quinta-feira, 3 de julho de 2014

BRASIL X COLÔMBIA: QUEM FICA?

Cartagena das Indias é um dos lugares mais bonitos da América do Sul



Brasil x Colômbia amanhã, dia 4 de julho, às 17h, em Fortaleza. Um jogo decisivo para as duas seleções, na base do vencer ou cair fora. A hora de a onça beber água, como disse hoje o grande Tostão,  na sua coluna em "O Tempo" e outros jornais. É tudo ou nada; alegria ou desespero; ter explicações ou não saber como encontrá-ĺas, diante da expectativa otimista exagerada  que se criou, no país dos superfaturamentos e manipulações das massas.

Será um teste para os corações e os nervos dos torcedores. Um passaporte imediato para a glória de chegar à semifinal e ao título; ou voltar para casa (ou cair aqui mesmo em sua casa). Para o Brasil, certamente, sua partida mais importante neste Mundial.


James Rodriguez, camisa 10, é referência nesta Copa pelos 5 gols


Nas Copas - já nas eliminatórias, e muito mais nas oitavas e quartas de final - muitos resultados são imprevisíveis. Alguns times se agigantam e jogam tudo o que sabem, e até o que não sabem,  em 90 minutos, e lutam como leões nas prorrogações; e há outros, considerados mais poderosos, que se recolhem, não mostram o futebol esperado, não lutam como devem, erram acima do limite tolerável, e acabam perdendo.Castelos de areia levados pelas ondas do mar, e ainda mais num estádio chamado Castelão.


Escrevo sob o tremendo impacto deste vergonhoso desabamento do viaduto na Av. Pedro I, região da Pampuklha, em Belo Horizonte, há poucos minutos atrás. O número de vítimas fatais poderia ser multiplicado por 10 ou 20. Já pensaram se aquele ônibus do Move estivesse debaixo do viaduto,segundos atrás? -Os culpados precisam ser encontrados, processados e punidos nos rigores da lei. A alegria da Copa não poderia ser manchada desta maneira..

 


          
           O FUTEBOL NÃO É UMA CIÊNCIA EXATA

Assim como a Medicina, o futebol não é uma ciência exata, não segue uma lógica - pelo contrário, muitas vezes o resultado final agride a lógica e o bom senso, surpreende os incrédulos, constrange e desaponta  os catedráticos dos microfones, e faz muitos planos táticos  e força técnica desmoronarem e se transformarem em ruínas criminosas.

Por que essas derrotas e eliminações em Copas acontecem, afinal? - Porque costumam entrar em campo o Irreversível F.C. e o surreal Sobrenatural de Almeida, criado nos anos 50/60 por Nelson Rodrigues, autor tão citado agora nessa enxurrada de comerciais ufanistas.



O Mineirão conheceu de perto a euforia dos colombianos


Toda essa longa preliminar é só para reforçar um alerta ao time  que representa o Brasil amanhã, contra a Colômbia: todo o cuidado é pouco, pois ela é mais forte do que o Chile, que quase nos eliminou nas oitavas. Os colombianos (ou cafeteros,como se intitulam) jogam e
deixam jogar, mas são perigosíssimos  nos contra-ataques. São atrevidos e velozes. E muito superioes a outras grandes seleções de seu país. Cuidado com eles.



  AQUELES CINCO A ZERO CONTRA A ARGENTINA




Inesperadamente, e já fora da coluna esportiva, fui testemunha de um jogo histórico: assistir pelaTV, no Hotel Cartgena Hilton,  a goleada na Argentina, por 5 a 0, pela poderosa  seleção da Colômbia nos anos 90, dentro do Estadio de Nuñez, em Buenos Aires, valendo pelas eliminatórias da Copa de 1994 nos EUA. 

Valderrama, e sua cabeleira volumosa, um dos grandes nomes na década de 90

 
Os argentinos –com Maradona, Caniggia e Simeone - dependiam da vitória, porque haviam sido derrotados na primeira,  em  Barranquilla, por 2 a 1. Perderam de novo e ficaram fora da Copa. Frustração total da torcida portenha, brigas, discussões, desculpas esfarrapadas e caça às bruxas.

Parecendo leões em campo, e debaixo de vaias dos adversários, os colombianos montaram um verdadeiro rolo compressor, fazendo 1 gol no primeiro tempo e mais quatro na etapa final. Foi um show de bola completo  e teve repercussão mundial. Cuidado dobrado com eles,
portanto. Eles costumam aprontar.

Com ajuda do amigo Luiz Fernando Perez - bom de bola e ótimo jornalista -, aqui vão os detalhes que ele conseguiu no Lance Net, de Mauro Beting (saudoso  Joelmir!). Os gols foram de Rincón, aos 40m, e a goleada se materializou após o intervalo, com gols (jamais escrevi tentos, graças a Deus)  de Asprilla aos 5m, Rincón aos 28m, novamente Asprilla aos 30m e Valencia aos 39m.

Essa goleada históŕica aconteceu em 5 de setembro de 1993, na última partida do Grupo A. Foi apitada pelo uruguaio Ernesto Fellipe. Técnico da Colômbia, Francisco Maturana; e da Argentina, Alfio Basile.

Destaques da Colombia: o goleiro Cordoba (não era o acrobata Higuita), o beque Perea, o camisa 10 Valderrama (percursor dessas grandes cabeleiras ouriçadas e oxigenadas)  e os ariscos e hábeis atacantes Rincón e Asprilla, que depois defenderam times brasileiros.


     CARTAGENA SE ENLOUQUECEU DE ALEGRIA


.

Com os 5 a 0 em Nuñez, humilhando os argentinos,a torcida colombiana ficou completamente alucinada,e nós vendo tudo de perto. Éramos um grupo jornalistas brasileiros em Cartagena das Indias, a convite do Ministério das Relações Exteriores, visitando os princpais pontos
turísticos, como Bogotá, Medellin, Cali e Cartagena, uma das mais belas cidades históricas da América do Sul, com suas praias de mar azul, modernos edifícios no litoral  e maravilhosas casas coloniais coloridas e com varandas floridas. 


O Cartagena Hilton tinha como diretor Ricardo Acevedo, que fez muitos amigos no turismo mineiro, como gerente geral do Brasilton Contagem, anos antes.
.
Terminada a partida em Nuñez, a gente saiu às ruas para assistir às comemoraçẽs da torcida, e eu testemunhei cenas inacreditáveis. Nunca vi,  em nenhma partida da seleção do Brasil - nem mesmo na conquista das 5 Copas do Mundo - uma torcida alucinada de tal forma, enlouquecida de alegria,,incontrolável . Lembro-me de colombianos bêbados se atirando na frente dos carros, correndo o riscode serem atropelados - como muitos foram.

Do alto dos prédios, os moradores atiravam plásticos cheios d’água  na cabeça de quem andava pela rua ou estava na calçada, e tive o azar de ser premiado com um saco, bem no ombro direito, e atingiu meu rosto (era xixi). Voltei fedendo paa o hotel. No caminho, cruzei com dezenas de  torcedores em transe, como uns possessos. Foi uma alucinação coletiva.·

Muitas vezes, e em vários países, essas comemorações de vitórias históricas deixam de ser uma explosão das alegrias contidas ou reprimidas para  se transformarem em confrontos de grupos rivais, agressões, atitudes irracionais - sempre com saldo de mortos, feridos à  bala ou atropelados, ou vitiimas de pancadas,  socos e pontapés. De preferência, dez pessoas armadas com porretes e barras de ferro chutando a cabeça de um “inimigo”no chão. .


         TENHO MUITO RESPEITO PELA COLÔMBIA

Cartagena das Índias, patrimônio da humanidade, é linda mesmo. Vale a pena conhecê-la em qualquer época do ano. Aqui estão as preciosas esmeraldas, enfeitando valiosos colares de brllhantes, pulseiras, brincos e anéis.Os navios de cruzeiros, após o Canal do Panamá, sempre passam por esta região.

A torcida da Colômbia esbanjou simpatia em todas as cidades que visitou



Tenho um profundo respeito pelo povo colombiano, que é hospitaleiro, alegre, expansivo, sério e trabalhador. Sua torcida, com camisas amarelas, azuis e vermelhas, alegrou todas as cidades do Brasil por onde passou, e foi uma das mais animadas desta Copa. Conquistou  Belo Horizonte e o  Mineirão. Fez sucesso na Savassi.

O cidadão colombiano comum jamais pode ser discriminado, só por vir de um país onde os grupos de guerrilheiros das FARC infernizam a vida da população desde a década de 60, numa intensa guerra civil que desafia os poderes constituídos e abala os pilares de sua democracia.

Também não pode ser confundido com os criminosos cartéis do narcotráfico, cujas bases estão em Cali e Medellin.  Esses grupos já mataram dezenas de inocentes entre a população civil, assaltaram bancos, detonaram explosivos e fuzilaram dúzias de membros do Poder Judiciário e diretores e repórteres de revistas, emissoras de TV e jornais que denunciaram seus crimes.

Tirando essas regiões de conflitos, no geral o turista pode visitar o país com certa tranquilidade. Na populosa capital Bogotá, sugere-se ao estrangeiro que tenha cuidado com seus valores pessoais e evite andar sozinho à noite por regiões que podem parecer perigosas (exatamente como se aconselha aos turistas que chegam ao  Rio, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte e outras grandes cidades).

O artesanato colombiano é rico e variado, com forte influência indígena. A comida é boa, barata e variada:: carnes, frutos do mar e deliciosos pratos típicos. Há boas sugestões  gastronômicas, programas culturais, atividades de lazer e passeios nos sites.


Meu amigo Luizinho Souza Perez - que passou recentemente por Bogotá, na escala de seu voo da Avianca para os EUA, levando com ele a esposa Elisa Faria e as filhas Carolina (14 anos) e Laura (7) - contou que todos ficaram muito bem impressionados com o Aeroporto Internacional, que consideraram muito melhor se comparado com os nossos (Confins então, nem se fala).

Os Souza Perez elogiaram a qualidade das lojas, os restaurantes e lanchonetes à disposição dos visitantes;e a passagem rápida pelas áreas de Imigração e conexão. A família voou até Miami e
Orlando  Perguntei ao Luizinho se ele,depois desta rápida experiência  como turista, pretende voltar um dia à Colômbia e ficar de 3 a 5 dias, conhecendo Bogotá, Cartagena e outras cidades. Respondeu que sim.


A torcida brasileira espera que o time de Felipão siga adiante na Copa


 HélioFraga –Editor

Trabalho de postagem edição: Ana Cristina Noce Fraga
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário