sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

BARRA DA TIJUCA, UM RÉVEILLON TIPO FAMÍLIA NUMA PRAIA COM TOTAL SEGURANÇA

O  modesto espetáculo de fogos na Av. Lúcio Costa, frente ao mar


Esta é a história de uma experiência familiar que deu certo no Rio de Janeiro, embora   num clima prévio de  muito medo - tantos têm sido os arrastões, trombadinhas, furtos de celulares e dinheiro, violência contra turistas, furto de câmeras no Arpoador e assaltos e sequestros na Linha Amarela. Vale a pena ser compartilhada com vocês, que sabem que a maravilhosa festa de passagem de ano em Copacabana, com o show de fogos, é um dos mais belos espetáculos do mundo e atrai milhares de visitantes de tantos países, não preparados para enfrentar tão sérios problemas de segurança.

A opção pelo Rio é quase natural e automática, apesar da concorrência de Cabo Frio, Búzios, Arraial do Cabo, e Salvador, Recife, Florianópolis, Natal e Maceió, Porto Seguro,Trancoso, Arraial d'Ajuda. Decidimos que o hotel não seria em Copacabana - caros demais, com preços absurdos. Éramos seis pessoas: os avós e a filha, o genro e 2 netinhos gêmeos de 7 anos, loucos com  o mar.



Assim, compradas na Azul nossas passagens para o Rio, por R$ 1.050, financiadas em 5 parcelas sem juros, e decidido que genro, filha e netos iam de carro, apesar dos perigos e má conservação em trechos da BR-356 ou Viéa JK (antiga BR-3 e BR-040), meu genro Cássio Mol - acostumado a fazer na internet pesquisas de hotéis e pacotes especiais para crianças -, acabou descobrindo o Novotel Rio Barra da Tijuca, aberto em julho de 2015, de frente para o mar e o Posto 7, na Av. Lúcio Costa 5210, a poucos metros do Golden Green, o condomínio mais famoso da Barra.  Eles conheceram, no ano passado, outro Novotel próximo ao futuro Parque Olímpico.




Utilizando a expressão custo-benefício, tão usada no comércio de carros, avaliando a qualidade do produto e as garantias dos vendedores, nossa conclusão após a passagem de ano no Novotel Rio Barra foi unânime: valeu a pena, e muito. A diária básica de R$ 700 caiu no pacote de 7 dias para R$ 450, e não se encontra na Barra hotel custando menos de R$ 1 mil ao dia. A concorrência já é muito forte, mais de 4 mil apartamentos disponíveis na rede hoteleira. E serão acrescentados mais 12 mil até a Olimpíada 2016 - uma temeridade (assunto para futuro blog). Nós ficamos no ap. 765, que custou R$ 2.095 no cartão, e o ap. 861 deles custou R$ 3.450 porque ficaram mais 1 dia.





O Novotel  Rio na Barra foi uma surpresa muito positiva



O Novotel Rio Barra agradou em tudo: pessoal muito bem treinado, bom serviço,  limpeza impecável, equipe entrosada, ótimo café da manhã no restaurante e várias surpresas para os hóspedes, com recreação infantil logo na entrada, com brinquedos e presença do Homem Aranha mascarado. Na Recepção, gente simpática e eficiente, falando várias línguas. E um buffet de gala na passagem do ano, como se verá adiante.


   AO SAIR, MUITA GENTE JÁ FEZ RESERVAS PARA 2017

Já na manhã de sábado, 2 de janeiro, ao deixar o Novotel para voltar às suas casas, muitos hóspedes deixaram  reservas prévias para a passagem do ano de 2017 - eram brasileiros e estrangeiros, sem saber onde o dólar e euro vão chegar. O hotel da Rede Accor surpreendeu pela postura e simpatia de seus profissionais.Trabalham mesmo com garra e dedicação. Alguns se superam. São 12 andares e 234 apartamentos e duas suítes. Na passagem de ano, havia mais de 550 pessoas hospedadas e, apesar do intenso movimento, não houve qualquer atropelo. O café da manhã, fora da diária a R$ 40 por pessoa, foi transferido para um amplo foyer um andar abaixo da Recepção, utilizando-se salões anexos. Muita variedade de pães e doces; omeletes feitas na hora; frutas à vontade (melão, mamão, abacaxi, melancia, ameixas e maçã).

 
Uma das estações no café da manhã, entre muitas opções
Nas outras estações, havia mel, iogurtes, granola,  aveia, sucrilhos, ovomaltine, geleias, manteiga francesa importada. Havia rabanadas, pão de queijo, sucos variados, queijo fresco, presunto, salaminho, lombo canadense, queijos fatiados e frutas cristalizadas, além de nozes, avelãs, damasco e passas. E bolos e tortas doces e salgadas, além de croissants. Reposição contínua para evitar filas. Serviço impecável.
.
São três elevadores operando, com capacidade de 10 pessoas cada, mais um de serviço. No terraço do 12º andar, o hotel não tem piscina como seu vizinho Windsor Marapendi, e conta apenas com uma raia estreita com profundidade  inferior a 1 metro e espaço para mesas e  espreguiçadeiras, com linda vista da praia. Há também academia de ginástica e duchas. Um bar funciona até o entardecer,  servindo lanches e bebidas variadas.

Vista do terraço e da raia iluminados à noite


A qualidade do serviço em todos os setores é a principal meta do gerente geral Ronaldo Grapiglia e de seu adjunto Bruno Cruz Lopez, com experiência internacional. Os destaques na equipe do hotel são Rachel Fagundes (gerente de A& B), Fernando Pavan (restaurante), Veronica Ebers (recepção) e Carlos Carneiro.Outros destaques na Recepção: Ana Paula, Suellen, Michelly, Leon, Ody, Lívia, Marlon, Michel Adelino, Caio e outros. Há vigilantes e câmeras de segurança. A Barra é muito tranquila, de dia e á noite.No estacionamento, destaque para o atendente Vagner.

A Rede Accor dá um tratamento vip a seus clientes especiais, membros do Le Club Accor. Suas marcas de maior sucesso são Sofitel, Pullman, Grand Mercure, Novotel, Sebel, Mercure e Ibis. Ver o site www.accor.com.br e reservas no Novotel Barra: (21) 3504-3000. 


    ROMÂNTICO PÔR DO SOL NA BARRA DA TIJUCA


Dizem que a Barra não parece nada com o Rio, apesar da praia, das montanhas, lagoas, shoppings de luxo, restaurantes finos, comércio elegante, dois ótimos supermercados (Guanabara e Zona Sul), sorveterias, cafeterias e casas especializadas em comidas finas,  Ela parece mais com Miami, pelo luxo e imponência de suas construções. Há altos prédios na orla marítima, todos com varandas panorâmicas, e a população tem alto poder aquisitivo. A orla é muito bem cuidada. E, para susto até de brasileiros, a praia é limpa. No Brasil, infelizmente, ao final da manhã, as praias parecem depósito de lixo.

Este espetáculo grátis da natureza acontece diariamente

Há surfistas durante o dia e muitos esportes náuticos. A praia é segura e bem frequentada. Desde cedinho, e durante todo o dia, há gente fazendo caminhada no calçadão, e ciclistas ocupam a ciclovia de duas pistas. As travessias da Av. Lúcio Costa rumo à praia são muito perigosas quando não há sinal, porque a maioria dos motoristas não respeita as faixas de pedestres.


A praia da Barra da Tijuca, muito bem frequentada e sem violência




O grande espetáculo do dia acontece depois de seis e meia da tarde, quando o céu se tinge de amarelo e vermelho para festejar mais um romântico põr do sol. Os terraços e janelas dos hotéis ficam cheios de gente assistindo a este show grátis da natureza, Casais de namorados trocam beijos. Outros contemplam o espetáculo  deitados na praia.

Melhor vê-lo sentado na praia, de mãos dadas com a mulher amada ou aquela companheira atual, que pode se tornar o  amor de sua vida. No caso dos avós, abraçados aos netinhos que furaram ondas a manhã inteira.

    UMA CEIA INOVADORA NUM AMBIENTE ELEGANTE

Pagando R$ 185 por adultos, e metade para crianças, os hóspedes do Novotel Rio Barra foram surpreendidos pelo gerente geral Ronaldo Grapiglia, a gerente de A & B Rachel Fagundes e o chef Fernando Pavan (xará de um grande nadador mineiro no passado) com um jantar de gala, digno de um hotel internacional· Tudo preparado com muito capricho. Foi como se os hóspedes estivessem num Sofitel, a mais nobre categoria da Rede Accor, ou num  Marriott, Grand Hyatt, Sheraton ou Hilton. Pratos realmente inovadores: nada de Salada Waldorf, Filé à Wellington e Steak New York.



Para começar,  um buffet de saladas completo e criativo: figos com rúcula e presunto Parma, salmão marinado com beterraba e wasabi, rosbife ao molho salsa tonnata, tender assado, pernil assado ao chutney de abacaxi, ceviche, pasta de queijo com ervas, rúcula com vinagrete de caju, quinoa com tomate seco, tomates assados com manjericão e búfala, maionese de baroa com ovos, tábuas de queijos e frios finos, carpaccio de pupunha com pesto de cheiro verde, lentilha com cebola caramelizada e lombo defumado, e ainda castanhas portuguesas, nozes, damasco, figos,passas e frutas cristalizadas. 


No restaurante, a comodidade de um espaço kids



A seguir, um desfile de pratos quentes deliciosos -  bacalhau confit com legumes, caldeirada de frutos do mar, arroz de pato, rondelli de queijo com presunto ao Alfredo, pernil de leitão roti, quiche de alho poró, sopa de lentilha com costellnha, quiche de carne seca, batata assada na manteiga, farofa de pernil e filé mignon assado com shoyo e alho. Havia hóspedes estrangeiros no salão (franceses, italianos, lusitanos, italianos, americanos, canadenses, australianos, argentinos) e eles gostaram muito. O cardápio fugiu dos padrões das ceias comuns de Réveillon.



E para terminar, um festival de doces, mousses e tortas: pastéis de nata (tradição portuguesa), mil folhas de avelã, strudel de maçã (especialidade alemã), tiramissu de frutas vermelhas (italiano), rocambole de doce de leite (tradição mineira) , torta pecan, mousse de chocolate e de limão, mousse de morango e torta de maracujá - que os estrangeiros não conheciam, e repetiram.



As mesas foram decoradas com flores. O salão principal no térreo, junto ao bar e à Recepção, ficou lotado. O chef Fernando Pavan dividiu os elogios com o gerente Ronaldo Grapiglia, acompanhado da esposa Alvine, da filha Stephanie e do neto Pietro. A outra filha, Júnia, não pôde ir

Terminado o jantar, às 23h, todos foram à praia para ver o show de fogos Os hotéis ratearam os custos e produziram uma festa muito bonita, mas nada que se compare com Copacabana e com duração de 6 minutos. Entre os hotéis que pagaram a festa, o Novotel, os dois Windsor (Barra e Marapendi), o Casa del Mar, o Barramares e o Sheraton. Está vindo por aí um Pestana Barra, também no Posto 7.


Numa noite estrelada, a passagem de ano na Barra foi tipo família, com muita confraternização. Nada de assaltos, gangues armadas, arrastões e trombadinhas. Na Barra não tem disso não. Risco zero de confusão. 



    VOLTA DE CARRO BLINDADO AO AEROPORTO



Este Fusion blindado garante mais segurança aos turistas

Para quem vai de carro ao Rio, passando pelo Galeão, a Linha Amarela é o caminho mais rápido para se chegar à Barra da Tijuca, onde os principais hotéis ficam na Av. Lúcio Costa, antiga Sernambetiba, de frente para o mar. É um trajeto que exige muito cuidado dos motoristas, e sorte também, pela proximidade de várias favelas ao longo das pistas, e  uma penitenciária que poucos turistas conhecem (Água Santa) no lado direito, que de santa não tem nada, É preciso estar atento aos riscos de assaltos e enfrentamento à bala  entre bandidos e policiais. A região mais perigosa é junto ao posto de pedágio.

Existe na Barra - e poucos executivos e grupos familiares conhecem - um serviço de transfer dos hotéis para o Galeão, dia e noite, em carros blindados, ao custo médio de R$ 160. Um táxi comum cobra em torno de R$ 100, fora o pedágio de R$ 5,90, pago pelo  passageiro. E o veículo blindado já inclui o imposto no seu preço.

Aos mineiros que sempre viajam de avião ao Rio, a passeio ou negócios, sugiro contratar antecipadamente este serviço, pois o preço não é caro, e a segurança é muito maior. A empresa tem carros Toyota, Nissan, Hyundai, Ford Fusion e outras marcas, e vans Hyundai maiores também. A portaria do Novotel Barra  utiliza muito  os serviços da Arcanjo Blindados, que você pode conhecer melhor acessando o site arcanjoblindados.com.br

A empresa tem sede no vizinho bairro de Jacarepaguá, Rua Guilherme Malaquias Junior,  Cep 22380-520, Rio de Janeiro-RJ. Como isso aqui é uma prestação de serviço, e pode ser muito útil ao leitor, sugiro falar com o diretor comercial Matheus Sousa Guimarães pelos fones (21) 97269-2030 e 3092-7801. E-mail: msousaarcanjoblindados@gmail.com   


-----------------------------


Próximo tema do blog: o despreparo generalizado do Rio, e principalmente dos maus motoristas, para receberem e conviverem com turistas nacionais e  estrangeiros durante a Olimpíada 2016. Só faltam  sete meses, e não se educa um motorista em curto tempo, pois essa educação tem de vir do berço e das escolas. Vimos cenas deploráveis e vergonhosas nesses sete dias que passamos na Barra. Ficamos horrorizados com o desrespeito aos pedestres ao atravessarem sua faixa na Av. Lúcio Costa, a caminho da praia (falta um sinal, urgente). Os carros e motos avançavam  sobre eles - furiosos, parecendo alucinados. E gritavam desaforos e faziam aquele sinal amistoso com o dedo médio, como cafajestes. Essas mesmas pessoas ensandecidas, dali a algumas horas, na virada do ano, vestidas de branco e amarelo, não teriam remorso de nada e, com a cara mais limpa, vão desejar Boas Festas e Feliz Ano Novo a seus parentes, vizinhos e amigos;  e pedir muita paz e amor. Não é agindo assim que demonstram  seu amor ao próximo e sua cidadania. Têm de tratar bem os visitantes. O Rio não seria tão rico sem eles.
.

--------------------------------


Belo Horizonte/MG- Brasil
Dia 10 de janeiro de 2016
Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana  Cristina Noce Fraga

2 comentários:

  1. Excelente matéria! Comentários muito úteis como sempre Hélio Fraga!

    ResponderExcluir
  2. Grande Helio
    Mande noticias
    Enviei uma msg mas o seu email voltou
    Forte a abraco e saudades.
    Marcello Oliveira
    Miami - USA

    ResponderExcluir