terça-feira, 14 de janeiro de 2014

ILHA DA MADEIRA, ESPETÁCULO INESQUECÍVEL





Ponha este lugar nos seus planos de futuras viagens, quando o assunto for festa de Réveillon: Funchal, capital da Ilha da Madeira, a 1h15m de voo partindo de Lisboa. O show de fogos na noite de 31 de dezembro é considerado um dos mais emocionantes do mundo, embora seja praticamente ignorado pelas grandes redes mundiais de televisão, e ofuscado pela maciça divulgação dos espetáculos pirotécnicos na orla de Copacabana, e em Sydney, Nova York, Londres, Roma, Paris, Berlim etc.

O espetáculo é tão lindo e empolgante que atrai visitantes de todos os continentes - com predominância de escandinavos, alemães, austríacos, russos, holandeses, espanhóis, italianos, franceses e, naturalmente, cidadãos portugueses.
Além dos voos normais na alta estação do inverno europeu, há também dezenas de fretamentos turísticos com bagagens etiquetadas para FNC - o símbolo internacional da capital da escandalosamente bela Ilha da Madeira.
Escrevi algumas vezes, nos bons tempos do falecido Caderno de Turismo do jornal "Hoje em Dia": a Madeira é um dos lugares mais bonitos do mundo, entra fácil em qualquer lista dos 10 Mais, pela perfeita combinação entre mar e montanha, .lugares paradisíacos, picos majestosos, milhares de flores que se esparramam por todos os cantos da ilha, vinhedos  subindo pelas encostas e vistas deslumbrantes.
Aqui estão os famosos vinhos da Madeira, famosos mundialmente, e seus ricos bordados artesanais. Alguns cenários de Funchal e arredores são de perder o fôlego. Você tem de respirar fundo, arregalar os olhos e beliscar o braço: isto aqui é realidade mesmo, você não está sonhando acordado.
Se o Turismo de Portugal investisse com mais intensidade e mais competência na promoção internacional, e cuidasse da Ilha da Madeira com mais carinho e atenção, o número de visitantes poderia quintuplicar. Vamos começar pelo Brasil: a maioria de nossos viajantes de classe média alta, mesmo os de gosto mais apurado, desconhece esta ilha plantada no coração do Oceano Atlântico  e que pode ser chamada de paraíso sobre a face da terra.
Nesta edição, faz-se uma merecida homenagem ao Réveillon de Funchal, que teve a presença de três grupos mineiros organizados pela Saint Germain Turismo e Viagens, totalizando 125 passageiros. Cada um deles deve ter voltado com a conclusão de que assistiu a um do mais belos espetáculos que se pode ver. E com vontade de repetir nos anos que virão.
Sem a grandiosidade do espetáculo de Copacabana, a explosão de fogos na Madeira foi vista por milhares de pessoas

Se a Madeira é empolgante em qualquer época do ano, no inverno ela parece ser ainda mais agradável, com dias claros, céu azul e temperaturas amenas, contrastando com o rigor do frio que atinge os principais países europeus. Vamos em frente então, pois  a Madeira tem inesperados encantos e cenários inesquecíveis - como Porto Moniz, Curral das Freiras, Ponta de São Lourenço, belos mirantes, jardins e flores a perder de vista, enseadas de beleza estonteante, paredões de pedra que brotam do mar, picos que parecem subir ao céu, água corrente em abundância, campo de golfe Santo da Serra etc. E um complexo de túneis e autopistas de fazer inveja ao Brasil.

 FORAM 13 NAVIOS  E MAIS DE 20 MIL PASSAGEIROS
Enquanto o Réveillon de Copacabana teve a presença de nove grandes transatlânticos, apresentando um espetáculo de fogos que tem tudo para ser o número 1 do mundo, no porto de Funchal, e espalhados pela baía, havia 13 navios estrangeiros, lotados, participando desta grande festa. Mais de 20.200 passageiros e 1.300 tripulantes chegaram pelo mar e faltou espaço, embora o porto de Funchal tenha passado por um processo de modernização e ampliação  de sua capacidade.
Como não estive lá, pedi ao meu grande amigo Isidro Pita, que trabalha em hotelaria e turismo (Hotel Vila Galé Santa Cruz) para nos mandar um resumo da festa. Com toda boa vontade, ele enviou este texto:
-"As comemorações da entrada em 2014 estão entre as mais emocionantes que já tivemos na Madeira. A explosão dos fogos durou cerca de 10 minutos, em Funchal e na parte sul da ilha. Toda a região central da capital, do porto e da baía ficou superlotada. Milhares de pessoas se espalharam pelas alamedas e praças públicas, pelos balcões das mansões e terraços dos hotéis e restaurantes. Foi lindo de se ver".
-"Seguindo a tradição, os grandes hotéis de Funchal reuniram seus hóspedes nos amplos terraços e jardins, e nas piscinas e quadras, e nas varandas, de onde eles tiveram uma vista privilegiada. A ocupação da rede hoteleira esteve entre 90 e 100%. A Madeira caprichou ao máximo para a festa ser realmente empolgante. Os preços estiveram à altura da grande celebração".
-"No nosso hotel Vila Galé Santa Cruz, após um finíssimo jantar de gala, os clientes  foram levados ao centro de Funchal, ficando mais perto do show. Na volta do espetáculo pirotécnico, outro buffet de gala os esperava.  Milhares de pessoas (a Madeira tem população de 300 mil) saíram de suas casas em Santa Cruz, Câmara de Lobos, Machico, Ribeira Brava, Porto Moniz, Santana, São Vicente, Calhetas e Ponta do Sol".
-"Os hotéis de luxo de Funchal, e seus cassinos, se esmeraram para produzir uma festa grandiosa, de arromba mesmo. No Reid's Palace, a ceia de gala e a festa custaram 500 euros por pessoa, mais de R$ 1.700 em moeda brasileira. No Cassino da Madeira e Pestana, o menor custo per capita foi de 150 euros - mais de R$ 600. Grandes celebrações aconteceram também nos hotéis Carlton, Enotel Madeira Lido, Porto Bay, CS Madeira, Meliá e Raga - todos com jantar fino e fogos no terraço".
-"Importante lembrar que a maioria dos restaurantes de frente para o mar, ou em posição estratégica para ver os fogos, estiveram lotados. No restaurante Forte de Santiago, junto à baía de Funchal, o custo foi de 140 euros por cliente. Também ficaram lotados os restaurantes A Tasca Portuguesa, A Montanha, Casa Madeirense, Dona Amélia, Casa Velha e outros".
-"A participação popular também foi emocionante, com as típicas barraquinhas vendendo a poncha regional, vinhos da Madeira, a cerveja local Coral, muitos licores, pão rústico, broas, sopa de trigo, canja de galinha e pratos tradicionais portugueses. Toda a ilha estava na expectativa de ver, dias depois, a eleição do madeirense Cristiano Ronaldo como ganhador da Bola de Ouro da FIFA, superando Leonel Messi e Franck Ribéry" (como de fato aconteceu)". 

-"A fina gastronomia madeirense esteve em evidência, com pratos elogiadíssimos. Não faltou o bom bacalhau. Tivemos também a exposição de belos presépios, abertos à visitação;  grupos de cantares populares; figuras natalinas circulando pela cidade com balões de diferentes cores. Um lindo Natal e uma passagem de ano para não se esquecer".

Os 20.200 passageiros dos 13 navios ancorados puderam ver o show de luzes e de cascatas coloridas muito de perto

 

Participantes de um dos grupos mineiros da Saint Germain em frente ao Mosteiro da Batalha



     O SUCESSO DA EXPERIÊNCIA DA SAINT GERMAIN
A Saint Germain Turismo e Viagens, de Wander Carvalho Dias e seu filho Ricardo, gostou muito do resultado da excursão para o Réveillon na Ilha da Madeira, e pretende ampliar seus grupos em dezembro deste ano. Já  deixou 180 reservas confirmadas na rede hoteleira de Funchal. Como desta vez, os voos serão pela TAP.
Os 3 grupos embarcados no mês passado tiveram 125 viajantes no total: um grupo com 35 e dois outros com 45 cada. O programa básico custou 1.450 euros na parte terrestre, com acomodação em duplo, e parte aérea a  US$ 1.639 mais taxas, convertidos em reais na data da compra. A Saint Germain pediu 20% à vista na parte terrestre, e o restante em 4 vezes no cheque pré-datado ou cartão internacional, e bilhete aéreo em 5 vezes sem juros, com taxas de embarque incluídas na primeira parcela.
Os programas já estão sendo lançados. Embarques em Confins no final de dezembro de 2014.
Num dos roteiros do último Réveillon, a parte terrestre custou 1.580 euros por pessoa em duplo, mas com todos os hotéis de 5 estrelas: Dom Pedro em Lisboa, Meliá Madeira Maré em Funchal e Tiara Park Atlantic na cidade do Porto. Outro grupo ficou no Hotel Fênix em Lisboa, 4 estrelas, e Enotel Lido Madeira, 5 estrelas.
Os roteiros básicos incluem passeios por Lisboa, visitando Torre de Belém, Mosteiro dos Jerônimos, Padrão dos Descobrimentos e outras atrações da capital portuguesa; e na Madeira, excursões a locais importantes da ilha, como Curral das Freiras, visita ao Mercado dos Lavradores (imperdível) e tempo livre para compras, degustação de vinhos e licores madeirenses, e jantares em restaurantes finos.
Na volta a Lisboa, há passeios pela região de Sintra, Cascais, Estoril, Cabo da Roca (o ponto mais ocidental da Europa), praias de Nazaré, Basílica da Virgem de Fátima, a histórica vila de Óbidos e visita ao Mosteiro da Batalha (foto de integrantes do grupo mineiro acima). No tempo livre, os turistas podem conhecer o Parque das Nações, Oceanário,  Cassino de Lisboa, Pavilhão dos Descobrimentos, Parque Eduardo VII, Alfama, Castelo de São Jorge, Arco da Rua Augusta (totalmente reformado), Rossio, Chiado, Av. da Liberdade, Aqueduto das Águas Livres, shopping Amoreiras, Terreiro do Paço, Baixa Pombalina etc.
Já os roteiros que incluem o Norte de Portugal, começando pelo Porto, têm programadas visitas a Guimarães, Pinhão, Peso da Régua, Vale do Douro e Instituto Nacional do Vinho do Porto, criado em 1932 para aferir a qualidade das vinícolas da região. Há também programas de desgustação de vinhos do Porto nas caves mais prestigiadas de Vila Nova de Gaia.
Para maiores informações, consultar a Saint Germain pelo fone (31) 3291-1630. Veja o site www.saintgermain.com.br ou comunique-se pelo e-mail diretoria@saintgermainturismo.com.br. A empresa tem sede em Belo Horizonte, à Av.  do Contorno 7962, Pilotis, bairro de Lourdes.
As piscinas naturais de Porto Moniz atraem milhares de visitantes à Ilha da Madeira

O Jardim  Botânico da Madeira é considerado um dos mais importantes do mundo


    O RENAISSANCE JARAGUÁ, EM SANTO DOMINGO

Para quem nasceu em Jaraguá-Goiás, e lá foi registrado há sete décadas, uma das maiores alegrias no final de 2013 foi conhecer um hotel com o nome de minha cidade: o Renaissance Jaraguá Hotel & Casino, em Santo Domingo, capital da República Dominicana.
A escolha do hotel foi feita pelos amigos e afilhados Túlio Cambraia e Bete, ele experiente profissional da área de turismo, com passagem por importantes agências, e trabalhando agora no setor de cursos e eventos da Unimed -BH. Túlio descobriu o hotel na internet, gostou do que viu, e reservou dois apartamentos duplos por apenas 1 noite - 13 de dezembro, véspera do embarque no navio MSC Musica para um cruzeiro pelo Caribe Francês.  Preço final de US$ 103 por apartamento. Vale pelo menos 3 vezes mais, comparado com alguns hotéis de BH.
A impressão do hotel foi a melhor possível. Acomodações amplas, com linda vista da orla marítima de Santo Domingo e sua zona hoteleira, com concorrentes de peso e prestígio. O café da manhã pode ser considerado excepcional, com serviço idem. Combinação perfeita de ótima comida e atendimento nota 10. Superlativo em matéria de serviço. Nunca vi nada parecido nos mais de 250 hotéis que conheço no Brasil.
Atendimento impecável em todas as áreas, começando pela Recepção, onde destaco Wladimir Restituyo, líder do Front Desk, muito atento e prestativo. Depois dessa rápida hospedagem, fiquei sabendo, já no Brasil, que o gerente geral é Eduardo Reple, que já exerceu cargo idêntico no antigo Brasilton Contagem. Sei que deixou muitos amigos no turismo de BH e depois seguiu sua carreira no exterior.
Em abril próximo, o Renaissance Jaraguá será fechado para uma reforma geral, redecorando todos os apartamentos e ampliando as áreas de eventos e lazer. Reabertura prevista para o final do ano. O hotel fica na Av. George Washington 367. Veja mais sobre ele no site www.renaissancehotels.com. Reservas e informações pelo fone 1.809.221-2222.
 
VALORIZAR MAIS O RÉVEILLON DE BELO HORIZONTE

Agradeço os comentários e sugestões relativos àquela matéria da edição passada, sobre o fato de o Réveillon de Belo Horizonte ser ignorado pela Rede Globo e a chamada grande imprensa. Pelo alcance nacional de sua cobertura, e pela força das imagens captadas pelas câmeras da Globo, é preciso que as cabeças pensantes do turismo mineiro - e especialmente dos órgãos oficiais que cuidam do setor - comecem a trabalhar desde já para que a capital de Minas apareça melhor na fita no próximo final de ano.
Nosso Réveillon precisa, de fato, ser mais valorizado e melhor divulgado. Não só ele, mas também o Carnaval, a Semana Santa e os feriados. Os meios de divulgação estão abertos à sua disposição, e os clubes e associações devem promover melhor suas festas. Até prova em contrário, ninguém paga nada por isso.Tudo de graça mesmo.

A carência de mais promoção é evidente em Minas Gerais, começando pela Semana Santa. Todo ano é aquela luta pra se conseguir as informações básicas, e com grande antecedência. O mesmo acontece com o Carnaval nas cidades históricas, e as atrações das estâncias hidrominerais o ano inteiro.
Precisamos trabalhar com mais planejamento e um mínimo de competência - se não for pedir muito.
Hélio Fraga.


Nenhum comentário:

Postar um comentário