quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Mosteiro dos Jerônimos, principal estrela de Lisboa

Mosteiro dos Jerônimos: beleza arquitetônica na capital de Portugal 
Só podia ser ela, Lisboa, a luminosa capital de Portugal, escolhida como  tema de abertura deste blog. Por ser a única cidade da Europa com ligação direta, em voos regulares ao Aeroporto Internacional BH/Confins. Para muitos brasileiros, Lisboa foi quase sempre uma estranha ou desconhecida. Mas, depois da abertura das rotas da TAP para mais oito cidades do Brasil, além do Rio e Sao Paulo, ela acabou se transformando na favorita  porta de entrada e de saída. Dificilmente o turista em trânsito deixa de passar 1 ou 2 dias na cidade do Mosteiro dos Jerônimos, Torre de Belém, Castelo de São Jorge, Restauradores, Avenida da Liberdade, Praça do Marquês de Pombal, Alfama, Mouraria e das casas de fado.

O Mosteiro dos Jerônimos - majestoso e imponente - é a principal estrela de Lisboa. Construído no começo do século 16, foi milagrosamente poupado pelo devastador terremoto que arrasou a capítal portuguesa em 1755. Suas linhas arquitetônicas são maravilhosas, perfeita combinação dos estilos gótico e renascentista na época manuelina. Sua construção é tão esmerada que o a fachada, portais, claustro, abóbadas, corredores e jardins interiores foram feitos em renda bordada e depois revestidos de cimento.

O Mosteiro é valorizado pela proximidade de dois marcos arquitetônicos de Lisboa: a Torre de Belém, edificada às margens do Tejo, entre 1515 e 1521, e o Monumento aos Descobridores, construído no século passado em honra do Infante Dom Henrique, no quinto centenário dos descobrimentos. O final de tarde na região dos Jerônimos chega a ser empolgante, e continua belíssimo à noite, com as águas coloridas da fonte luminosa nos seus impecáveis jardins.

É impossível visitar os Jerônimos e, depois, não passar pelo Museu dos Coches, na Praça Afonso de Albuquerque, coleçãodas carruagens reais dos séculos 17, 18 e 19; e experimentar os famosos pastéis de Belém, junto aos trilhos dos bondes comuns ou elétricos, na mesma casa decorada com azulejos azuis e brancos, uma tradição que vem de 1837. São os pastéis de nata mais famosos de Lisboa. Rivalizam com os doces portugueses da Confeitaria Nacional, aberta há mais de 180 anos na Praça da Figueira.

Por mais escasso que seja o tempo do turista, ele precisa conhecer pelo menos o Aqueduto das Águas Livres, o Arco da Rua Augusta e Praça do Comércio, a Praça da Figueira, a Praça dos Restauradores, a Estação do Rossio, a Igreja de Santo Antônio, a modesta e quase escondida Sé de Lisboa e o mirante do Castelo São Jorge (melhor vista da cidade),conquistado pelos cristãos em 1147 e antes fortaleza dos mouros.

Para quem tiver mais tempo, vale uma subida no Elevador de Santa Justa e uma visita ao Museu Gulbenkian, Museu do Oriente, Museu de Arte Egípcia etc. Não se esquecer do Parque das Nações, onde estão o Cassino de Lisboa,Oceanário, pavilhões da Feira Internacional de Lisboa, Shopping Vasco da Gama e hotéis de luxo, como o Epic Sana. 

Vale lembrar que Lisboa tem o inverno mais ameno e agradável da Europa.onde os termôetros marcam agora máxima de 17º  e mínima de 15 graus. Nenhum risco de nevascas e estradas interditadas. É o que se pode chamar de um inverno camarada, apesar desta chuva fina e ventos de 24 km por hora, que se prolongam até o próximo sábado, dia 19..

2 comentários:

  1. Parabéns por mais uma empreitada e sua vida,que, com toda certeza, em breve também será um sucesso, tal como sua carreira!
    Pode estar certo de que serei sua leitora assídua e número um!
    Amei a primeira postagem, sou louca para conhecer Portugal!
    Um grande abraço, com todo carinho:
    Sabrina

    ResponderExcluir
  2. Pai,

    O Blog está um sucesso! Parabéns pelo seu profissionalismo e sua dedicação constante.
    Beijos com amor,
    Ana Cristina

    ResponderExcluir