quarta-feira, 8 de julho de 2015

O CHILE MOSTROU AO MUNDO COMO ORGANIZAR BEM UMA COPA AMÉRICA



  Não pensem caros amigos que vou perder tempo falando do retumbante fracasso do time da CBF representando o Brasil na Copa América em gramados chilenos. Foi uma passagem melancólica pela competição, um time sem alma, repetindo os mesmos erros e desorganização de sempre; e a maioria dos jogadores sem demonstrar, em campo, aquilo que custam em salários, publicidade e direitos de imagem.

Prefiro dedicar este espaço ao Chile, uma grande nação, exemplo para toda a América do Sul -  pela competência e força de vontade que demonstrou na organização desse torneio continental.

Em vez daqueles acessos de megalomania que o Brasil apresentou na Copa do Mundo de 2014, e aquela roubalheira escancarada, e estádios suntuosos e inúteis, o Chile tratou de gastar o menos possível, sem dar uma de novo-rico deslumbrado  e perdulário.

Mas cuidou do essencial: montar uma seleção capaz de ganhar a Copa América.


A VIBRAÇÃO DOS CHILENOS PELOS SEUS 'ROJOS"


O governo da República do Chile deu aos seus vizinhos exibicionistas e gastadores esse exemplo de moderação, sem abusar dos recursos públicos. Acabou fazendo uma Copa América na medida justa, e com grande presença de público nas partidas no Estádio Nacional e nas subsedes.

A vibração dos chilenos pelos seus "rojos", nome carinhoso para o time de camisas vermelhas,  acabou contagiando grande número de brasileiros, que torceram por eles. Um seleção raçuda, determinada, obstinada - exatamente aquilo que o Chile sempre demonstrou nas grandes tragédias, como os terremotos e os mineiros presos no fundo da mina e finalmente trazidos à superfície após dias de privação e muita luta. A fé os manteve vivos.

Os "rojos" acabaram levando a torcida à loucura, retribuindo com suor em campo os gritos que vinham das arquibancadas. E o país inteiro pareceu enlouquecer de alegria quando o quarto pênalti convertido decretou que a Copa estava ganha. Argentina, novamente vice em menos de 1 ano.

Sem descer aos detalhes de cada jogo, ficou comprovado que o ataque do Chile finaliza muito mal, perde chances demais. Honra e glória aos novos campeões da América, começando pelo goleiro e capitão Claudio Bravo, pelo espírito de luta de Gary Medel (para mim, o melhor jogador de toda a Copa), e os esforços individuais e coletivos de Jorge Valdivia, Eduardo Vargas, Charles Aránguiz, Alexis Sanchez, Matias Fernández e seus colegas Vidal, Isla, Mena, Beausejour e Henriquez.



SONHO IMPOSSÍVEL DE IR AO ESTÁDIO DE METRÔ


Enquanto nós, em Belo Horizonte, esperamos há décadas por um metrô digno desse nome, os chilenos comprovaram que têm o melhor sistema de transporte subterrâneo do continente. O colunista Chico Maia (O Tempo) ressaltou sempre a qualidade do sistema e o conforto para os torcedores.


Na última vez em que estive em Santiago, em maio de 2008, fiquei admirado com a organização do metrô chileno, a qualidade dos vagões, a limpeza das estações e áreas públicas, a pontualidade das viagens e as facilidades nos embarques e desembarques.

Quem nos garante - com a economia brasileira numa recessão brutal, e que se deteriora a cada dia -, que teremos daqui a 20 anos vagões de metrô em Belo Horizonte levando passageiros para os aeroportos da Pampulha e Confins, e para o Mineirão e Mineirinho, estudantes para a UFMG e turistas para visitar a Igrejinha de São Francisco na orla da lagoa?

Parece que nem temos mais o direito de sonhar alto. Temos de nos contentar com os Moves da vida.


     UMA TAÇA CONQUISTADA COM GARRA E AMOR



Do  futebol que foi mostrado na Copa América, as páginas esportivas dos jornais e as rádios e TVs já falaram bastante. A Argentina era realmente  superior à seleção do Chile, tecnicamente, mas seus melhores jogadores não mostraram tudo que podiam ou que sabem. E perder 2 pênaltis em três batidos (só Messi converteu) não credencia ninguém a ser campeão. As quatro cobranças do Chile foram impecáveis.

Foi muito bonito ver a presidente da República do Chile com bandeira na mão, no meio da torcida, gritando alto e gesticulando para incentivar sua seleção - saudando a Copa conquistada com raça e amor.

A explosão de alegria da torcida foi emocionante, em todas as partidas, e muito mais na decisão, depois que se consumou a conquista da Copa America pela primeira vez. Os chilenos mostram raça, amor à camisa, extraordinário espírito de luta. Dedicaram-se ao máximo em campo. E mereceram erguer a taça.

O inesquecível jornalista Armando Nogueira, o maior cronista esportivo brasileiro de todos os tempos, costumava escrever que "a inveja é o sentimento mais subalterno da alma humana". 

Então, confesso publicamente este pecado; naquela empolgante e emocionante comemoração dos jogadores e torcedores chilenos, após os 4 a 3 nos pênaltis contra a Argentina, eu estava muito feliz com o resultado, mas senti inveja deles. Já fomos bons nisso...

TURISMO DO CHILE GANHOU MUITOS PONTOS

Na Copa América, o turismo do Chile somou pontos preciosos pela qualidade dos hotéis, restaurantes, casas noturnas, shoppings e vinícolas, apesar de alguns protestos políticos nas ruas. Se faltou neve para quem queria esquiar em Portillo e Valle Nevado, o jeito foi festejar a vida comendo peixes, empanadas, bistecas e frutos do mar, e bebendo bons vinhos chilenos e experimentando a cerveja Cristal, principal patrocinadora do esporte no país.

O Chile continua sendo um destino atraente para os brasileiros, com ou sem esqui,  pelo conjunto de suas atrações: a moderna e cosmopolita Santiago, e mais Valparaíso, Viña del Mar, Concepción, Arica, Rancágua, Antofagasta, Deserto de Atacama e Pico do Aconcágua,

Não podem ser esquecidos: Puerto Montt, Puerto Varas, Frutillar e os vulcões Osorno e Villa Rica; os saltos do Rio Petrohue, de águas cristalinas; a belíssima região dos Fiordes Chilenos e travessia do Estreito de Magalhães (Magallanes); a cidade portuária de Punta Arenas; o Canal de Beagle, cenário de tantas disputas com os argentinos; os cruzeiros nos Lagos Chilenos; os vinhedos do Vale do Curacavi etc.



      A ARTE DE RECEBER BEM OS VISITANTES


O Chile é um país realmente organizado e que sabe receber bem seus visitantes. Tem um moderno Aeroporto Internacional, digno deste nome (antigo Pudahuel, hoje Arturo Merino Benitez), onde pousam e decolam os jatos da LAN, TAM, Copa, Taca, Gol, Aerolineas Argentinas e outras empresas, além das norte-americanas.

Os vinhos chilenos - entre muitos, Concha y Toro, Casillero del Diablo, Undurraga, Doña Dominga, Santa Helena, Altamonte, Santa Ana, San Pedro, Santa Carolina, Baron de Rothschlld, Casa Rivas etc - têm hoje respeito mundial, e estão na classe executiva de grandes empresas aéreas e nas cartas de bebidas das maiores companhias de cruzeiros maritimos - sejam americanas, norueguesas, britânicas, italianas, espanholas etc.

Eles sabem fazer e promover seus produtos: vinhos, salmões, côngrio, frutas, colares de lapislázuli  e artesanato em cobre. São profissionais. Podem ensinar isso a alguns de seus vizinhos.

---------------

Tomem nota: agora vocês podem acessar diretamente
www.blogdohelio.com.br - fica mais fácil e rápido. Obrigado, boa sorte
a todos. Boas férias, cuidado com as rodovias assassinas.

----------

Belo Horizonte-MG, Brasil
8 de julho de 2015
Editor - Hélio Fraga
Postagem e Edição - Ana Cristina Noce Fraga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário