segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

AO COMPLETAR 120 ANOS, BELO HORIZONTE TERÁ DE ENFRENTAR PESADOS DESAFIOS


 
A decoração da Praça da Liberdade foi inaugurada para comemorar os 120 anos de BH


Vamos aproveitar cada momento deste clima de encantamento que toma conta da Praça da Liberdade, no coração de Belo Horizonte, que está completando 120 anos de existência nesta terça-feira, 12 de dezembro. Essas milhares de lâmpadas de led acesas, estas palmeiras imperiais também cobertas de luzes, e este corredor iluminado na Alameda Travessia, que levam ao Palácio da Liberdade, indicam que a capital de Minas Gerais vive seu maior momento neste ano de tantas frustrações e decepções (o povo brasileiro parece estar no limite, e o mineiro mais  ainda, diante de tamanho desgoverno). Mas toda essa festa de aniversário, numa das cinco maiores capitais no Brasil - com 2,5 milhões de habitantes -, significa mais trabalho pela frente, novos compromissos  e desafios, melhor transporte urbano, mais trincheiras sobre as vias expressas e corredores de tráfego, planejamento de novas obras e tentativa de resolver problemas que já duram décadas - como neste traumático Anel Rodoviário, verdadeira fábrica de tragédias que já somam centenas de vidas perdidas.

Aproveitemos esse festival de luzes,cores e sons, não percamos tempo,porque a festa geralmente começa tarde e acaba cedo. Como venho pregando aqui no deserto há décadas, a festa teria de começar em meados de novembro,com toda pompa, iniciando um festival de eventos previamente planejados, e se prolongar, no mínimo, até o dia 15 de janeiro.Mas a correria dos coordenadores é tanta que eles mal conseguem esperar a virada do ano, em 31 de dezembro. quando lógica e o bom senso indicam que o ideal seria a festa de aniversário se misturar com a celebração do Réveillon nas praças urbanas e da periferia; nos clubes, como no Automóvel Clube, Minas 1 e 2, PIC Pampulha, Iate, Olímpico, Mackenzie, Jaraguá, AABB e tantos outros, e os Réveillons no Jardim Canadá,em clubes privados, em restaurantes,pizzarias, casas noturnas, danceterias e espaços de lazer.

Deixemo-nos embalar por toda a Praça da Liberdade lindamente iluminada, o Coreto, o lago,  as palmeiras imperiais, as árvores, as estátuas e fontes  nos jardins (cuja grama o povo continuará pisando, como sempre fez, num ato de desamor à cidade e falta de sensibilidade). Compremos balões coloridos para as crianças, algodão doce, pipoca e todas essas bugigangas que os vendedores ambulantes comercializam por todos os cantos da praça. Havendo condição e espaços, vamos levar as crianças para lanchar no Xodó, como a gente fazia na nossa juventude.


Tentemos valorizar o que é nosso, procurando elogiar o que é bonito em vez de criticar possíveis falhas, inerentes a todos nós, seres humanos (apesar de que alguns, como os políticos corruptos, exageram na dose e no atrevimento). Procuremos elogiar os esforços dos shopping centers, renovando-se a cada Natal e, na maioria, sorteando carros e/ou motos entre seus clientes, buscando bater recordes de venda em tempos de vacas magras. Chamo sua atenção, em especial, para o Diamond Mall, que, como você sabe, foi construído no terreno onde era o Estádio Antônio Carlos, do Atlético, em Lourdes (Av. Olegário Maciel com ruas Bernardo Guimarães,  Gonçalves Dias e Rio Grande do Sul). O Diamond, sempre o mais criativo e esbanjador, inspirou sua decoração natalina no Império Britânico, com seus castelos e palácios. No centro, na Praça de Alimentação, foi feita a reprodução de um palácio real, com relógios antigos e torres laterais. Com 10m de altura,a árvore principal é decorada com heras, pinhas, ursos de pelúcia e botas.


No Minas Shopping, na Av. Cristiano Machado, cada R$ 300 de compras dão direito a um cupom para concorrer ao sorteio de uma BMW 320i Sport e um miniveículo BMW elétrico. Será um Natal cheio de atrações virtuais e interativas (Authentic Games), mobilizando a criançada e parte da juventude. No BH Shopping, o de maior tradição, foram espalhados pelo quatro pisos do mall cenografias criativas utilizando brinquedos tradicionais, como bailarinas, ursinhos e soldadinhos de chumbo. Isso inclui um carrossel de seis metros de diâmetro. E sorteio de valiosos prêmios, levando um carro de luxo para casa.No Boulevard Shopping, a famosa animação russa Micha e o Urso predomina na decoração de Natal, além de brinquedos interativos e itens de desenho animado, tudo isso montado na área de eventos.E no Pátio Savassi, haverá apresentações musicais infantis, incluindo peças como Pequeno Príncipe e Rapunzel, e as crianças podem brincar numa grande piscina de bolinhas coloridas.

E como 2017 foi um ano conturbado, pra lá de problemático, com caminhões de más notícias invadindo nossos lares  todos os dias, vindos pelos meios de comunicação, não se podia esperar outro "espírito de Natal": o povo brasileiro está de farol baixo, apático,desinteressado pela política, desencantado com tudo e com todos, enojado de ouvir falar em senadores e deputados corruptos e barganhas dos governantes com parlamentares gananciosos. Como disse a CNBB em nota oficial, emitida em Brasília, cenário dos principais crimes da política,em fins de outubro passado: 1) "É grave tirar a esperança de um povo": 2) "A barganha na liberação de emendas parlamentares pelo Governo é uma afronta aos brasileiros"; 3) "Apesar de tudo, é preciso vencer a tentação do desânimo, e só uma reação do povo, consciente e organizado, no exercício de sua cidadania,é capaz de purificar a política, banindo de seu meio os que seguem o caminho da corrupção e do desprezo pelo bem comum". (Trechos da nota assinada pelo arcebispo de Brasilia e presidente da CNBB, cardeal Sergio da Rocha)

A decoração da praça deste ano foi totalmente diferente dos anos anteriores
Então, vamos fazer -a pedidos - uma espécie de esforço coletivo para tentar espantar nosso desânimo, irritação, apatia, indiferença, nojo e revolta. Vamos imaginar que o Brasil, apesar de tantos desvios e descaminhos, ainda tem conserto e pode virar essas páginas amargas e desencorajadoras. E, no caso específico de Belo Horizonte, vamos esperar que a Capital dos 120 anos pode ser um lugar melhor para se viver, e deixe de ser essa cidade esburacada (agora, o estado é calamitoso); sem tiroteios nas favelas  entre policiais e traficantes; menos alagamentos na Av. Vilarinho e regiões vizinhas; menos engarrafamentos,que dão um nó cego no trânsito urbano; menos acidente sem mortes no Anel Rodoviário (que exige solução definitiva e o Dnit tem obrigação moral de contribuir e participar; menos vandalismo contra os bens públicos; menos sujeira nas ruas; mais PMs e guardas municipais em fiscalização efetiva (e não compondo a paisagem); menos intolerância e histeria no trânsito: mais gentileza entre as pessoas - qualquer bom-dia faz uma diferença enorme. Menos irritação, mais cortesias. E prioridade, sempre, para os pedestres - se forem idosos, tudo isso em dobro.

Rezemos todos ao Senhor, amém. 
Antecipadamente, Bom Natal a todos.


------------------

Belo Horizonte/MG- Brasil

11 de dezembro de 2017

Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga

domingo, 26 de novembro de 2017

BLACK FRIDAY ENVOLVE DESTINOS TURÍSTICOS E ALGUMAS PROMOÇÕES DE COMPANHIAS AÉREAS





Como todo modismo importado dos Estados Unidos pelo Brasil, é preciso ter cuidado dobrado quando se trata das promoções de vendas tipo Black Friday. No Brasil,  nas tentativas de estimular a praga nacional de "tentar levar vantagem em tudo", acontecem abusos de vários tipos e tamanhos, na  busca do lucro fácil. Mas existem promoções sérias e descontos sensíveis no comércio normal e no eletrônico, assim como há esperteza, malandragem, exploração de cidadãos incautos e desinformados. Recomenda-se cautela, para não embarcar em canoa furada.



Claro que o turismo vem aumentando o espaço para oferecer descontos (reais ou ilusórios) tanto em pacotes de excursões, dentro e fora do país, assim como descontos em passagens aéreas - cujos preços foram aumentados abusivamente no começo desta semana (basta pegar o computador e comparar, simulando uma compra). Alguns preços quase dobraram


Apenas um pequeno detalhe: vocês não pensam que, entre as promoções da Black Friday,  devia estar o compromisso de todas as companhias aéreas nacionais, em determinado período,não cobrar nada pelo despacho de qualquer bagagem, acompanhada ou não, para qualquer região brasileira?


Nos EUA,o feriado de Thanksgiving (Dia Mundial de Ação de Graças) significa a abertura oficial da temporada de compras de Natal. Este é o primeiro passo, após o tradicional jantar em família em torno de um peru assado. É por isso que a abertura das principais lojas, a partir da meia-noite,e por toda a madrugada e depois que o dia clarear, é o desdobramento natural  do jantar. A comemoração do Thanksgiving supera a importância do próprio Natal. É o dia de recorde mundial de passageiros - todos os voos lotados e centenas de voos adicionais, numa nação de 312 milhões de habitantes.


Em vez de um final de semana consagrado à Black Friday, os descontos e privilégios dados aos consumidores costumam durar por vários dias ou semanas. Significa também desocupar espaços através da liquidação de estoques e substituição de artigos usados no verão pelas recém-adquiridas  pesadas roupas de inverno no Hemisfério Norte.  

Portanto, a promoção tem um sentido bem diferente deste que nós copiamos mal. Aqui, se trata de descontos reais ou fictícios. Considero desonesto dobrar o preço de determinado produto,e depois aplicar um falso desconto. A Black Friday se refere a produtos caros, e não a sabonetes e desodorantes. 


       SEIS SUGESTÕES DE EXCURSÕES NACIONAIS


Mas como não é hora de divagar sobre preços honestos ou simulados, incluo aqui alguns destinos de excursões pelo Brasil, com preços de Black Friday, e vocês decidem se lhes interessa. São pacotes  à venda para Natal-RN, Maceió, Porto Seguro, Porto de Galinhas, Costa Brasilis Resort e   La Torre Resort, todos com embarques neste final de novembro. Pacotes da operadora CVC, com duração de 8 dias e sete noites, todos incluindo passagem aérea, hospedagem com café da manhã e traslados aeroporto-hotel e vice-versa. Em todos os programas, há desconto de 50% para o segundo passageiro no bilhete aéreo. 

1) NATAL E SEU BELO LITORAL: o hotel escolhido é o Natal Praia, 3 estrelas, e o pacote inclui passeio pela cidade. A capital do Rio Grande do Norte oferece, na antiga Casa de Detenção, o animado forró com turistas, com grupos de danças regionais. Entre os vários passeios à disposição: dunas de Genipabu, praia e lagoa de Pirangi do Norte, Morro do Careca (proibido subir), Via Costeira, Forte dos Reis Magos, Ladeira do Sol, Praia dos Artistas etc; e ainda barracas de praia, passeio de jangada, feirinha de artesanato e folclore regional. Custo à  vista de R$ 1.236 por pessoa, ou 12 parcelas de 103 reais.

Natal oferece algumas das maiores praias do litoral do Nordeste

2) PORTO DE GALINHAS: este pacote é de 7 dias, com seis diárias na Pousada Encantos de Porto, categoria 2 estrelas. Mergulhos em piscinas naturais e arrecifes. Vários embarques neste final de novembro e em dezembro. Custo de R$ 1.401 por pessoa em acomodação dupla, financiados em 12 parcelas sem juros de R$ 116.


3) PORTO SEGURO: sete diárias no Hotel Fênix, 3 estrelas,  com passeio pela cidade e sugestões das melhores barracas para lazer noturno. Custo a partir de R$ 678 por pessoa, ou financiado em 12 parcelas sem juros de R$ 66.
4) COSTA BRASILIS RESORT, em Santo André, com acesso via Porto Seguro. O melhor detalhe é a gratuidade para 2 crianças na hospedagem. O Costa Brasilis, com belas praias até onde a vista alcança, é um resort  de 4 estrelas. O pacote inclui um passeio pela região. Custo de R$ 2.534 por adulto, em 12 prestações de R$ 211.

No Costa Brasilis predomina a comodidade à beira da praia


5) LITORAL DE MACEIÓ:  hospedagem por sete dias no Trópico Praia Hotel, de 3 estrelas, incluindo um passeio pela cidade e visitando as praias de Ponta Verde, Pajuçara, Jatiúca e Cruz das Almas. Vários passeios opcionais com operadoras alagoanas.Custo de R$ 1.103 com parcelamento em 12 mensais de R$ 91.

6) LA TORRE RESORT, região nobre de Porto Seguro, com gratuidade para 2 crianças no apartamento dos pais. Regime tudo incluído, com café da manhã, almoço e jantar com bebidas. Passeio pela cidade e várias atrações para o público infantil. Custo por adulto de R$ 3.498, ou doze mensais de R$ 291.

A semana da Black Friday inclui pacotes com preços especiais em hotéis de categoria turística 3 estrelas, em outros destinos nacionais,  como Ilhéus e Salvador, Itacaré, Olivença, Recife, Olinda, João Pessoa, tambaba, Fortaleza, Praia de Cumbuco, Jericoacoara, Aquiraz, Beach Park etc.

Estão disponíveis também,ela internet e agências de viagens, pacotes em dezembro para Santiago do Chile, Buenos Aires, Montevidéu, Punta del Este, República Dominicana, San Andrés (Colômbia), Punta Cana, Lima, Cuzco e Machu Picchu, incluindo lugares famosos da gastronomia peruana, hoje considerada entre as melhores da América do Sul.


                        TRÊS DICAS PARA PRAIAS DE CANCÚN



Para quem vai sair de férias na primeira quinzena de dezembro, Cancún surge como um dos destinos preferidos  no Caribe e Riviera Mexicana, pelos seus hotéis e resorts de luxo, praias da mar azul, esportes  náuticos à disposição, vida noturna agitada (principalmente para adultos desacompanhados) e belos passeios a pontos de mergulho, sítios históricos, praias lindas e ruínas da civilização maia, como em Cozumel, Isla Mujeres e Chitchén Itzá. 

Cancún tem uma clientela fiel no Brasil. Veja essas excursões com embarques em 5 de dezembro, com duração de sete dias, incluindo passagem aérea e seis diárias em hotel de 4 estrelas, com café da manhã incluso na diária. No Krystal Urban Cancún, custo a partir de R$ 3.990 por pessoa, financiados em 10 parcelas sem juros de R$ 399.

Outra opção de hospedagem é  o Oasis Palm Beach, também em pacote de 7 dias e 6 noites em regime "all inclusive", com comidas e bebidas à vontade.Na saída de 5 de dezembro, custo por adulto de R$ 4.890, em 10 parcelas sem juros de R$ 489. O mesmo preço se aplica ao pacote com hospedagem no Hotel Laguna Suítes, também incluindo comidas e bebidas.  Ligue para 3003-9282 e peça mais detalhes na CVC.

Hotéis de luxo enfileirados em frente ao mar azul de Cancún.

      AÉREAS CONFIRMAM RECUPERAÇÃO DO MERCADO


Acompanhando a cobertura do jornal "Valor Econômico", em suas edições mais recentes, a aviação civil brasileira está mais otimista sobre a recuperação do mercado, na opinião de seus principais executivos. Mudanças foram feitas em companhias, como a Azul Linhas Aéreas, onde John Rodgerson assumiu a presidência, e na Latam Airlines Brasil, cujo comando está sob responsabilidade de Jerome Cadier, diretamente vinculado à administração central em Santiago do Chile. Os dois executivos fizeram rápida análise do mercado e  disseram ao "'Valor Econômico" (sempre bem informado) que estão sentindo que a instabilidade dos últimos meses não está se repetindo. É visível a recuperação do mercado. A incerteza já passou.

Falando ao especialista João José Oliveira, em São Paulo, Jerome Cadier contou que o Brasil responde por 26 por cento da oferta de assentos da empresa  e a demanda no terceiro trimestre deste ano se mostrou mais estável. A ideia da Latam é aumentar a oferta de assentos nos semestres futuros, estimulada pela sensação de estabilidade do mercado.

Jerome Cadier traça as estratégias da Latam Airlines Brasil


No mesmo "Valor", segundo a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) a demanda por voos domésticos cresceu 6,6 porcento em setembro, o sétimo mês consecutivo de expansão. A aviação brasileira registrou 19 meses seguidos  de retração de demanda, de agosto de 2015 a março de 2017.O principal jornal econômico do país confirmou que a Azul, Gol e Latam, em seus balanços do 3º trimestre deste ano, apresentam melhores números de receitas e lucros e a conclusão é e de que há espaço para aumentar a capacidade nos próximos meses.

A Gol líder da aviação comercial brasileira, fortemente apoiada pela americana  Delta Air Lines, teve um lucro líquido de R$ 327,6 milhões ante perda de R$ 900 mil um ano antes, e incremento de 13,2% na receita, que somou R$ 2,72 bilhões. A Azul, segundo John Rodgerson, teve um lucro líquido de R$ 204 milhões no terceiro trimestre, ante R$ 9,4 milhões um ano antes. Suas receitas aumentaram 15%, para R$ 2 bilhões. Houve crescimento de 6,7 por cento no tráfego de passageiros. E Cadier, da Latam, revelou que os custos da empresa aumentaram 1,4% entre julho e setembro passado, portanto em ritmo inferior ao da expansão das receitas, atingindo R$ 2,4 bilhões. 

De janeiro até 30 de setembro deste ano foram transportados pelas companhias brasileiras 89 milhões de passageiros, e o aumento foi de  1,80%  ante igual período de 2016. A capacidade subiu 1,2%. As empresas têm o propósito de continuar lutando para que o preço médio das passagens não recue.

De vez em quando, havendo chance, vou tentar repassar a vocês - sempre citando as fontes - o que sai de importante na grande Imprensa nacional sobre o setor da aviação civil, no que se refere a informação econômica. Pena que leitor mineiro não encontre tais informações na  Imprensa do seu Estado. E coluna de blog dedicada a viagens de lazer não parece o local mais adequado. Vocês concordam?

John Rodgerson comanda a Azul Linhas Aéreas


----------------



PS: Uma excelente notícia: no dia 9 dezembro, sábado, com um almoço no restaurante Maria das Tranças, na Rua Professor Morais, a partir de 12h,  será comemorado o 52º aniversário de nossa formatura na Faculdade de Direito da UFMG, turma de 1965. Em vez do tradicional jantar no Automóvel Clube, optou-se por uma solução mais econômica, de acordo com os novos tempos, idealizada pelo desembargador Roney de Oliveira, ex-presidente do TJMG. Dos 150 formandos de cinco décadas atrás, restam vivos menos de 90 bacharéis. Neste dia 9/12, neste espaço, haverá um blog especial dedicado a esses veteranos do Direito: Roney, Dilermando de Mello, Paulo Nonato Passini,  des. Jarbas Carvalho de Oliveira Filho, des. Roberto Borges de Oliveira, desembargador e poeta Célio Paduani, des. Pedro Henriques de Oliveira Freitas, Ronaldson de Oliveira Naves, Gilvar de Pinho Tavares, José Otávio Alkmin Henriques, Marton Victor dos Santos, Kemil Kumaira, Leopoldo Bessone, Justino de Barros Frossard, Antônio Álvares da Silva, desembargador Aécio Bastos da Fonseca (Brasília-DF), dr. Marcondes Franco e Silva (bacharel em Direito e depois psiquiatra), Nazaré Argemiro e Roberto Rogério de Castro, Adrianus Johannes Ueterwaal (Rio), Ana Maria Braga e Silva, Zélia Teresa Nogueira Mendes, Marisa Parreiras Bouchardet, Namildes Souza Mendes (Nanuque), jornalista e escritor  Carmo Ribeiro Chagas (São Paulo), Nilma Goulart (Brasília), Danaé Alves Ramos (Goiânia). Nosso paraninfo foi o saudoso prof. Raimundo Cândido. Entre nossos mestres, Jair Leonardo Lopes, Washington Albino, Alberto Deodato, Raul Machado Horta, José do Valle Ferreira e Lydio Machado Bandeira de Mello. Aos mortos, nossa saudade. Aos vivos, um final de vida digno e com boa saúde, cercados de apoio e respeito pelas famílias e amigos, e pelo amor e carinho de seus netos - entre os quais incluo meus quatro: Rafael, Mariana, Larissa e o recém-nascido Ian. E Julinha, desde 1988 no céu.

-----------------------------------------------------------
Belo Horizonte/MG- Brasil
29 de novembro de 2017
Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga

domingo, 12 de novembro de 2017

GRAMADO E A SERRA GAÚCHA EM FESTA ESPERANDO RECORDES NO 29º FESTURIS


Gramado recebe milhares de turistas nesta época do ano


Gramado, a capital econômica e turística da Serra Gaucha, vive seu grande momento anual nesta semana,com a 29ª edição do Festuris, organizado desde 1988 pela empresa Rossi e Zorzanello Feiras e Empreendimentos. O Festuris, aberto em sessão solene na noite de  9 de novembro,no Palácio dos Festivais, está atraindo milhares de pessoas à Serra Gaúcha, e o  congresso envolve 14 mil profissionais do turismo brasileiro e internacional, incluindo a presença de várias delegações estrangeiras,como Estados Unidos, Canadá, Cone Sul e países da América Latina, União Europeia, Oriente Médio, África e Ásia-Pacífico.No total, são 66 delegações internacionais presentes na Serra Gaúcha e esperam-se números recordes de participação e fechamento de negócios.

Marta Rossi, Marcus Rossi e Eduardo Zozanello,o trio que organiza o Festuris
Os visitantes ficam alojados na rede hoteleira de Gramado e sua vizinha  Canela, as duas separadas pelos 6 km da Rodovia das Hortênsias. O Festuris marca ainda o inicio da altíssima temporada na Serra Gaúcha, como o famoso Natal Luz de Gramado, considerado a mais bela comemoração natalina do Brasil. De meados deste mês até o final de fevereiro, são esperados cerca e 2 milhões de visitantes. Canela apresenta também sua festa típica Sonho de Natal,com espetáculos natalinos, desfiles e festas com fogos na Catedral de Pedras e desfiles até a Praça João Corrêa. A festa de Canela dura até 14 de janeiro e envolve 200 eventos. O Natal Luz de Gramado, muito maior e mais brilhante,  envolve dezenas de celebrações durante dois meses.  A rede hoteleira local tem ocupação acima de 95 por cento, com destaques para os grupos da CVC Viagens e sua recém-adquirida Visual Turismo.


A decoração natalina de Gramado se estende por toda a cidade, mas tem o ponto culminante na Av, Borges de Medeiros, Rua Coberta (local de vários shows ao vivo) e Av. das Hortênsias, e encanta os visitantes pela sua intensidade e gigantismo das figuras, e utilização de plásticos e materiais recicláveis.  Gramado se caracteriza, atualmente, por vários centros comerciais fartamente decorados, e a maioriadas lojas cheias de luzes. A população da cidade praticamente dobra nesta época do ano, e tudo começa com o Festuris, abertura de gala da temporada natalina. O turismo, explorado com competência e inteligência, fez de Gramado uma cidade rica.

   O MUNDO MARCA ENCONTRO NO SERRA PARK

O Natal Luz é o cartão de visitas de Gramado aos turistas


Gramado é muito bem sinalizada,e nem parece uma cidade brasileira, pois não há vendedores nas esquinas, nem mendigos e pedintes nas ruas e avenidas. Crime também não há (nem furto de galinha). O Festuris acontece num   clima de de festa, a partir da abertura no Palácio dos Festivais, com a presença de lideranças do turismo e autoridades convidadas. As sessões de negócios envolvem uma feira de turismo com mais de 400 estandes, utilizando uma área de 22 mil metros quadrados no Serra Park, perto de uma das principais entradas da cidade. O mundo se encontra aqui. Fala-se árabe, inglês, alemão, francês, italiano, grego, japonês, sueco, mandarim, espanhol etc.

Cerca de 1.500 encontros entre compradores nacionais e estrangeiros,e vendedores e empresas ligadas ao turismo no Brasil (hotéis e resorts, locadoras, transportadoras aéreas e terrestres, turismo receptivo etc) são pré-agendados meses antes do início da feira. Espera-se que as visitas aos estandes e os encontros de negócios gerem vendas de pacotes no valor total de R$ 270 milhões, superando os R$ 253 milhões da edição do ano passado. A Região das Hortênsias deve ser beneficiada com negócios acima de R$ 15 milhões, envolvendo restaurantes e pizzarias, casas de fondue, rede hoteleira, Zoológico, parque  Mini-Mundo, Cascata do Caracol e outras atrações turísticas, lojas de couro, shoppings e comércio em geral.


Além de Gramado e Canela,os benefícios se estendem a outras cidades da Serra Gaucha, como Taquara, Nova Petrópolis, São Francisco de Paula, Bento Gonçalves e suas vinícolas, Garibaldi e seus espumantes,  e municípios de Carlos Barbosa e Caxias do Sul. Belo Horizonte está presente no 29º Festuris através de um estande da Belotur, com promotores de vendas tentando  divulgar, entre outros produtos, o Arraial de Belô, Banda Mole  e o Carnaval.


Alguns dos países com estandes no Serra Park: Estados Unidos, México, Canadá, Itália, Japão, China, Coréia do Sul, Singapura (com S mesmo), Alemanha, França, Portugal, Espanha, Áustria, Holanda, Bélgica, Grécia, Turquia, Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia, Rússia, Estônia, Indonésia, Marrocos, África do Sul, Emirados Árabes, Etiópia, Chile, Argentina, Peru, Colômbia, Uruguai, Paraguai, Equador, Cuba, ilhas do Caribe (menos aquelas afetadas pelos furacões Irma e Maria), Croácia, Hungria, Polônia, República Tcheca, Eslováquia, Polinésia Francesa etc.


Desde que o Festival de Turismo foi lançado pelas empresárias gramadenses  Marta Rossi e Silvia Zorzanello (falecida no início desta década), a feira resultou no aumento sensível da capacidade hoteleira de Gramado, Canela e cidades vizinhas. Hoje, a empresa Rossi & Zorzanello Feiras e Empreendimentos tem como diretores Marta Rossi e seu filho Marcus Rossi, e Eduardo Zorzanello, filho de Sílvia. Desde as primeiras edições, a feira tem apoio institucional do Ministérío do Turismo, Abav Nacional, Abear (companhias aéreas), Abremar (cruzeiros marítimos), Abih Nacional, Governo do Rio Grande do Sul e outras instituições. Por uma política editorial, este blog não registra nomes, cargos e presença de lideranças e entidades do turismo nacional e regional,e representantes de ministérios e secretarias de turismo, em nível federal estadual e municipal.


Para saber mais sobre o congresso e feira de turismo,acessar www.festurisgramado.com

Desfiles de Natal em frente à Rua Coberta de Gramado




    ESTRADAS  PIORES E PEDÁGIOS MAIS CAROS


As estatísticas brasileiras estão cada vez piores e mais ameaçadoras. Não há um dia, neste fatídico 2017, em que o cidadão comum e pagador de impostos não tome conhecimento de mais uma pesquisa mostrando como estamos andando para trás, em todos os sentidos: recorde mundial de assassinatos, acima de 61 mil por ano; má conservação ou completa deterioração de rodovias federais e estaduais; cifras estarrecedoras de caixas automáticos explodidos e ônibus urbanos incendiados; assaltos à mão armada e sequestros; crianças mortas dentro de casa por balas perdidas em tiroteios nas  favelas do Rio.

Pedágios cada vez mais caros em estradas mal conservadas


No nosso caso específico, Minas Gerais está sempre em estado de sobressalto com os acidentes graves com mortos e feridos no Anel Rodoviário de BH; queda de árvores sobre carros e pessoas em qualquer chuva forte em BH; veículos arrastados pelas enchentes e desabamentos nas encostas em zonas de perigo; prédios que desabam por falhas de projeto e erosão de terrenos; aumento progressivo da violência urbana e crônica falta de policiamento.

Os mineiros que foram passar o feriado de Finados no Rio e litoral fluminense pagaram, no total, R$ 53 de pedágio só para o acesso ao Rio. As estradas pioram,e sua conservação se deteriora,havendo até casos de concessionárias que desistiram dos contratos de concessão (como a Via 040), mas os pedágios ficaram como herança macabra.

Foi assim tal como aconteceu na viagens aéreas: as empresas, por ganância de lucro fácil,  passaram a cobrar caro e abusivamente pela bagagem despachada, e os preços das passagens subiram, em vez de baixarem, como a Gol, Latam, Azul e Avianca haviam prometido à Anac. E os passageros caem como patos nessas armadilhas, neste país sem lei e sem ordem, e com uma classe politica imoral, corrupta e safada. 
COBERTURA MEDÍOCRE NOS CASOS CEMIG/PAMPULHA

Tomei a decisão de fazer  assinatura anual do jornal "Valo Econômico", por mais cara que seja, porque ela representa a garantia de estar bem informado sobre dois assuntos de alto interesse:  aviação civil brasileira em geral, e privatização de aeroportos; e as discussões sobre a reabertura dos voos nacionais com jatos no Aeroporto da Pampulha,com fatos novos a cada dia, inclusive ação judicial da da concessionária de Confins (BH Airport), dizendo-se lesada em seus direitos e pedindo que o Superior Tribunal de Justiça (com aquela "ligeireza" de sempre) cancele todos os mais de 70 voos programados pela Gol, Latam, Azul e Avianca.

Outro tema de alta relevância, ignorado pelos meios de Comunicação em MG, e que o "Valor" acompanha com competência e mérito: tudo que se refere à situação econômico-financeira da Cemig, pesadamente endividada, depois de perder metade de sua capacidade de geração com a privatização abusiva e injusta de quatro usinas (São Simão, Jaguara, Volta Grande e Miranda), quando grande parte da Imprensa mineira não soube defender os direitos e interesses de uma companhia escandalosamente roubada, que já foi modelo do setor elétrico brasileiro.

A Cemig foi abandonada no  meio da tempestade. Vergonhoso e lamentável o comportamento do Goereno de Minas, da Assembleia Legislativa de MG e da bancada mineira na Câmara Federal em Brasília. Omissão vergonhosa e comprometedora  desses falsos defensores do povo. São perdas fabulosas de recursos e investimentos, penalizandoas futuras gerações.

Assinar o "Valor", acrescentando mais um item na área de publicações (revistas Veja e Época, e jornais O Tempo, EM, Hoje em Dia, Folha de S. Paulo e O Globo) é um ato de necessidade.  O "Valor" tem, hoje, mais conteúdo e qualidade editorial do que a antiga "Gazeta Mercantil" em décadas passadas. Além do texto primoroso, em Português impecável, e analistas lúcidos e competentes, o grande jornal ecoõmico tem cobertura melhor e mais abrangente de áreas vitais, como aviação civil brasileira, mineração, economia esfacelada e a decadência do setor energético no país.

Desatinados governantes e péssimos administradores estaduais conseguiram atingir em cheio o peito da Cemig, com mais de 60 anos a serviço do desenvolvimento de Minas Gerais - por ela passaram, desde 1952, expoentes da Engenharia nacional como Mário Bhering, Lucas Lopes, Mauro Thibau, Celso Mello de Azevedo, João Camilo Penna, Luiz Cláudio de Almeida Magalhães, Licínio Seabra, Francisco Afonso Noronha e outros executivos de altíssimo nível. Tempos que não voltam mais. Vivemos o risco de milhares de aposentados pela Forluz e outros milhares na ativa terem de pagar caro por esses desatinos.
-------------------

Belo Horizonte/MG - Brasil
10 de novembro de 2017
Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

REABERTURA DOS VOOS NO AEROPORTO DA PAMPULHA NÃO COMPORTA HISTERIAS E EXIGE AMADURECIMENTO



Fachada do Terminal da Pampulha, que fica a 9 km do centro de BH


Belo Horizonte, que é a única capital brasileira a não ter seu próprio aeroporto em funcionamento  normal,operando voos a jato para os principais destinos nacionais, recebeu autorização federal para que esses voos sejam radicalmente mudados - o que provoca discussões, debates passionais, argumentos ilógicos  e manifestações até esquisitas - porque desprovidas de lógica e bom senso. Chega-se a falar em um atentado contra a estabilidade operaciomal do Aeroporto Internacional de Con, como tudo que interessa ao turismo mineiro e à capital de Minas,em termos de economia e desenvolvimento, os assuntos são tratados superficialmente, e por amadores, na maioria das vezes. Falar é fácil, mas o importante é ter o respaldo do profissionalismo, da competência, da comprovada experi\\ẽncia no assunto e da base sólida de conhecimentos.



O tema é vasto e abrangente. Daria para fazer 5 blogs seguidos. Não importa agora se esta decisão do Ministério dos Transportes, publicada no "Diário Oficial da União" de 25 de outubro, foi uma entre as muitas vergonhosas barganhas  políticas patrocinadas pelo presidente Michel Temer para abortar  a ação penal movida pela Procuradoria Geral da República, acusando-o e  pedindo a perda  de seu mandato, e condenação, por corrupção, de dois de seus ministros.


Em fila, os antigos ATR 42 da Trip Linhas Aéreas


Por vias tortas, portanto,chegou-se à decisão de permitir voos nacionais a partir da Pampulha, operados por jatos com mais de 100 lugares, cobrindo longas distâncias, e abrindo esta possibilidade a todas as empresas interessadas: Gol, Latam, Azul e Avianca, e companhias menores e sem jatos, como a Passaredo. Antes, permitiam-se aviões turboélices para até 72 passageiros. Com esta abertura, a Gol pode colocar seus Boeing 737-800, com capacidade de até 184 pessoas, enquanto a Latam pode utilizar Airbus  das séries 319 e 320, variando de 108 até 140 viajantes. E a Azul pode utilizar seus jatos Embraer da série 190 (96 lugares) e série 195, com 118 poltronas. E pode, em rotas de maior demanda, acionar  os novíssimos Airbus A320neo, com mais de 140 lugares.



Depois de anos de ostracismo, após o esvaziamento provocado pela transferência obrigatória da maioria dos voos para o Aeroporto Internacional de Confins, o Aeroporto da Pampulha ressurge agora das cinzas, apoiado por muitos e contestado por outros, mas disposto a dar a volta por cima. Tomara que volte também a sigla antiga, que era BHZ. Há espaço no mercado tanto para a Pampulha (PLU) como Confins (CNF). Um não exclui o outro. Há possibilidade para manter os dois, pensando grande - o que, positivamente, não é um hábito no turismo mineiro, que vive de pires na mão e é um deserto de ideias.




DOIS AEROPORTOS NAS GRANDES CIDADES MUNDIAIS



Todas as grandes cidades do mundo contam com um segundo aeroporto - um internacional, mais distante da zona urbana, para os voos transcontinentais (como Malpensa,em Milão) , e outro mais central, para homens de negócios e viagens curtas (como Linate,em área densamente habitada na metrópole italiana). E ambos estão inseridos na realidade do seu turismo. Em vez de concorrentes rancorosos, eles se completam - cada um com sua fatia de mercado. Não há birras, nem ciumeiras. O importante é o desenvolvimento da cidade e da região. Ninguém reclama de barulho - aliás, os jatos nunca foram tão silenciosos como agora.

Em todas as grandes cidades europeias e norte-americanas, os aeroportos centrais ficam em zonas densamente povoadas e não há protestos ambientalistas, nem os moradores estão preocupados com questões menores. Era preciso fazer, em nome do progresso, e assim foi feito  - como em Londres (tem 3 aeroportos), Paris (3 também), Frankfurt, Berlim, Viena, Bruxelas, Amsterdam, Nova York, Atlanta, Houston, Los Angeles, Chicago, Detroit, Dallas, San Francisco etc (mais detalhes em futuras colunas, .com os nomes e siglas dos aeroportos principais e coadjuvantes).


Não faz sentido reclamar do barulho excessivo dos aviões, que nunca foram tão silenciosos e econômicos. No tempo dos Boeing 707 e Douglas DC-8,voando a mais de 10 mil metros de altura, eles perturbavam a gente cá embaixo com o ruído de seus 4 reatores. As turbinas ecológicas e silenciosas são um dos ganhos reais e visíveis dos tempos modernos. Nos anos 50, quando a Pampulha era muito menos habitada, a população sofria (sem reclamar) com  o excessivo barulho das turbinas dos jatos da época. Perguntem a quem morava lá nos tempos do Boeing 727-100 da falecida Varig. Perguntem a quem se lembra dos barulhentos Boeings 737-200 da extinta Vasp e, pior ainda, dos estridentes BAC One Eleven da mesma empresa. O barulho de suas turbinas britânicas era ensurdecedor. Tentem se lembrar dos Boeing 727-100 da Transbrasil, escandalosos.

A realidade da Pampulha é outra hoje, com tantos bairros novos - como Jaraguá, Santa Amélia, São Luiz, Bandeirantes, Planalto, Céu Azul, Itapoã, Santa Mõnica, Santa Terezinha  e outros. As Associações de Moradores têm o direito de defender os direitos dos moradores, negociando com a Prefeitura de BH e a Infraero o encerramento das operações diárias às 23 horas. Tudo pode ser conversado.  Não argumentem, por favor, que o barulho dos aviões vai perturbar o sono das capivaras que infestam a região da Pampulha.


Um antigo Boeing 727-100 da Transbrasil, um jato com ruído excessivo


Creio que é possível, se as discussões forem menos apaixonadas e radicais, que haja uma proveitosa convivência entre o Aeroporto da Pampulha e a nova gestão do Aeroporto de Confins (administrado pela BH Airport). Os dois podem cumprir suas missões distintas. A BH Airport, que se julga prejudicada, já entrou na Justiça para se defender. A Prefeitura de Belo Horizonte está certa em lutar pela reabertura e dinamização da Pampulha, para desempenhar um novo papel no desenvolvimento da Capital e do Estado de  MG. 


Mas a Pampulha precisa de obras, investimentos inteligentes e solução de problemas difíceis, como o alagamento constante do terminal de passageiros em dias de enchentes, com o repetido  transbordamento dos córregos vizinhos. A estrutura de atendimento do aeroporto precisa ser substancialmente melhorada. É inconcebível que a Pampulha tenha estacionamento para 121 veículos (deviam ser 800 vagas, no mínimo), e banheiros para 15 pessoas.

A Azul pode trazer alguns de  seus jatos Embraer 195 de volta à Pampulha


Até para justificar sua existência - carregando há anos a pecha de ser um cabide de empregos de familiares de militares -, a Infraero tem de ter uma postura mais proativa, enfrentando todos os problemas crônicos do terminal da Pampulha. Está na hora de mostrar. Ela precisa agir como protagonista, não um órgão burocrático cheio de apadrinhados. Ou os aspones negligentes trabalham, ou seam demitidos.  







CAPACIDADE DE 2,2 MILHÕES DE PASSAGEIROS/ ANO  


Em 2013, o Aeroporto da Pampulha quase atingiu 1 milhão de passageiros embarcados e desembarcados, fechando o ano com 989,5 mil. Foi o período em que havia forte presença da Trip Linhas Aéreas, com seus turboélices ATR 42/500, mais tarde comprada pela Azul, tendo extensa rede nacional e operando voos regionais para o Vale do Rio Doce, Vale do Aço e Norte de Minas. A partir de 2013, os números das operações começaram a cair, como se vê: 945,5 mil embarques em 2014; 712,5 mil em 2015; uma brutal queda para  300 mil em 2016; e até junho deste ano, os embarques e desembarques somam 110,6 mil passageiros. A Azul concentrou em Confins toda a sua frota de ATR-72/600. Ela responde por mais de 40% das operações no Aeroporto Internacional, com mais de 80 decolagens por dia, mas faz sentido trazer de volta alguns aviões para os voos com destino ao interior mineiro. Sejamos sensatos: a Pampulha fica a 9 km do centro de BH, e Confins está a mais de 42 km.

A Trip chegou a ter a liderança na operação de voos na Pampulha

Até 2004, a Pampulha tinha um desempenho considerado brilhante, atingindo 3,1 milhões de passageiros,com a transferência dos voos mais importantes para Confins, como as três pontes aéreas (de BH para o Rio, São Paulo e Brasília), ao final de 2005. Assim,  ficou comprovada a perda de prestígio do aeroporto regional: queda geral de 1,3 milhão de passageiros. E seria ainda pior nos anos seguintes: 800,9 mil em 2006; 759,8 mil em 2007; 561,1 mil em 2008; e ligeira subida para 598,3 mil em 2009; e número acima de 700 mil nos embarques e desembarques em 3 anos consecutivos, como 2010 (757,6 mil), 2011 (793,3 mil) e 2012 (774,8 mil).

No ano passado,os 300 mil passageiros praticamente não justificaram que a Pampulha esteja operando, porque perde mercado sucessivamente; e pior ainda este ano, até junho (110,6 mil). Não vai chegar aos 200 mil em 31 de dezembro. Assim, a mudança da qualidade das operações veio na hora exata, com a Pampulha à beira da desativação. A primeira meta será turbinar a Pampulha para atingir sua capacidade de 2,2 milhões de viajantes por ano, que parece ser o limite de seu terminal de passageiros (4.629 metros quadrados).

Não parece ser necessário, no momento, ampliar as dimensões da pista, que são de 2.364 x 45m. O pátio 1, com 139.310 metros quadrados, comporta oito aeronaves ao mesmo tempo,enquanto o pátio 2 pode abrigar 43 aeronaves. Isso dá para o gasto. Mas são bem-vindas ampliações futuras, e a Infraero terá de ficar muito alerta quanto a essas novas demandas. Mexa-se.



    GOL SAI NA FRENTE ANUNCIANDO 33 NOVOS VOOS

Várias vezes, pela imprensa, os brasileiros souberam de financiamentos da Gol Linhas Aéreas para partidos políticos e governantes. E os fatos comprovam que, de fato, a Gol parece estar sempre bem informada. Agora, a empresa da família Constantino, de Patrocinio/MG, está na "pole position" à espera de uma autorização da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac) para iniciar a operação de 33 novos voos com destino a 14 cidades brasileiras, principalmente com praias e hotéis de luxo no Nordeste.  A Gol espera iniciar as operações em 15 de janeiro, o que parece não fazer sentido, pois a temporada de verão  e festas de fim de ano começa em dezembro. Assim. deve haver uma antecipação.

Entre os destinos contemplados com esses voos, estão Ilhéus, Porto Seguro e Salvador, na Bahia (Ilhéus vive reclamando a falta de voos procedentes de Belo Horizonte), e ainda ligações diárias regulares para Natal-RN, Maceió-AL, Recife-PE, Fortaleza-CE, Belém do Pará e São Luís do Maranhão. Haverá ligações também para Goiânia, Vitória, Santa Maria-RS , Florianópolis e o interior paulista (Presidente Prudente e Ribeirão Preto).

A Latam Airlines, com sede em Santiago do Chile, não informou ainda seus planos em relação à Pampulha. Quanto à Avianca, ela pretende voar da Pampulha para o  Rio (Galeão e  Santos Dumont), São Paulo (Congonhas e Guarulhos) e Brasília. Para não perder espaço, a Azul Linhas Aéreas deve revelar seus planos os próximos dias. Pode voltar alguns ATR-72/600 à Pampulha para as rotas do Norte de MG, Vale do Aço e Vale do Rio Doce, e colocar alguns jatos Embraer 190 e 195 para rotas mais nobres,como as capitais do Nordeste. A Gol parece querer consolidar a liderança nas operações domésticas, enquanto a Azul quer se estabilizar na terceira posição. A Latam é a maior incógnita  no momento. Aguardemos o que os irmaos Cueto vão decidir em sua luxuosa sede no Alto de Las Condes, parte nobre de Santiago do Chile



   EXCURSÕES  PARA  FERIADOS DE NOVEMBRO

Buenos Aires é sempre um bom programa para viagens nos feriados


1) FERIADOS EM BUENOS AIRES: com saída em 2 de novembro, as agências de viagens estão vendendo um pacote de 5 dias para Buenos Aires, com 4 noites de hospedagem (com café da manhã) no Hotel Unique Executive Central, 3 estrelas. O pacote inclui passagem aérea, traslados e passeio pela capital portenha. Custo de R$ 1.992 por pessoa à vista, ou parcelamento em 12 sem juros de R$ 166.Dica de compras: o shopping Galerias Pacifico, no centro da capital da Argentina.


2) PRATAGY BEACH RESORT em Maceió: um pacote de oito dias na bela capital de Alagoas,com passagem aérea, passeio pela cidade, traslados de e para aeroporto,e sete diárias de hospedagem,em regime tudo incluído, no Pratagy Beach Resort,  de 5 estrelas. Custo por  pessoa de R$ 3.268, ou 12 parcelas mensais sem juros de R$ 272. Preço válido para saída em 25 de novembro


3) LA TORRE RESORT EM PORTO SEGURO: embarque em 4 de novembro para a Terra do Descobrimento do Brasil,com passagem aérea,traslados, passeio pela cidade e sete dias de hospedagem no famoso La Torre Resort. de 5 estrelas, com tudo incluído. Custo por pessoa de R$ 3.078,ou 12 prestações de R$ 256 sem juros. Outras opções e tarifas para as férias de dezembro, passagem de ano e toda a temporada do Verão 2018. 

4) NOVEMBRO EM PORTUGAL : saida em 2 de novembro,direto para Lisboa, iniciando um pacote de 10 dias,com guia acompanhante falando português durante toda a viagem. Hospedagem sempre com farto cafe da manhã. São 3 diárias de hotel em  Lisboa,  uma em Coimbra, uma em Évora e 3 na Cidade do Porto. Passeios panorâmicos em Lisboa, Évora,Coimbra, O Porto e cidade de Guimarães. Custo final de R$ 6.696 por pessoa,com financiamento em 12 mensais de R$ 558. Serviço de maleteiro incluso em todos os hotéis. Um programa da CVC à venda em suas  lojas nos principais shoppings de BH.

5) HOTEL RITZ LAGOA DA ANTA, EM MACEIÓ: um roteiro da Azul Viagens para as praias alagoanas, com 8 dias e 7 noites no Hotel Ritz Lagoa da Anta, passeio pela cidade de Maceió e praias do Litoral Norte. Diárias com café da manhã. Saída em 19 de novembro. Preço por pessoa de R$ 1.944 à vista ou dez pagamentos de R$ 194 sem juros.Pacote à venda nas principais agências de BH.


6) NOVOTEL BARRA DA TIJUCA: de frente para   o mar, no posto 7 da praia de Sernambetiba,o Novotel Barra tem uma oferta especial para os feriados de novembro, tarifa de R$ 310 mais 5% de ISS por casal com filhos, que se hospedam de graça. Piscina com raia no terraço do hotel, com bela vista; serviço de bar, e ainda academia de ginástica,ducha e sauna. Serviço de assistência na praia. Um café da manhã que está entre os melhores da hotelaria da Barra. Reservas diretas pelo fone (21) 3504-3000.Central de reservas Accor: 0800-703-7000, De frente para o mar, a famosa barraca do Romarinho. Perto dos principais  shoppings da Barra.


           A piscina com raia no último andar do Novotel Rio Barra


PS:  Se for viajar, cuidado em dobro com tantas estradas pessimamente conservadas e mal policiadas. Mais dicas de viagens na próxima edição.


-------------


BELO HORIZONTE/MG - BRASIL

30 de outubro de 2017

Editor - Helio Fraga
Postagem e edição -Ana Cristina Noce Fraga

(E-mail: hfraga.rmj@gmail.com)