quarta-feira, 9 de março de 2016

OS EMIRADOS ÁRABES SÃO UM FABULOSO DESTINO PARA TURISTAS

Em Dubai, a Torre Burj Khalifa- a mais alta do mundo


De repente, alguns brasileiros que viajam muito, e vivem descobrindo novidades, passaram a falar de lugares dos Emirados Árabes - como Dubai, Doha e Abu Dhabi. Os voos diretos de empresas como Emirates, Qatar Airways e Etihad ajudaram muito, apesar da duração mínima de 14 horas, mas  compensando com um serviço de bordo muito elogiado e atendimento bem diferente do Terceiro Mundo. Na rota dos Emirados Árabes, há novidades incríveis a bordo, como chuveiros e duchas nos superjatos Airbus A380/800 nos trechos mais nobres - como os voos partindo de Nova York, Londres, Paris, Frankfurt etc.

Pela primeira vez, e já completando três anos, este blog fala de destinos dos Emirados Árabes, aonde nunca fui, nem tenho planos de ir, exatamente pela idade (que inclui limitações e ameaças à saúde) e  voos longos demais - o que também inviabiliza uma viagem à Austrália e Nova Zelândia. Algumas vezes, viajei 24 ou 26 horas até Tóquio ou Hong Kong, mas agora não dá mais. Assim,as moderníssimas Dubai, Abu Dhabi e Doha caem na pasta dos sonhos impossíveis. , 

A oportunidade de falar de Doha, Dubai, Muscat (Oman) e Abu Dhabi veio com o relato de uma viagem recente feita por uma casal amigo, nossos afilhados de casamento: Bete e Túlio Barros Cambraia, ele experiente profissional de turismo e ela educadora. Para fazer um cruzeiro de 7 noites no navio MSC Musica, que eles já conheciam da República Dominicana e Caribe Francês, tiveram de ir de avião a Dubai, nos Emirados Árabes, onde tomaram o navio italiano. 


Túlio e Bete anotaram tudo, com detalhes de viajantes experientes. As escalas do MSC Musica foram em Abu Dhabi e depois em Khor al Fakan, ainda nos Emirados Árabes, e mais tarde em Muscat e Kahasab, em Oman. No sétimo dia, retorno ao porto de Dubai. Os hotéis 5 estrelas foram o Sheraton Jumeirah Resort, em Dubai, e o Ritz-Carlton Grand Canal, em Abu Dhabi. Portanto, não passaram pela Arábia Saudita.

A modernidade dos prédios de Doha encanta os turistas

Eles esclareceram que os brasileiros precisam de visto de entrada, que é solicitado aos hotéis e operadoras de turismo, e custa 85 dólares por pessoa. Trocando euros e dólares por moedas locais, e fazendo as conversões, Túlio e Bete chegaram a esses preços: ingresso a R$ 200 por  pessoa no Burj Khalifa, o prédio mais alto do mundo; passeio de 15 minutos num helicóptero, R$ 1 mil por pessoa; passeio ao deserto com jantar, R$ 300 cada; três voltas numa roda gigante, R$ 50 por pessoa.



Outros valores, para se ter ideia do custo de vida nesta região: café da manhã nos hotéis a R$ 700 para o casal; uma cerveja belga Stella Artois long necjk, R$ 35; garrafa de água ou refri, R$ 25; táxi do aeroporto ao hotel em Dubai, R$ 150; dois sanduíches misto quente e 2 refris, R$ 200. Aquele passeio em ônibus vermelho de 2 andares, sem capota,  que geralmente custa menos de 20 dólares por turista embarcado, custou R$ 250 cada (mais de US$ 60). 

Espetaculares marinas permitem que barcos cheguem aos hotéis



    HOTÉIS DE LUXO, SHOPPINGS E CURIOSIDADES

Túlio e Bete descrevem como fascinantes e inesquecíveis as experiências vividas por onde andaram, destacando o luxo dos hotéis e shoppings, a presença das maiores grifes do mundo e artigos deslumbrantes - "um paraíso para comprar, mas é preciso levar muito dinheiro".O árabe é língua oficial, mas fala-se inglês também. Destacaram a modernidade e arrojo dos edifícios, as pontes e viadutos, as praias artificiais. As espetaculares marinas permitem que iates de luxo atraquem junto aos hotéis.

Túlio Cambraia e Bete ficaram empolgados com os Emirados Árabes


A Península Arábica é formada pelos seguintes países: Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Iemen, Kuwait, Oman e Qatar. Por voarem pela Qatar Airways, este foi o primeiro país conhecido, e elogiaram o serviço de bordo da Qatar, com 4 refeições servidas durante o voo e cozinha aberta com água, sucos, refris e snacks à vontade. Elogiaram o atendimento dos funcionários tanto no Aeroporto Hamad International de Doha, inaugurado em 1910, como no moderníssimo Dubai International.

Abu Dhabi é capital dos Emirados Árabes Unidos, importante centro cultural  e educacional. A companhia aérea nacional é a Etihad Airways. Tudo é monumental, espetacular, esbanjando a riqueza dos sheiks do petróleo. Já Dubai, centro mundial de negócios, tem 2,5 milhões de habitantes. Devia ser considerada a capital mundial da ostentação. Sua moeda é o dirham e sua riqueza, além do petróleo, vem do turismo, comércio e setor imobiliário. O nível de progresso é espantoso.

Tulio e Bete visitaram ainda o Sultanato de Oman, cuja capital é Muscat, com população de 1,5 milhão. De colonização portuguesa, Oman tem área de 309.510 km2 e a moeda nacional é o rial (QMR). Falaram ainda da riqueza do Qatar, baseada no petróleo e gás. População da capital Doha, 2 milhões. O Qatar tem área de 11.437 km2 e é independente desde 1971. Tem índice de 79% de alfabetização de adultos e crescimento demográfico de 4,5% ao ano. A data nacional é comemorada em 18 de dezembro.

Alguns restaurantes de destaque em Doha: Trader Vic's no Hilton Doha, Gordom Ramsay no St. Regis, Di Capri no La Cigale, Belgian Café no InterContinental. Entre as tradições nacionais, uma corrida de camelos festejando a independência. Há mais de 6 mil camelos no  país.  



  QATAR AIRWAYS É UMA POTÊNCIA DOS EMIRADOS

São seis superjatos Airbus A380/800 na frota da Qatar



Embora esteja operando nos aeroportos de Guarulhos e Buenos Aires, a Qatar Airways não é tão reconhecida assim na América do Sul e está presente num nicho privilegiado de mercado. É mais conhecida como a empresa que patrocina a camisa amarela ou roxa do Barcelona, assim como a Emirates de Dubai está presente em todos os autódromos do mundo (Fly Emirates) e na camisa de times vencedores. 

Túlio e Bete ficaram impressionados, nos aeroportos dos Emirados Árabes, com a quantidade de jatos Airbus A380/800 de dois andares, que podem carregar de 500 a 800 passageiros. -"Eles pareciam fazer fila, como se fosse rotina a qualquer hora do dia", disse Túlio. Cada jato desses, montado na fábrica da Airbus Industrie em Toulouse, sul da França, custa 1 bilhão de dólares  (valor para nenhum empreiteiro ladrão e desonesto da Lava Jato botar defeito).

A Qatar tem seis Airbus A380 em operação nas rotas mais nobres, com comprimento de 72,7m por 79,3m de envergadura, capacidade de 517 passageiros, velocidade de cruzeiro de 944 km/hora e alcance máximo de 15.700 km.O primeiro superjato foi recebido em setembro de 2014; e o primeiro Airbus A350 em janeiro de 2015.

Em sua frota há 12 tipos de aviões, de apenas 2 fabricantes - Boeing e Airbus, Já são seis Airbus A350-XMB, capacidade de 283 passageiros, alcance máximo de 14.350 km e estupenda velocidade de cruzeiro de 1.041 km/h.

As rotas do Brasil são operadas com jatos Boeing 777-200LR (são nove no total), com capacidade para 259 passageiros e alcance de 17.370 km. A viagem direta Guarulhos-Doha exige  14 horas e 45 minutos. O voo 774 parte de Guarulhos às 4h15 da madrugada e pousa em Doha (DOH) às 22h50 locais. Na volta, o voo 773 sai de Doha às 7h55 da manhã e aterrissa na região metropolitana de São Paulo às 17h35.

Completando a frota da Qatar: são 25 Boeing 787 Dreamliner (nenhuma companhia brasileira o possui), com capacidade para 283 passageiros e alcance máximo de 15.200 km. Há ainda 31 Airbus A320-200 (144 lugares), oito A321-200 (177 poltronas), quatro Airbus A340-600 (316 lugares), dois A319LR (110), e são 13 Airbus A330-200 (como os da TAP e TAM), para 281 passageiros, e 13 Airbus A330-300, com capacidade variando de 259 a 305 lugares). A Qatar encomendou também sete novos A320 da geração Neos.

Túlio Cambraia, com tantos anos de experiência no turismo, ficou impressionado com a grandeza das companhias aéreas dos Emirados Árabes: - "São uma potência impressionante, são poderosas e riquíssimas, e seus aeroportos são fabulosos. Estamos atrasados mais de 20 anos".


Mais informações sobre a Qatar no site www.qatarairways.com



PÁSCOA A BORDO DO NAVIO MSC SPLENDIDA


Tentando sugerir programas de viagens interessantes a leitores do blog, acabei descobrindo - num anúncio na "Folha de S. Paulo" - um rápido cruzeiro de Páscoa a bordo do navio MSC Splendida, que parte de Santos no dia 25 de março, sexta, já no final da Semana Santa. Contrariando tudo que se pode entender de marketing inteligente e boa comunicação com o cliente, o anúncio não informava o roteiro do navio. Então, a serviço  do leitor, telefonei para 4003-1058, número da MSC, e consegui saber, através da atendente Andrea, que  os portos de destino são Búzios e Ilhabela, respectivamente no litoral fluminense e paulista.



Para melhorar a prestação de serviço, perguntei os valores de uma cabine externa simples e uma interna, e as taxas correspondentes, para o leitor fazer sua avaliação - mas a atendente informou que esses detalhes  só estão disponíveis na web: www.msccruzeiros.com.br



No anúncio da Folha, a armadora italiana destacou: -"Um novo conceito a bordo do MSC Splendida: o Yatch Club, um paraíso de tranquilidade, com 71 suites luxuosas, diversão e privacidade em alto-mar". Já conheço o serviço, em outros navios, e apesar de caro é muito bom: mordomo 24 horas, seleção de bebidas com sistema all-inclusive, concierge 24 horas, piscina e hidromassagens privativas, acesso ao Aurea SPA e Top Sail Lounge com bares e restaurantes exclusivos.



Ainda no anúncio, a MSC informou que o 1º hóspede paga 10% de entrada, ou R$ 445,21, e mais 10 parcelas de R$ 430,69; o 2º passageiro terá 40% de desconto em suíte de luxo com varanda. Não informou nada sobre gratuidade para crianças, nem se elas são bem-vindas neste tipo de acomodações exclusivas no topo do navio. Quem tiver crianças e pretender levá-las, trate-se de se informar no site da companhia. Bom proveito.


---------------------
Belo Horizonte-MG, Brasil
09 DE MARÇO DE 2016
Hélio Fraga  - Editor
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga
(E-mail: hfraga.rmj@gmail.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário