terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

COBRANÇA CARA PELAS MALAS: ABUSOS E DESRESPEITO AOS DIREITOS DOS VIAJANTES





A situação nos aeroportos brasileiros é constrangedora e vexatória, e os passageiros são desrespeitados de todas as formas - isso independe da escolha da empresa em que vão viajar. Até parece que tudo ficou combinado por elas, e com minúcias. Elas adotaram uma postura de  ganância conjunta: cobrar caro pelas malas, cobrar pela marcação dos assentos (direito inalienável do cidadão que viaja), limitar ao máximo as bagagens de mão, criar taxas e cobrar por qualquer  serviço. Só não pediram, por enquanto, para os viajantes pagarem pelo ar que se respira a bordo e levarem seu rolo de papel higiênico.
 
Decorridos seis meses da implantação da cobrança pelas bagagens despachadas, a  situação deteriorou rapidamente, e com a permanente complacência da diretoria da ANAC,que só decide a favor das companhias aéreas e contra os passageiros. Para taxar as malas, as aéreas anunciaram uma redução dos custos dos bilhetes,e ocorreu exatamente o contrário: eles estão aumentando sempre,atingindo níveis absurdos, como neste Carnaval.

A Abear, que congrega e representa as companhias aéreas, podia ser mais flexível e atuar como mediadora, mas só defende os interesses do transporte aéreo - e está mais preocupada com redução de custos do que com direitos de passageiros. Isso contraria o passado do presidente Eduardo Sanowicz, que foi diretor de Operação do São Paulo CVB, presidente da SP Turis e da Embratur.

Com a ganância típica das empresas aéreas de baixo custo da Europa, como a Ryanair, EasyJet, Tui e Air Berlin, as companhias brasileiras estão avançando o sinal e aumentando preços à vontade. As tarifas das férias de janeiro foram extorsivas, como o serão na Semana Santa (veja-se o caso de Nova Jerusalém).  Elas se aproveitam do fato de que a maioria dos viajantes não tem noção de seus direitos e age como vacas de presépio. Se eles protestassem, as companhias não seriam tão acintosas e intolerantes.



Já está em vigor, na rota Brasil/Estados Unidos, a autorização para duas malas por  pessoa, nos voos da American e outras empresas, de 23 kg  cada em vez de 32 (portanto,18 quilos a menos: 46 kg em vez de 64 kg). E isso vai acabar se estendendo a todas as rotas internacionais.

Entidades como a Abav Nacional, que deviam estar à frente da luta pelos direitos dos passageiros, se omitem e não tomam providência alguma. Os próprios agentes estão ausentes e distantes, mais preocupados com a concorrência das vendas por internet e escassas margens de lucro.
O Ministério do Turismo e as Secretarias Estaduais estão na cômoda posição de espectadores, em vez deste estarem na linha de frente, baixando os custos das viagens. O Governo Federal está mais preocupado com arranjos políticos e compra de apoio parlamentar para aprovar a reforma da Previdência - esquecido de tomar qualquer medida que defenda os direitos dos cidadãos, que sustentam essa engrenagem gigantesca, ociosa e corrupta.

Já passou da hora de extinguir, por completo, as cobranças das bagagens nos voos domésticos. O viajante não pode ser extorquido de todas as maneiras. Que haja manifestações e veementes protestos nos aeroportos. Não se trata de desobediência civil, mas de exigir mais respeito à cidadania. O passageiro não é palhaço.



....E POR FALAR EM TRANSPORTADORAS AÉREAS...


1) A TAP PORTUGAL vai comemorar, no próximo dia 11,o décimo aniversário do início da operação de seu voo Lisboa/BH-Confins/Lisboa. Lembro-me, como se fosse hoje, minha  felicidade de ver pousar no Aeroporto de Confins, procedente de Portela de Sacavém, o Airbus A330-200 de prefixo CS-TOF, tendo como patrono o Infante Dom Henrique, figura emblemática de todas as grandes descobertas dos navegadores portugueses. Carrego comigo o orgulho de dizer que ninguém, na Imprensa mineira, apoiou tanto esta iniciativa da TAP do que o Caderno de Turismo do jornal "Hoje em Dia", no auge do seu prestígio e credibilidade.  Na parte editorial,  sem qualquer custo, foi feito tudo o que era humanamente possível para valorizar a rota e divulgar a TAP. Se não existe este reconhecimento, não é problema nosso.



 
2) FORTALEZA/CIDADE DO PANAMÁ será a nova rota internacional  a partir do Aeroporto Pinto Martins, na capital cearense. O voo inaugural será em 18 de julho, com duas frequências semanais, às quintas e domingos, tendo decolagem às 2h13 da madrugada e pouso em Tocúmen às 6h46 locais. Voo CM-342/43 com Boeing 737-800, com 16 lugares na executiva e 138 na econômica.

3) FALANDO EM FORTALEZA (e pensando na morte do jornalista José Mario Pinto, o mais conhecido dos profissionais da imprensa de turismo do Nordeste, que deixou muitas saudades): a Air France,através de subsidiária de baixo custo Joon, vai lançar um voo direto de Paris para o Ceará com jato Airbus A340. A companhia francesa não dá a menor bola para Confins. Naturalmente. nunca foi procurada.


TRAVESSIA DO ATLÂNTICO PARA EUROPA EM MARÇO

Fugindo um pouco do assunto Carnaval, sugiro para casais de meia idade, em boa situação financeira e sem maiores compromissos com a folhinha, duas viagens de navio saindo do porto do Rio em direção à Europa, no MSC Musica ou MSC Magnifica, com destino a portos italianos e extensões pela Europa, com várias opções de preços em cabines internas, externas s e com varanda - a companhia revela as outras opções se vocês discarem 4003-1058, sem DDD. O único preço disponível nos seus  anúncios é para cabine interna, sem vista.

Vejam:
1) O navio MSC Musica, que opera no momento cruzeiros com destino a Buenos Aires, Punta del Este e Ilhabela, vai deixar o porto do Rio em 4 de março voltando para sua base europeia (Veneza), fazendo um roteiro de 21 noites a bordo, com escala em Salvador e depois rumando diretamente para Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias) e escalando em seguida  na Ilha da Madeira (um dos lugares mais lindos do mundo)  e depois passando por Málaga, Palma de Mallorca (Baleares) e chegando à Itália por Veneza; e no mesmo dia, seguindo com destino a Split (Croácia), Palermo na Sicília e La Valetta, capital da ilha de Malta. O retorno ao Brasil, de avião, por sua conta, pode ser partindo de Roma ou Milão, com Alitalia,ou Barcelona ou Madrid,pela Iberia. O preço informado pela MSC só vale para a parte marítima. Os viajantes pagam passagens aéreas, taxas de serviço, taxas operacionais e portuárias e imposto de renda IRRF sobre  remessas internacionais. O cruzeiro em si custa, por pessoa,entrada de R$ 200 e 10 mensais de R$ 180. Total de R$ 2 mil. 
 

2) O navio MSC Magnifica vai sair do porto do Rio em 11 de março, navegando durante 20 dias e noites até terminar sua viagem em Hamburgo, no norte da Alemanha. Seu roteiro é mais variado, passando por Portugal,Espanha, Reino Unido e França. Vejam as escalas: Salvador na Bahia e depois navegação direta a Funchal, capital da Ilha da Madeira, e depois passando por Leixões, norte de Portugal, perto da Cidade do Porto, e seguindo para La Coruña (chance de visitar Santiago de Compostela, Le Havre na França (oportunidade de visitar Paris) e o porto de Southampton, no sul da Inglaterra, de onde ruma para Hamburgo. Neste caso, a volta ao Brasil, em avião, pagando passagens aéreas e taxas, pode ser via Berlim e Frankfurt, com Lufhansa, a única companhia europeia que tem o superjato Boeing 747-800 na rota para o Brasil. O custo da parte marítima, em cabine interna, sai por R$1.820,00 por pessoa, com entrada de R$ 180 e dez mensais de R$ 162.


Importante lembrar que, nos dois cruzeiros, os passageiros têm direito a 5 refeições diárias, incluindo um buffet aberto 20 horas por dia, mais o conforto de piscinas, hidromassagem, academia de ginástica,bares e restaurantes, ambientes com música ao vivo para dançar e shows no estilo Broadway. A partir de Veneza ou Hamburgo, os mineiros podem continuar e fazer novos cruzeiros pelo Mediterrâneo,Ilhas Gregas, Norte da Europa, Escandinávia, Rússia, Turquia etc.

Informações adicionais no site www.msccruzeiros.com.br. Uma das empresas mineiras que vende todos os cruzeiros da MSC é a Atlanta Câmbio e Viagens, no Vila da Serra,  Av. Oscar Niemeyer 1033/505, fones (31) 3785-0030, ou 99616-1258, com o diretor Túlio Cambraia - ele próprio,um conhecedor profundo das frota e dos serviços da MSC.

Já está aceitando reservas para a temporada do novíssimo gigante dos mares, o MSC SeaView, para 5 mil passageiros, que estará no Brasil de dezembro deste ano a março de 2019. Este será o maior navio estrangeiro que já atracou em portos brasileiros, tendo sua base em Santos-SP.


--------------------------
PEDIDO DE DESCULPAS: por motivo de saúde, incluindo internação no Hospital Mater Dei Contorno, estive impedido de editar o blog no período de 15 de janeiro ao início de fevereiro. A saúde é prioridade 1 e razões médicas me forçaram a não cumprir o calendário proposto. Mas seguimos juntos e em frente, amparados pela força que vem de Deus.

--------------------

Belo Horizonte-MG/ Brasil
05 de fevereiro de 2018
Editor - Helio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga

(hfraga.rmj@gmail.com)

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

ESPETACULARES IMAGENS DE COPACABANA, RENOVANDO NOSSAS ESPERANÇAS EM 2018





A cada ano, na festa da Virada do Ano , o Rio de Janeiro parece se superar no gigantismo do seu Réveillon, por maiores que sejam os problemas enfrentados pela Cidade Maravilhosa, que não quer perder este título já um tanto contestado. Desta vez, não foi diferente: mesmo abalada pelos tiroteios diários na favela da Rocinha, balas perdidas matando crianças inocentes, e aumento dos assaltos e crimes graves, e ostentando o título de capital mais corrupta do Brasil – depois da roubalheira chefiada pelo ex-governador Cesar Maia, e pelas quadrilhas de políticos ladrões que o cercam -, o Rio encantou o mundo com uma queima de fogos que durou 17 minutos, para empolgação de 2,4 milhões de brasileiros e estrangeiros presentes no calçadão e na areia da praia de Copacabana, que tem a extensão de 4,5 km do Caminho dos Pescadores, no Leme, ao Forte do Posto 6, divisa com Ipanema. Eram milhares de pessoas na areia, ocupando barracas com toldos brancos.




Segundo Marcelo Alves, presidente da Riotur- que previa um público total de 3 milhões - o Rio conseguiu se superar e dar conta do recado, justificando a aposta feita pelo Município: não extrapolar nos gastos e atrair novos parceiros – quase sempre, poderosas estatais. Os fogos vieram da Itália, China eJapão, acondicionados em 17 mil tubos grandes e 20 mil pequenos, e foram levados às balsas nas imediações da Ilha do Fundao, sendo acomodados em 18 balsas, 15 lanchas de apoio e 13 rebocadores que os levaram à região de foram disparados.Total de 25 milhões de toneladas de fogos de artifício.

È importante lembrar que a comemoração da chegada de 2018 envolveu queima de fogos em outras partes da cidade, como Ilha do Governador, Paquetá, Madureira, Ramos, Igreja da Penha, Sepetiba e praia do Flamengo. As imagens mais espetaculares da festa de Copacabana, que correram o mundo pela Internet e redes internacionais de TV, foram a vista a partir da estátua do Cristo Redentor, no alto do Corcovado, até a linha do show de fogos na Praia do Flamengo, atravessando os morros e chegando a Copacabana. A imagem pode se tornar o postal mais vendido do Reveillon. É inesquecível.

Uma das principais novidades tencológicas da Virada o Ano no Rio foi acionar os fogos por um sistema de GPS. Os fogos eram antes disparados por radiotransmissão, tecnlogia sujeita a enfrentar interferencias. Segundo especialistas,o sistema GPS oferece mais segurança e aumenta a sincronia no acionamento das bombas. O show deste ano foi considerado tecnicamente perfeito. O espetáculo foi multicolorido, predominando os tons verde, vermelho, dourado,prata azul e lilás. Aquelas bolas gigantes cloridas mostraram cascatas de luzes, milhares de estrelas, espirais, corações e figuras geométricas variadas.

Antes dos 17 minutos da explosão de fogos,provocando gritos e manifestações de entusiasmo, as pessoas procuraram se aproximar do palcos onde aconteceram os shows. Além da inevitável Anitta, praticamente onipresente na festa do RIO, participaram do espetáculo Frejat, grupo Cidade Negra, Belo, Ana Petkovic, os Djs Tucho e Luiz Herique e um grupo de da bateria da Mcidade Idependente de Padre Miguel, com esculturais bailarinas, e outro grupo de representantes da também campeoníssima Portela, com mulatas que arrasaram de azul e branco. A platéia vibrou.


O policiamento da orla foi feito por 1.900 PMs, fora centenas à paisana. Como é tradição na Zona Sul do Rio, ocorreram esporádicos arrastões e assaltos a turistas estrangeiros, visando furto de telefones celulares, eletrônicos, euros e dólars e relógios finos e cordões de ouro. Os mais azarado perderam passaportes e documenos, tendo de fazer B.O. na Delegacia.



  VISÃO MARAVILHOSA DOS PASSAGEIROS DE NAVIOS 




Repetindo o que acontece todos os anos, a cada Réveillon, os privilegiados da festa em Copa foram os passageiros que ficaram de frente para a praia de Copacabana, na varanda de suas cabines,ou agrupados nos vários ambientes com vista dos fogos e da praia Só a italiana MSC Cruzeiros,com 3 navios, tinha 10 mil brasileiros e estrangeiros a bordo, fora seus tripulantes, de mais de 30 nacionalidades.O consumo de espumantes,champanhe e vinhos importados a bordo superou as expectativas. Entre os navios, estavam o MSC Musica, Preziosa e Magnifica.Os outros eram da italiana Costa Cruzeiros e da espanhola Pullmantur.

Terminados os fogos, os navios serviram coquetéis e canapés finos  em vários ambientes e depois acionaram os motores e partiram para suas excursoes, que têm a festa de 31 de dezembro como ponto alto do programa de 3 meses de permanência no Atlântico Sul. Sempre defendi, como editor e colunista de um Caderno deTurismo,que as companhias marítimas façam, todos os anos, uma alta doação financeira para ajudar a pagar os elevados custos do Réveillon carioca. Os navios ganham uma fábula de dinheiro com esta festa. Tẽm de contribuir, sim. É obrigação moral deles.

Saindo do Réveillon carioca, o MSC Musica partiu para um rápido roteiro no Nordeste, e terá de estar no porto do Rio neste próximo sábado, 6 de janeiro, quando inicia um cruzeiro de oito noites a Buenos Aires, Punta del Este e o porto paulista de Ilhabela. Nesta viagem, o custo médio de uma cabine externa com varanda foi de R$ 12 mil para  o casal. O retorno ao Rio será no domingo seguinte, dia 14 de janeiro.

 Vários casais mineiros e familias com crianças participam deste cruzeiro no MSC Musica, mas compraram seus bilhetes com dólar mais favorável, há 3 meses. O navio tem 1.275 camarotes e transporta 3.223 passageiros, tendo 16 decks (andares). Seu teatro La Scala tem capacidade para 1.500 pessoas,em três andares, na parte da frente (proa). O restaurante princial se chama Le Maxim, com dois andares,na parte de trás (popa). O cassino San Remo funciona todos os dias, para maiores de 18 anos. Há todos os tipos de jogos, com apostas altas. E bingos rotineiros.

Como aconteceu neste final de ano, nos principais setores da economia, houve uma reação muito positiva no mercado de viagens ao exterior.As operadoras de viagens marítimas acreditam que a presente temporada, até março, vai representar o embarque de mais de 320 mil passageiros, com forte participação da MSC Cruzeiros, que é líder de mercado,e também da Costa e da Pullmantur. Não há presença de navios da NCL-Norwegian Cruise Line,nem da Celebrity e Royal Caribbean, que estão vendendo normalmente cruzeiros para seus destinos tradicionais nos Estados Unidos e ilhas do Caribe (menos St. Maarten, ainda “desativada", só retomando condições de operação no mês de abri)l. a ilha franco-holandesa ficou sem energia e água potável desde o começo de agosto de 2017, com a passagem devastadora do furacão Irma. Em seguida, o furacão Maria atingiu fortemente a estrutura de cruzeiros em San Juan,na ilha de Porto Rico, território americano. Mas San Juan já se recuperou.



                  RIO ENFRENTA AS CAPITAIS MAIS RICAS





Todos os anos, os brasileiros acreditam que a sua festa de Reveillon é a mais longa e mais bela no mundo. Na escolha da melhor festa (devia ser feita uma eleição anual pela internet, como alto prêmio em dinheiro para a vencedora) - o Rio sempre seria candidato fortissimo. E haveria outros candidatos sérios do Brasil, como as festas de passagem de ano em Florianópolis, Salvador (4 das de farra geral), Recife, Fortaleza, Porto Alegre, Brasília etc. Belo Horizontse, apesar de ser ignorada pela Rede Globo e outras emissoras,fez um bonito papel este ano,como a espetacular queima de fogos no Minas II, nas Mangabeiras, e o sucesso habitual do réveillon organizado pela TV Alterosa e "Estado de Minas", na beira da Pampoulha,com o destaque dos fogos junto à  Igreja de São Francisco, patrimônio cultural da humanidade.

Como sempre, o Rio enfrentou este ano só pesos pesados nos Estados Unidos (apesar da neve e das baixas temperaturas, como na Times Square de Nova York,sob um frio de 11 graus abaixo de zero). Foram sérios adversários da Cidade Maravilhosa : a queima de fogos em Londres, junto à roda gigante London Eye e a torre do relógio Big Ben em reforma; a celebração da chegada de 2018 na Av. Champs Elysées, em Paris, no longo trecho (feericamene iluminado) entre o Arco do Triunfo e o Obelisco e a roda gigante da Place de la Concorde; a Grande Praça (Grotte Markt) de Bruxelas, encantadora, majestosa; a famosa queima de fogos em Sidney, na Austrália, atraindo milhares de visitantes à capital. Uma das mais badaladas comemorações em nivel mundial,ao redor do futurista prédio da Ópera.



As grandes redes mundiais de TV, além destas, mostraram também belas imagens da Virada do Ano na Porta de Brandemburgo, em Berlim; junto da Acrópole e Pantheon, nas montanhas de Atenas; na Praça Vermelha e imediações do Kremlin, em Moscou; na separatista Barcelona, na Espanha; e outras grandes cidades que fazem parte da história da humanidade, como Viena, Munique, Istambul, Praga, Budapeste, Varsóvia, Amsterdam, Cracóvia, Tóquio, Seul, Hong Kong, Taiwan(Formosa) e cidades chinesas.

Foi um dos maiores Réveillons no Brasil em todos tempos, o que parece um contrassenso, até aberração, diante de tudo que nossos cidadãos viveram e penaram ao longo do ano de 2017: uma sucessão de crises, parecendo um tsunami. Famílias endividadas, prisioneiras dos juros extorsivos (cartões de crédito e bancos). Hospitais e postos de saúde sem equipamentos. Roubalheira em todos os níveis, preços superfaturados, escândalos em proporções jamais vistas - e o povão rezando para 2017 acabar depressa:-já vai tarde.

A classe política esteve em seu estado habitual - totalmente fora de sintonia com o grito dos excluídos e o clamor das ruas -, e fez de tudo ao seu alcance para complicar mais ainda: tornar pior ainda o que já estava péssimo. Mas eles terão surpresas. As eleições gerais em de outubro vão chegar mais depressa do que eles imaginam. E muitos ladrões da Lava-Jato e mentirosos descarados estarão na cadeia. Vamos esperar e confiar. A grande mudança vem aí.

  • PS: Ligeira pausa de 10 dias, retorno em 15 de janeiro.


Belo Horizonte-MG, Brasil
Dia 05 de janeiro de 2018
Editor – Hélio Fraga
Postagem e edição – Ana Cristina Noce Fraga

domingo, 24 de dezembro de 2017

REINO DE DISNEY, A MAIS BELA FESTA DE NATAL PARA NOSSOS TURISTAS




Se eu tivesse de escolher a mais bela comemoração de Natal que já vi, nesses anos todos de andanças pelos caminhos do mundo, a resposta só pode ser: a temporada de Natal dos parques da Disney, na Flórida Central, num cenário de sonho,magia e encantamento. Algumas fotos da Disney ajudam a entender o ambiente que se criou no principal dos parques, por eles chamado de Magic Kingdom (Reino Mágico), por nós conhecido como Disney World, antevendo e apresentando a Terra do Futuro (Tomorrowland), a Terra da Fantasia (Fantasyland) e a Terra da Aventura (Adventureland).

Isso significa transformar numa fantástica Cidade de Natal todos os cenários e atrações de Disney, como se estivessem vestidos de amarelo, vermelho e verde, as cores natalinas tradicionais dos Estados Unidos: o Castelo da Cinderela, a Montanha Mágica,o show encantado das bonecas (Small World),o voo de Peter Pan, Branca de Neve e os Sete Anões, a Casa Mal Assombrada, o Hall dos Presidentes, a Corrida Maluca, as Xícaras que Rodam, as Bruxas Malvadas, os Fantasmas e todos aqueles cenários que lembram um trem maluco desgovernado num amina mal-assombrada, os Piratas do Caribe, o Festival dos Ursos Falantes (Country Bear Jamboree), os Pássaros Encantados (Tiki Birds), a Árvore da Família Suíça (você pode morar em cima dela), as aldeias que se tornam cenário do Velho Oeste, as diligências da Wells  Fargo ,as eternas brigas entre índios, soldados confederados, bandidos e mocinhos.

Todas essas atrações ganham uma roupagem natalina - então, são milagres de estrelas de prata, fios dourados, guirlandas e cordões verdes rodeando tudo que se pode imaginar, a começar pelos caracteres especiais que o gênio de Walt Disney criou: Mickey Mouse, Minnie,  Pateta, Pluto, Pato Donald e os três sobrinhos, Tio Patinhas, Lobo Mau, Tico e Teco, o ursinho Pooh, os três porquinhos e todos os personagens dos vários shows ao redor do parque, como Corcunda de Notre-Dame, Esmeralda, Aladim e o Gênio da Lâmpada, as bonecas que falam, e as figuras mais recentes que encantam as crianças do mundo inteiro, como Elsa e Ana (de Frozen), Rapunzel, Ariel, Aurora, Sininho e Pequena Sereia.

Árvores de Natal, de vários tamanhos, inclusive uma de 40 metros de altura em frente à Estação Central (Main Street Station), e outras menores estrategicamente colocadas, com milhares de microlâmpadas acesas dia e noite, transformam Disney World na maior Cidade de Natal que o mundo já viu - e este mesmo cenário de magia, sonho e encantamento, é montado também nos parques Epcot, Disney Hollywood Studios, Animal Kingdom e Blizzard Beach, que é uma réplica de estação de esqui nos Alpes.
Já se falou que Disney é um verdadeiro jardim, em área muito plana, rodeada de pinheiros e ciprestes.A grama sempre parece que foi cortada ontem. Quem não está acostumado com isso estranha: nunca se viu uma pichação por aqui; o asfalto está sempre novo; não há buracos nem quebra-molas.



SHOWS EM TODOS OS PARQUES E  PARADAS


Para  encantamento de seus milhares de visitantes - capacidade média de 60 mil pessoas por dia- há dezenas de shows alternados, e os mapas que os turistas pegam na entrada mostram o calendário, hora certa dos desfiles e localização dos principais shows temáticos. Uma das grandes paradas, precedidas por bandas e baterias, acontece as 11h da manhã, outra às três da tarde e a mais bela de todas às oito da noite (Main Street Electrica Parade), onde as principais figuras - como Peter e o Dragão, Cinderela, Príncipe Encantado,Branca de Neve,  Fada Madrinha - são totalmente recobertas de luzes verdes e vermelhas.O mesmo acontece com a carruagem brilhante de Cinderela e figuras que lembram tartarugas e cogumelos.



Para atendimento de qualquer necessidade de cada um desses visitantes, Disney World conta com um exército de colaboradores uniformizados, identificados por uma placa dourada com seu nome, e eles falam mais de 120 línguas e são treinados para não deixarem nenhuma pergunta sem resposta.Claro que há pessoal especialmente preparado para atendimento de  emergências médicas e qualquer imprevisto, incluindo brigadas contra incêndios. Os parques de Disney estão fora das rotas normais de alguns furacões do Caribe que costumam atingira Flórida,no extremo sul da Costa Leste dos Estados Unidos.

Se alguma emergência ocorrer, há pessoal e veículos para socorrer os locais e turistas (Nota: a temporada de furacões vai de junho a novembro no  Hemisfério Norte.Este ano, os piores furacões foram o Irma e Maria,que atingiam fortemente as ilhas de St. Maarten e Porto Rico. Não se recuperaram até hoje).

Voltando a Disney:um espetacular show de fogos encerra as atividades de cada dia, em torno das 1h. A explosão de fogos chineses costuma durar mais de 10miutos,com efeitos de luzes e som. Um final de um dia que entra para as lembranças inesquecíveis.


EM DISNEY, O TELEFONE MANDA SORRIR SEMPRE


A organização impecável é uma das características  dos parques de Disney. Segundo o diretor corporativo de Comunicação e Relações Públicas, sr. Todd Heiden, o treinamento das equipes é considerado modelo nos Estados Unidos. Apenas um detalhe, entre dezenas: cada pessoa ao telefone,em qualquer setor ou serviço dos parques, tem à sua frente uma placa dizendo: - "Put a smile in your voice" (ponha um sorriso na sua voz). Isso significa estar sorrindo a cada pessoa desconhecida que liga, e ela descobre que você está querendo ajudar e  sorrindo para ela. Tudo bem  diferente daquela voz metálica irritante que faz o atendimento eletrônico nos países subdesenvolvidos do Terceiro Mundo - tudo mecanizado, frio e impessoal, e serviços sempre de má qualidade.

 Todd Heiden é o diretor corporativo de Comunicação e Relações Públicas
                      
Enquanto este blog circula,centenas de brasileiros estão hoje vivendo de perto essas emoções dos espetáculos natalinos de Disney, alojados em hotéis dos próprios parques (são mais de 30) e ocupando centenas de hotéis nas cidades próximas de Orlando, Lake Buena Vista e Kissimmee, e nos principais acessos, que são a International Drive e a Sand Lake Road. Rodando de carro pela autoestrada I-4, a gente nunca sabe onde uma cidade termina e a outra começa,por estarem interligadas.  

Dezembro e janeiro são meses de inverno na Flórida, mas o frio que faz nessa região é mínimo,enquanto o resto do país pode estar enfrentando tremendas nevascas,  fechamento de aeroportos com consequente cancelamento de voos. A média de custo de ingresso para um dia em Disney é cerca de US$ 220, só para entrar. Estima-se que cada visitante não gaste menos de US$ 400 em comida e compras na loja Emporium - uma fábula de dinheiro nos ricos cofres de Tio Sam.

A temporada de Natal (Chirstmas) e Ano Novo (New Year's Eve) se prolonga vai até a Páscoa em março-abril (Easter). A Flórida Central recebe mais de 66 milhões de visitantes por ano. Embora sem revelar números, Disney World é o recordista de público entre todos os parques, e obviamente o mais lucrativo.O turismo é a indústria número1 da Flórida, gerando 1 em cada seis empregos. 

   ESPERANDO AS URNAS DE OUTUBRO DE 2018


Nem todos têm o privilégio de passar uma festa de Natal e Ano Novo no Reino de Disney - ainda mais sendo cidadãos de um país tropical abençoado por Deus e bonito por natureza, chamado Brasil - campeão mundial de injustiças sociais, de miséria moral e de corrupção de governantes e políticos com PhD em cinismo e safadeza. Aliás, talvez não houvesse esse abismo monstruoso entre ricos e pobres, famintos, miseráveis e deserdados da sorte, se eles não roubassem tanto. Mas as urnas de outubro de 2018 esperam por todos eles. O eleitor tupiniquim lhes dará uma resposta. Se Deus nunca  foi brasileiro, Ele o será desta vez. Ele ajudará o Brasil a se ver livre dessas ervas daninhas, desses empreiteiros ladrões e desses canalhas sem escrúpulos. Brasília terá de se chamar Capital da Esperança, livrando-se desses habitantes indesejáveis.  Que nenhum deles jamais volte à Câmara dos Deputados e Senado Federal.

É esse fio de esperança que invade meu coração, ao desejar a cada um de vocês, próximos ou distantes,  fiéis companheiros de jornada, que tenham aquilo que em Portugal se chama de um Santo Natal: cheio de amor e paz, de autêntica alegria, com muita união das famílias, harmonia em todos os lares, compartilhamento de sonhos e esperanças, para que o Ano Novo seja de abertura às dores e necessidades de nossos irmãos que sofrem privação de toda espécie - e, para nosso sofrido e massacrado Brasil, que 2018 seja o ano da faxina política completa.

Que nossos prédios se transformem em comunidades cristãs pela amizade e respeito entre os moradores. Que os idosos sejam mais respeitados e as crianças tenham mais espaços. Que nossas cidades sejam menos violentas, e o trânsito mais humano. E que os governantes parem de mentir ao povo e zombar da confiança alheia. Que o Judiciário se faça respeitar através das decisões de seus juízes, evitando essa porteira aberta a criminosos. Que a Lava Jato jamais seja torpedeada ou estancada.

Tudo de bom para cada um de vocês, esteja onde estiver. Um abraço saudoso aos amigos mais distantes em Portugal, na Ilha da  Madeira, Lisboa, Cidade do Porto, Vila Nova de Gaia, Leixões, Vale do Douro, Régua, Viana do Castelo, Póvoa do Varzim, Coimbra, Braga, Guimarães, Cascais, Estoril, Praia do Guincho, Ericeira, Matozinhos e Setúbal. 
O bom Deus os proteja e guarde, sempre. E a Virgem de Fátima os cubra com seu manto protetor.
---------------------------

Belo Horizonte-MG, Brasil
24 de dezembro de 2017
Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga
(www.blogdohelio.com.br)


segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

AO COMPLETAR 120 ANOS, BELO HORIZONTE TERÁ DE ENFRENTAR PESADOS DESAFIOS


 
A decoração da Praça da Liberdade foi inaugurada para comemorar os 120 anos de BH


Vamos aproveitar cada momento deste clima de encantamento que toma conta da Praça da Liberdade, no coração de Belo Horizonte, que está completando 120 anos de existência nesta terça-feira, 12 de dezembro. Essas milhares de lâmpadas de led acesas, estas palmeiras imperiais também cobertas de luzes, e este corredor iluminado na Alameda Travessia, que levam ao Palácio da Liberdade, indicam que a capital de Minas Gerais vive seu maior momento neste ano de tantas frustrações e decepções (o povo brasileiro parece estar no limite, e o mineiro mais  ainda, diante de tamanho desgoverno). Mas toda essa festa de aniversário, numa das cinco maiores capitais no Brasil - com 2,5 milhões de habitantes -, significa mais trabalho pela frente, novos compromissos  e desafios, melhor transporte urbano, mais trincheiras sobre as vias expressas e corredores de tráfego, planejamento de novas obras e tentativa de resolver problemas que já duram décadas - como neste traumático Anel Rodoviário, verdadeira fábrica de tragédias que já somam centenas de vidas perdidas.

Aproveitemos esse festival de luzes,cores e sons, não percamos tempo,porque a festa geralmente começa tarde e acaba cedo. Como venho pregando aqui no deserto há décadas, a festa teria de começar em meados de novembro,com toda pompa, iniciando um festival de eventos previamente planejados, e se prolongar, no mínimo, até o dia 15 de janeiro.Mas a correria dos coordenadores é tanta que eles mal conseguem esperar a virada do ano, em 31 de dezembro. quando lógica e o bom senso indicam que o ideal seria a festa de aniversário se misturar com a celebração do Réveillon nas praças urbanas e da periferia; nos clubes, como no Automóvel Clube, Minas 1 e 2, PIC Pampulha, Iate, Olímpico, Mackenzie, Jaraguá, AABB e tantos outros, e os Réveillons no Jardim Canadá,em clubes privados, em restaurantes,pizzarias, casas noturnas, danceterias e espaços de lazer.

Deixemo-nos embalar por toda a Praça da Liberdade lindamente iluminada, o Coreto, o lago,  as palmeiras imperiais, as árvores, as estátuas e fontes  nos jardins (cuja grama o povo continuará pisando, como sempre fez, num ato de desamor à cidade e falta de sensibilidade). Compremos balões coloridos para as crianças, algodão doce, pipoca e todas essas bugigangas que os vendedores ambulantes comercializam por todos os cantos da praça. Havendo condição e espaços, vamos levar as crianças para lanchar no Xodó, como a gente fazia na nossa juventude.


Tentemos valorizar o que é nosso, procurando elogiar o que é bonito em vez de criticar possíveis falhas, inerentes a todos nós, seres humanos (apesar de que alguns, como os políticos corruptos, exageram na dose e no atrevimento). Procuremos elogiar os esforços dos shopping centers, renovando-se a cada Natal e, na maioria, sorteando carros e/ou motos entre seus clientes, buscando bater recordes de venda em tempos de vacas magras. Chamo sua atenção, em especial, para o Diamond Mall, que, como você sabe, foi construído no terreno onde era o Estádio Antônio Carlos, do Atlético, em Lourdes (Av. Olegário Maciel com ruas Bernardo Guimarães,  Gonçalves Dias e Rio Grande do Sul). O Diamond, sempre o mais criativo e esbanjador, inspirou sua decoração natalina no Império Britânico, com seus castelos e palácios. No centro, na Praça de Alimentação, foi feita a reprodução de um palácio real, com relógios antigos e torres laterais. Com 10m de altura,a árvore principal é decorada com heras, pinhas, ursos de pelúcia e botas.


No Minas Shopping, na Av. Cristiano Machado, cada R$ 300 de compras dão direito a um cupom para concorrer ao sorteio de uma BMW 320i Sport e um miniveículo BMW elétrico. Será um Natal cheio de atrações virtuais e interativas (Authentic Games), mobilizando a criançada e parte da juventude. No BH Shopping, o de maior tradição, foram espalhados pelo quatro pisos do mall cenografias criativas utilizando brinquedos tradicionais, como bailarinas, ursinhos e soldadinhos de chumbo. Isso inclui um carrossel de seis metros de diâmetro. E sorteio de valiosos prêmios, levando um carro de luxo para casa.No Boulevard Shopping, a famosa animação russa Micha e o Urso predomina na decoração de Natal, além de brinquedos interativos e itens de desenho animado, tudo isso montado na área de eventos.E no Pátio Savassi, haverá apresentações musicais infantis, incluindo peças como Pequeno Príncipe e Rapunzel, e as crianças podem brincar numa grande piscina de bolinhas coloridas.

E como 2017 foi um ano conturbado, pra lá de problemático, com caminhões de más notícias invadindo nossos lares  todos os dias, vindos pelos meios de comunicação, não se podia esperar outro "espírito de Natal": o povo brasileiro está de farol baixo, apático,desinteressado pela política, desencantado com tudo e com todos, enojado de ouvir falar em senadores e deputados corruptos e barganhas dos governantes com parlamentares gananciosos. Como disse a CNBB em nota oficial, emitida em Brasília, cenário dos principais crimes da política,em fins de outubro passado: 1) "É grave tirar a esperança de um povo": 2) "A barganha na liberação de emendas parlamentares pelo Governo é uma afronta aos brasileiros"; 3) "Apesar de tudo, é preciso vencer a tentação do desânimo, e só uma reação do povo, consciente e organizado, no exercício de sua cidadania,é capaz de purificar a política, banindo de seu meio os que seguem o caminho da corrupção e do desprezo pelo bem comum". (Trechos da nota assinada pelo arcebispo de Brasilia e presidente da CNBB, cardeal Sergio da Rocha)

A decoração da praça deste ano foi totalmente diferente dos anos anteriores
Então, vamos fazer -a pedidos - uma espécie de esforço coletivo para tentar espantar nosso desânimo, irritação, apatia, indiferença, nojo e revolta. Vamos imaginar que o Brasil, apesar de tantos desvios e descaminhos, ainda tem conserto e pode virar essas páginas amargas e desencorajadoras. E, no caso específico de Belo Horizonte, vamos esperar que a Capital dos 120 anos pode ser um lugar melhor para se viver, e deixe de ser essa cidade esburacada (agora, o estado é calamitoso); sem tiroteios nas favelas  entre policiais e traficantes; menos alagamentos na Av. Vilarinho e regiões vizinhas; menos engarrafamentos,que dão um nó cego no trânsito urbano; menos acidente sem mortes no Anel Rodoviário (que exige solução definitiva e o Dnit tem obrigação moral de contribuir e participar; menos vandalismo contra os bens públicos; menos sujeira nas ruas; mais PMs e guardas municipais em fiscalização efetiva (e não compondo a paisagem); menos intolerância e histeria no trânsito: mais gentileza entre as pessoas - qualquer bom-dia faz uma diferença enorme. Menos irritação, mais cortesias. E prioridade, sempre, para os pedestres - se forem idosos, tudo isso em dobro.

Rezemos todos ao Senhor, amém. 
Antecipadamente, Bom Natal a todos.


------------------

Belo Horizonte/MG- Brasil

11 de dezembro de 2017

Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga