quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

DAVOS, SUÍÇA, ONDE ESQUI E ECONOMIA SE MISTURAM





Neste final de janeiro, como acontece todos os anos, chefes de Estado estão reunidos para debater problemas da política e economia globais em Davos, na Suíça, famosa por seus esquiadores campeões. A temporada de esqui dura cem dias nesta região. Ainda bem que o Fórum Econômico Mundial -  WEF dura apenas cinco dias. Depois, a pequena cidade volta ao normal e os figurões voltam a seus países de origem.
Hoje e aqui, não se discute a necessidade, mérito, oportunidade ou praticidade deste WEF, mesmo porque, analisando algumas presenças, a gente pode notar que foi mais um passeio às custas dos contribuintes de nações endividadas.  Continua cada vez  maior o abismo entre ricos e pobres. Quais foram os resultados práticos de tantos debates nesses 44 anos em Davos? O que eles significaram para milhões de habitantes das nações exploradas e empobrecidas?
Assim, fala-se agora em Davos apenas por causa de sua importância entre os centros de esqui na Suíça. Nesta época do ano, temperatura máxima de + 2 graus, e mínima de menos 8. Nesta região dos Alpes eternos, as altitudes variam de 1.124m a 2.844m. As principais pistas de Davos e sua vizinha Klosters são Parsenn, Gotschna Jakobshorn, Pischa, Madrisa e Rinerhorn. 


O acesso às partes mais altas pode ser feito por bondes aéreos em cabos de aço, por aquelas 58 cadeirinhas (ski lifts), ou pelos trens da ferrovia nacional SBB - como o Bernina Express, com direito a paisagens deslumbrantes, ou pelo Glacier Mountain Express, famoso mundialmente.
Mas os esportes de inverno, como os 75 km de crooss-country, movimentando toda a região, não significam tudo: Davos oferece todo tipo de diversão noturna em bares, restaurantes, clubes e discotecas (tem até cassino), além de uma rede hoteleira de primeira categoria, centros de compras, joalherias e relojoarias, e uma pista de patinação no gelo (ice rink).
Estive apenas uma vez nesta região, em 1974, num programa individual organizado pelo antigo SNTO (Swiss National Tourist Office), a pedido do sr. Hans Kissenpfennig, então diretor geral da antiga Swissair no Brasil. Davos, tão pequena e tão linda, me causou tal impacto que decidi, uma década depois,  colocar no meu livro "Andanças - Pelos Caminhos do Mundo", editado em 1987, um capítulo especial sobre a importância do esqui na vida dos suíços e o mundo de dinheiro que isso atrai para o país. É o que vamos ver em seguida.


DAVOS TEM UM ENCANTO -  UMA CIDADE-PRESÉPIO
Trechos selecionados neste capítulo sobre Davos no "Andanças", lançado pela Editora Lê (José Orlando Pinto da Cunha), ainda na memória de tantos jovens mineiros:
-"Davos parece um pequeno presépio, uma cidade rodeada de montanhas brancas de neve, cercada de pinheiros verdes e gigantescas formações de pedra, e por essas encostas íngremes milhares de jovens descem de esqui em alta velocidade, alucinante mesmo, brincando de driblar focos de neve. Davos tem tudo o que outras estações de esqui têm ou gostariam de ter, mas possui aquele algo mais que a transforma num pedaço de sonho que todo jovem gostaria de viver".
(Nota indispensável: os números aqui citados são de meados dos anos 70 e não foram atualizados) -"A pequena Davos tem apenas 12 mil habitantes, mas recebe 2,5 milhões de turistas por ano, sendo 850 mil no verão e mais de 1 milhão e 600 mil nas temporadas de inverno. Seus 130 hotéis não seriam capazes de abrigar todo mundo, com seus 6 mil leitos - então, Davos recorre às casas de família, que recebem estudantes pela quinta parte do preço de um aposento de hotel. Assim, são mais 8.500 leitos adicionais. Outras estações de esqui famosas no pequeno país: Gstaad, Saint Moritz e Zermatt".

-"Os jovens, com suas mochilas e os pares de esqui carregados nas costas, podem ainda ficar em escolas públicas nos períodos de férias. Cada um se acomoda como pode. No inverno, as descidas arriscadas pelas encostas; já no verão, de junho a setembro, as caminhadas nas montanhas e os festivais de música. O importante é estar aqui e participar desta festa".

-"No inverno, as lojas da rua principal estão mais coloridas do que nunca: à mostra, os pares de esqui das marcas Fischer,  Rossignol, Lance, Head e Kneissl;  os indispensáveis gorros de lã;  blusões de couro, napa ou plástico; luvas e óculos escuros, indispensáveis para a descida nas montanhas; e as botas com o logotipo da Paramount, Henke, Molitor ou Heierling".

-"Em Davos as pessoas andam mais no ar do que no chão. Os bondes aéreos cruzam o espaço o dia inteiro, levando esquiadores até as regiões mais altas. Alguns bondes, suspensos por cabos de aço como o bondinho do Pão de Açúcar, podem levar de 40 a 60 pessoas de cada vez, nos dois sentidos; e as cadeirinhas vagarosas e enfileiradas transportam apenas 2 passageiros, dependurados no espaço, sentindo um frio na barriga diante de uma paisagem tão maravilhosa".
-"Há trens vermelhos da ferrovia nacional SBB subindo até onde for possível no alto das montanhas. O pico principal é o Jakobshorn - imponente e monumental. Lá de cimna, a gente mal distingue, no meio de tantos chalés e casinhas cobertas de neve, e a torre alta e escura da igreja, o pequeno rio Landwasser, que corta Davos. Uma paisagem para nunca mais esquecer",

UM ALÔ PARA TANTOS QUERIDOS AMIGOS DISTANTES
Este blog completou 1 ano no dia 17 de janeiro, totalizando mais de 10.000 acessos- 75% no Brasil e 25% no exterior, totalizando mais de 45 países. Há dezenas de amigos espalhados por este vasto mundo de Deus, e esta é a forma de - citando seus nomes e cidades - dizer um alô a todos eles e desejar-lhes um ano próspero e feliz. Vamos começar pelos Estados Unidos, disparados na liderança no exterior. E iniciar justamente por Nova York, a Capital do Mundo, aqui representada por uma visão de Times Square:
De NYC: Renato Rufino (Broadway.com), Solangi Peralta (Top of the Rock, no Rockefeller Center), Erika Elisabeth (Harlem Gospel Tours), Lucille Yokell (The Wellington Hotel), Belinda Medina (The New York Palace), a querida Lola Preiss (The New York Hilton), e todos os amigos da NYC Company, Intrepid Air & Space Museum, Circle Line, Radio City Music Hall, Empire State Building, AMNH - Museu Americano de História Natural, na Central Park West com Rua 79.

De Miami e Miami Beach, Coral Gables, Hollywood, Bal Harbour, Aventura e Fort Lauderdale: Jason Mosquera (Intercontinental Miami), Edlyn Rodriguez (The Alexander), Alexandra Wensley, ex-Pangas (Mandarin Oriental
Miami), Nancy Bedoya (The Biltmore), Francisco Blanch (Fontainebleau Miami Beach), Mynel Alvarez-Requejo (Dolphin Mall), Andrew Newman e Josie Glikksen (Newman PR), Mercedes Barrios (Sheraton Fort Lauderdale), Francine Mason e Alfredo Gonzalez (Ft. Lauderdale CVB), Dolores Molina (Sawgrass Mills) e a turma do Marketing e R.P. de Coconut Grove, Aventura Mall, Dadeland Mall, Bayside, The Falls, Cocowalk etc

De Orlando, Flórida: Sarah Domenech (Disney Parks), Juliette Gebbken (Universal Orlando), Tony Altobelli (ex-Disney Parks): e toda a turma do Marketing de Sea World, Wet'n Wild, Busch Entertainment (Tampa), Wilma Turner (Daytona Hotels),  Vicki Johnson (Orlando), Debi DeBenedetto (Marco Island), Fort Myers CVB, Naples CVB, Kissimmee-St. Cloud, Kennedy Space Center, St. Augustine CVB, Jacksonville CVB etc.

Da Califórnia: Angela Jackson (San Francisco CVB), Alexandra Picavet (National Park Service, San Francisco), Carol Martinez (Los Angeles CVB), Lauren Riggers (Santa Monica), Maureen Schumacher (The Beverly Hilton), Renee Martin (Pier 1, San Francisco), Camille Krehbiel (Long Beach), Joe DeAmicis (Six Flags Magic Mountain), Anaheim CVB, Long Beach CVB, San Diego Zoo, Pasadena CVB, Venice CVB , Knott's Berry Farm, Marineland, Molvieland Wax Museum etc.
Outros amigos espalhados pelos EUA: Cap. Ralph D.Loewinger, ex-comandante dos Boeing 747 da Pan Am, e sua esposa Sharon (Daytona Beach), Rafael Villanueva (Las Vegas), Carlos Hernandez (Lewisville, Texas); Bill Howard,  Sarah Solomon e Gabriela Gonzalez (Atlanta), David Blandford (Seattle), Pete Garcia (Kingwood, Texas),  Michael K. Cooper (Kentucky),  Andrew Davidson (Grand Hyatt Dallas), Carrie Head (San Luis Obispo), Constance Keabe (Atlantic City), Melissa D,. Mann (Indianapolis), Christopher Glynn (Niagara Falls), Patrick Hynes (Anaheim Hilton), Laura McMurchie (Scottsdale, Arizona) e Tracie Cayford (Salt Lake City).
... E ainda ficam faltando nomes de velhos conhecidos em Newark-NJ, Philadelphia, Madison-Wisconsin, Reno-Navada, Key West,  Amelia Island, Clearwater, St. Petersburg, Delray Beach, Palm Beach-FL, Nashville e Knoxville (Tennessee), Portland-Oregon, Denver, Pittsburgh, Cleveland, Washington DC, Phoenix-Arizona, e minha querida e tão sofrida New Orleans (Louisiana), da qual tenho a honra de ser cidadão honorário, título recebido em 1989. Grande abraço a todos.


   RONALDO, O DESAFIO DAS ÁGUAS DE MINAS

Ronaldo Vasconcelos está empolgado com este novo desafio profissional

Ele é muito conhecido no meio turístico mineiro, e sempre foi um batalhador pelas suas melhores causas: o ex-deputado federal Ronaldo Vasconcelos é o novo presidente da empresa Águas Minerais de Minas Gerais, criada pela Copasa em 2007 para gerir este fabuloso recurso natural de nosso Estado. Ronaldo está empolgado com os desafios à frente e espera atingir todos os objetivos planejados pela Copasa e o Governo de MG.
Para reunir seus amigos de várias áreas - política, administração pública, meio empresarial, entidades de classe, lideranças, meios de comunicação etc -, Ronaldo programou um café da manhã diferente na sexta-feira, 24 de janeiro, a partir das 8h30, na sede da empresa na Pampulha: uma degustação das melhores águas minerais do Estado, produzidas em Araxá, Caxambu, Cambuquira e Lambari. As águas de São Lourenço não pertencem à Copasa, sendo exploradas pela Nestlé.
Com comprovadas qualidades medicinais, e utilizadas para tratamento de várias doenças, essas águas naturais gasosas jorram dia e noite, ininterruptamente, nas fontes espalhadas pelas quatro cidcades, mas há um limite para sua captação. São aproximadamente 2.500 litros por hora em Cambuquira, 4.800 em Lambari e 9 mil em Araxá.
A sede da Águas Minerais de Minas Gerais S.A. fica na Av.Octacílio Negrão de Lima 2202, perto da rotatória do Mineirinho, na direção do Iate. Para conhecer melhor  acesse www.aguasdeminas.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário