades sociais, na gentileza diária com o outro, na preservação da natureza e nem pelo respeito com o professor.
O "patriotismo da Copa" se transforma numa farsa, mentira e exibicionismo. Estes torcedores coloridos deviam também exercer seu direito ao voto não elegendo os mesmos políticos corruptps que são capazes de desviar verbas das merendas escolares.ecompas de ambulâncias

Não é possível que o povo brasileiro, assista ao desmonte da Lava Jato pelas absurdas decisões tomadas pela segunda turma do STF.



       EMOÇÕES QUE MARCAM AS OITAVAS DE FINAL

A PRAÇA VERMELHA  ESTÁ ABERTA 
Aestá esttEAERTA AOSPEDESTRES NO CENTRO DE MOSCOU


Com o início da disputa das oitavas de final a partir deste sábado, 30 de junho,com os jogos França x Argentina às 11h, em Kazan, e Portugal x Uruguai, em Sochi, às 15h, a Copa da Rússia entra na fase de definição.O blog está sendo postado na véspera. É como se a longa fase de grupos fosse uma intensiva preparação, e agora é tempo de decisão. Para a maioria dos brasileiros, o 6º  título mundial estará chegando mais depressa depois que a Alemanha foi mandada embora casa. Mas o fanatismo cego pelo Brasil não é regra geral. As maiores forças,depois  da seleção de Tite, continuam sendo França, Bélgica, Croácia, Inglaterra, Suécia, Uruguai e México. A Argentina chega estropiada diante  dos franceses, com time forte (Antoine Griezmann, o fenomenal Mbappé, Pogba, Matuidi, Giroux, Lloris  etc). Há possibilidade de prorrogação e pênaltis em várias partidas das oitavas (aguardemos).  A Rússia normalmente não entraria nesta lista, apesar de ser país anfirião, mas pode avançar com maciço apoio de sua torcida. Os russos são muito melhores no hóquei no gelo, basquete, vôlei, atletismo e ginástica. Na Copa,ganharam duas partidas marcando 8 gols, mas perderam  de 3 a 0 do Uruguai e não chegaram  a empolgar.

A surpresa maior, por enquanto,foi a desclassificação decepcionante da Alemanha, bem abaixo de seu nível  normal, por ser um time ganhador. A Polônia também teve participação medíocre e decepcionante. Levandowski, camisa 9,  praticamente não justificou sua presença em campo. O Continente Africano sai devendo: nenhuma seleção classificada  desta vez. O Senegal mereceu mais que os outros. Decepção,também,com o atacante Mohamed Salah, camisa 9 do Egito,apesar dos 3 gols. Pouco tempo para comprovar seu futebol. Prejudicado por contusões. Esperemos por ele mas próximas Ligas  dos Campeões e na Copa do Qatar em 2022. Que o bom Deus estique minha vida até onde for possível, e que o marcapasso siga confiável como sempre.

EM SÃO PETERSBURGO,UM DOS MAIS BELOS ESTÀDIOS DA RUSSIA


Seguirei vendo todos os jogos esperando que o nível do futebol melhore.Muitos atacantes finalizaram mal,e diversos goleiros brilharam. O Brasil, por exemplo, não fez ainda uma partida digna de suas cinco estrelas na camisa amarela de  campeão mundial. Até agora,foi salvo pelo brilho individual do Philippe Coutinho,camisa 11,carregando o time nas costas,  assumindo a liderança em campo sem gritar ou gesticular. Gabriel Jesus não se explicou. Neymar Jr. se perdeu em simulações, cai-cai,discussões com árbitros e exagerado individualismo. Tem de pensar no conjunto. Não é reizinho do time. Tem mania de aparecer. Precisa saber se comportar.

Penso que o México,sempre perigoso, vai dar um grande trabalho ao Brasil na segunda-feira,2 de julho, às 11h,em Samara - razão para que no país do ponto facultativo se enforque mais um dia de trabalho numa nação tão precisada de produzir riquezas para recuperar sua abalada economia. E creio que a Bélgica vai passar fácil pelo Japão  na partida das 15h, pela diferença técnica em Rostov. Mas o time  asiático é o mesmo as duas Copas anteriores e evoluiu.A BBlgva éfrianural. O Brasil tm de mostrar tudo quesabe


A Espanha endurecer muito para tentar ganhar da Rússia no domingo, 1º de julho,às 11h,  quando a Praça Vermelha deve viver uma de suas grandes festas populares e também dentro do Estádio Lujniki (Moscou),e imagino que a Croácia vai surpreender a disciplinada e forte Dinamarca na partida das 15h em Nijni Novgorod.  O camisa 10 dos croatas, Modric, que sempre nos encantou no Real Madrid,pode e  deve mostrar melhor futebol nesta partida decisiva. Está muito "acadêmico".
TORCEDORES BRASILEIROS COM BANDEIRAS E CARA ENFEITADA EM MOSCOU
No encerramento das oitavas de final, dia 3, mais dois confrontos entre gigantes do futebol europeu: Suécia x Suíça, às 11h, em São Petersburgo,com hipótese de prorrogação e pênaltis - a não ser que a Suécia se agigante e resolva  tudo no tempo normal; e às 15h, no legendário estádio do Spartak de Moscou,a Colômbia vai exigir muito da Inglaterra e tentar parar o artilheiro Harry Kane, camisa 9,que já marcou 5 gols.

Alguns dos grandes jogadores que estarão em ação nessas oitavas de final: Isco,camisa 22 na seleção da Espanha; Quaresma, caêmico"".misa 20 de Portugal, autor de um gol inesquecível, de trivela, contra o Irã; James Rodriguez,número 10 da Colômbia, cérebro das principais jogadas de   seu país e artilheiro da Copa de 2014 no Brasil; Cristiano Ronaldo, alma do escrete de Portugal (viva a Ilha da Madeira, sua terra); Neymar, camisa 10 do Brasil, devendo uma atuação digna de tanta  fama e tietagem; Lionel Messi, consagrado camisa 10 da Argentina, parece um tanto desgastado e sem entusiasmo, e tem sua última chance nesta Copa, assim como Di Maria e Mascherano (14). Espero muito também de Eden Hazard (número 10), Lukaku (camisa 9) e Kevin De Bruyne, número 7 da Bélgica; e creio que o belga Courtois será consagrado como o melhor dos goleiros. Do time do Uruguai, palmas para o goleiro Muslera e todos esperam mais de De Arrascaeta, Cavani e Luiz Suarez.
-----------------

Minha lista de seleções para  as semifinais e o título da Copa da Rússia: França, Portugal, Bélgica ou Brasil,  Croácia, Rússia chegando às quartas de final (o que não acreditava), Uruguai, Inglaterra e Suécia. Creio que o maior craque desta Copa será uma grande surpresa. Atacante com menos de 20 anos, de origem africana, mas atuando num time francês. Parece que os medalhões perderam sua vez.


----------------

Belo Horizonte/MG - Brasil
Noite de 29 de junho de 2018
Editor: Hélio Fraga
Postagem e edição: Ana Cristina Noce Fraga

(E-mail: hfraga.rmj@gmail.com)