quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

VIAGENS CURTAS EM NAVIOS ITALIANOS ESCALANDO EM ATRAENTES PORTOS DO LITORAL BRASILEIRO

Exercícios físicos em cenários deslumbrantes


Está começando, com os tradicionais minicruzeiros, a nova temporada de viagens marítimas, partindo de Santos para atraentes portos do litoral brasileiro - como Angra dos Reis, Búzios, Cabo Frio, Ilhabela, Porto Belo e outros. Com o dólar de emissão congelado em R$ 2,99, que é garantia das empresas proprietárias dos navios - em destaque, as italianas Costa Cruzeiros e MSC -, muitas famílias terão sua oportunidade de fazer o primeiro cruzeiro sem ter de tirar passaporte Os preços estão bastante reduzidos e a concorrrência será acirrada. Tipo ver quem dá mais.

O minicruzeiro é uma espécie de introdução à arte de navegar. É o tipo de viagem ideal para famílias com crianças, que terão muita diversão a bordo, desde paredes de escalada (como nos navios da Royal Caribbean), campos de minigolfe, quadra de basquete e vôlei, torneios de ping-pong. Os navios contam com equipes de recreação  e as crianças são separadas por faixas etárias, a partir dos 2 anos. Elas disputam torneios e gincanas, têm aulas de pintura e desenho, participam de uma banda, desfilam fantasiadas e   se apresentam para os adultos - a suprema glória dos pais e avós corujas.

Os navios contam com ambulatórío médico e profissionais de plantão. Enquanto os monitores tomam conta das crianças e jovens, os adultos se divertem de outras formas, sabendo que os filhos ou netos estão sendo bem cuidados. 

Vejam algumas sugestões de minicruzeiros e respectivos navios. A hora de escolher é agora:

1) Navio Costa Pacifica, da italiana Costa Crociere, deixando o porto de Santos em 17 de dezembro: minicruzeiro de 3 dias,escalando em Porto Belo e Ilhabela, com desconto de R$ 280 por pessoa, baixando de R$ 1.399 para R$ 1.119, mais taxas, em 10 parcelas de R$ 112; cruzeiro de 4 noites, saída em 16 de janeiro, visitando Porto Belo e Angra dos Reis, Tarifa reduzida de R$ 1.089 para R$ 871, em 10 parcelas mensais de R$ 88; e cruzeiro de 3 noites de Santos para Porto Belo e Ilhabela, custo final de R$ 1.001 por pessoa em 10 mensais de R$ 101, mais taxas.O navio tem capacidade para 3.850 passageiros. Ver mais detalhes no site www.costacruzeiros.com.br


2) Navio MSC  Armonia, de bandeira italiana, também com o dólar congelado a R$ 2,99: embarques de Santos para minicruzeiros a Cabo Frio e  Ilhabela, com várias datas em dezembro. Sua nova temporada no Atlântico Sul começou em 27 de novembro. Um dos minicruzeiros tem preço por pessoa de R$ 595,01, com entrada de R$ 59,50 mais 10 mensais de R$ 53,55, apenas parte marítima, fora taxas portuárias e de serviço. Mais informações sobre o navio e opções de roteiros pelo fone 4003-1058. Sugiro consultar o site www.msccruzeiros.com.br

O MSC Armonia é veterano nos portos brasleiros




PROBLEMA DOS CRUZEIROS: INFORMAR SÓ PREÇOS BAIXOS


Nesses anos de vivência no turismo, sempre escrevi que o grande problema dos cruzeiros maritimos e das operadoras de viagens é essa insistência das armadoras de só divulgar os valores das cabines mais baratas - principalmente nos anúncios  em jornais e revistas. O passageiro precisa ter, no mínimo, os preços de 4 tipos de cabines: as internas; as externas simples; as externas com varanda (de 3 m2 em média); e suites com varandas maiores.
Como sempre, as companhias só citam os custos das cabines mais baratas, que são as internas, sem vista nenhuma. Ora, o  mais importante no navio é a vista, aquela luminosidade essencial. Pagar barato, mas ser obrigado a ligar a luz  cada vez que entrar na sua cabine, porque estará tudo escuro? Ter de sair lá fora para ver se o tempo está firme ou se chove, e saber que roupa vai vestir no jantar? 

Assim, quando alguém está pensando num cruzeiro e me pede sugestões, meu conselho habitual é: viajar de cabine interna, não -  é a pior escolha. A diferença entre a interna ou externa chega a ser irrelevante, não se trata de fazer "sacrificio" financeiro (mesmo porque, a viajar mal alojado,é preferível não ir). Um cruzeiro de média duração, tipo 10 a 12 dias, pode se tornar traumático numa cabine interna, pois o resultado foi desastroso.

Certa vez, dei um conselho a uma senhora desconhecida, que me ligou à noite em casa e falou que viajava com "pouca grana" e estava focada no preço mais barato da cabine interna. Ninguém lhe disse que não tinha vista nenhuma, era escuridão mesmo (os atendentes das operadoras têm obrigação de explicar isso). Desaconselhei taxativamente a escolha da cabine interna. Expliquei que a diferença na troca por uma cabine com vista, em frente à dela, era de menos de 100 dólares. Este valor gasto a mais podia ser compensado com redução de gastos nas excursões e compras nos portos. 

Insisti tanto na opção por uma cabine com vista, mesmo em andar baixo, que ela me ligou de novo, ao voltar da viagem, para me agradecer e dizer que "foi um dos conselhos mais úteis que já recebi na vida, você salvou minha viagem". Ela pediu â camareira do navio para lhe mostrar uma cabine interna, vazia, e ela ficou horrorizada com aquela escuridão. Pior: tinha claustrofobia. 

C
Brincadeiras na piscina atraem os cruzeiristas





   TRAVESSIA DO ATLÂNTICO EXIGE DEZOITO DIAS

Todos os navios que estão chegando ao Brasil vão oferecer cruzeiros especiais de Natal a bordo, virada do ano com o maravilhoso show de fogos em Copacabana, capitais do Nordeste e o roteiro do Rio da Prata (Buenos Aires, Punta del Este e Montevidéu). A atual temporada vai de dezembro até março, quando os navios retornam a seus portos de origem na Europa. No caso da MSC, desembarque em Genova, na Liguria italiana; e da Costa, chegadas em Savona, também na Liguria, a duas horas de Milão. Partindo de Santos ou Rio, são 18 dias de viagem, a um custo incrivelmente baixo. Pesquise, e você ficará abismado: é quase de graça.



Entre os luxos dos navios, piscina com teto de vidro retrátil
Uma viagem da Europa para o porto de Santos pode ter escalas em Barcelona, Gibraltar, Casablanca (Marrocos), Ilha da Madeira, Santa Cruz de Tenerife (Ilhas Canárias) e o primeiro porto de escala no Nordeste brasileiro é Recife. Alguns navios podem escalar em Maceió e Salvador (ou Ilhéus), antes de aportar no Rio e terminar em Santos. Um dos cenários mais bonitos da viagem é o entardecer contornando o Arquipélago de Fernando de Noronha.



A bordo desses navios, muitas diversões esperam os passageiros: jantar de gala do comandante;  shows noturnos no estilo da Broadway e Las Vegas; restaurantes de cozinha internacional; discoteca, bibliotecas, salas de jogos e cinema; um teatro com 3 andares na popa (decks 3, 4 e 5); conjuntos de piscinas e hidromasssagens; cassino com máquinas caça-níqueis e todo tipo de apostas; e grupos musicais tocando para dançar e brincadeiras e jogos a bordo, com brindes para os vencedores de cada etapa.

Com DDD 11, de São Paulo, eis alguns telefones de empresas que vendem esses cruzeiros: Central Marítima (3429-2500), CVC Viagens (3003-9282), Agaxtur (3090-3182), TAM Viagens (0300-777-4089), Logitravel (4003-2496), e Visual (3235-2030). Consultar o site da espanhola Pullmantur (www.pullmantur.com.br) ou discar (11) 3181-5700.

Muitos baes internos têm toque de classe e elegância






CHINESES DO GRUPO H.N.A. VIRAM SÓCIOS DA AZUL



O mercado da aviação civil no Brasil foi pego de surpresa na última semana de novembro: bem do jeito chinês, agindo em surdina e apresentando um fato consumado, o conglomerado HNA Group fez uma injeção de capital na Azul Linhas Aéreas, no valor de US$ 450 milhões, equivalentes a R$ 1,7 bilhão na data da conversão, 22 de novembro. Essa quantia representa 23,7 por cento do capital da Azul, cujo valor de mercado é de R$ 7 bilhões.


Como muitos de vocês acompanham os negócios da aviação, devem se lembrar de que, em junho passado, a norte-americana United Airlines comprou 5% do capital da Azul, investindo nela US$ 100 milhões (ou R$ 400 milhões).


Assim como fez com a United um acordo de codeshare para vender passagens a brasileiros em voos de conexão a partir de Chicago O'Hare, e de outros "hubs" da empresa nos Estados Unidos, partindo de suas bases em Nova York (JFK e La Guardia), Denver, Los Angeles, San Francisco, Orlando  e Miami, o conglomerado chinês terá também voos em codeshare operando voos domésticos e internacionais em rotas compartilhadas com a Azul.

Os Airbus A330-200 da Azul têm cores vivas e fortes


O HNA Group teve faturamento anual de US$ 25.6 bilhões em 2014, atuando nos setores de aviação, turismo, financiamento de aeronaves, operações  financeiras e logística.


Sabe-se que a Azul teve um faturamento de R$ 5,8 bilhões no ano passado e seu prejuízo líquido foi de R$ 65,04 milhões. Apresenta, no momento, uma dívida líquida de R$ 2,3 bilhões, sendo que 60 por cento de seus custos são em dólar.


Dentro dessa incerteza generalizada que tomou conta do Brasil ( a aviação, por ser estratégica, não podia escapar dela), e numa crise múltipla (governamental, institucional, política, financeira e social) que não tem perspectiva de solução em curto prazo, supõe-se que a Azul vai continuar adequando sua frota às reais necessidades do mercado. O presidente Antonoaldo Neves acredita que há um excesso de 10 a 15 aviões em sua frota, na atual realidade do  mercado. Eles terão de ser repassados a outras companhias - entre eles, todos os ATR-42 que foram das antigas Total e Trip Linhas Aéreas.


Mais uma da Azul, para terminar: os jatos Airbus A330-200 que estão decolando de BH/Confins para Orlando, rota iniciada em 16 de novembro, são da versão antiga, portanto bastante diferenciados da nova geração que opera os voos de Viracopos para Fort Lauderdale e Orlando. Quem está curioso para conhecer as novas cabines e os adicionais em conforto, espaço interno, decoração e serviço de bordo, terá de optar pelo Aeroporto Internacional de  Campinas. O sucesso da nova rota vai depender muito da colocação dos A330-200 mais modernos e redecorados em BH/Confins. O passageiro mineiro merece.


----------


Na próxima edição, daqui a uma semana, novos roteiros de viagens com custo reduzido para a temporada de Natal, Réveillon e férias de janeiro, dentro e fora do Brasil.


----------

Belo Horizonte/MG - Brasil
03 de dezembro de 2015
Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga

Nenhum comentário:

Postar um comentário