quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

CUIDAR MAIS DE NOSSA BELO HORIZONTE. NÃO PODE CONTINUAR TÃO SUJA E MALTRATADA





Longe de mim imaginar que Belo Horizonte seja a melhor cidade do Brasil para se viver, a mais limpa e organizada, esbanjando riqueza e progresso. Sou um brasileiro desiludido e desanimado diante de tanta corrupção (que nos agride e enoja), mas continuo realista e tenho os pés no chão. Belo Horizonte não pode ser considerada  uma Ilha da Fantasia se está dentro de um país dividido como o Brasil, com um fosso cada vez maior entre ricos e pobres, com a classe média esmagada por impostos escorchantes, e pagando, com sacrifício, as contas de tantos governos corruptos e incompetentes. 



Não há como imaginar, na semana em que a capital de Minas Gerais comemora 119 anos, que ela esteja no alto nível em que poderia estar. Falta muita coisa para atingir esse patamar: um trânsito mais humano e menos caótico e violento; uma limpeza pública decente, pois a cidade está sempre suja; uma coleta de lixo mais ampla, atingindo todas as periferias; mais obras de contenção nas encostas, evitando desmoronamentos em chuvas torrenciais; uma rede hospitalar que atenda a todos dignamente, e não com essas falhas e carências, faltando o essencial (pessoal, remédios equipamentos).



Agora que foi inaugurado o Terminal 2 do Aeroporto BH/Confins (ver matéria abaixo), é justo que ele atraia mais voos internacionais para Minas e melhores conexões nacionais para os passageiros. E já que a Pampulha foi incluída pela Unesco na lista dos patrimônios da humanidade, esperemos que a lagoa passe por um saneamento exemplar, deixando de ter água fedorenta e depósito de detritos. Que as capivaras sejam retiradas de vez, para evitar que outras pessoas sejam contaminadas e morram vítimas da febre maculosa. E que o Iate Tênis Clube continue exatamente do jeito que está, sem demolir nada, já que os acréscimos pertencem ao clube e seus associados, que pagaram por esta obra.



Para tristeza de todos nós, Belo Horizonte é uma cidade emporcalhada, capital nacional das pichações. Isso nos envergonha e depõe contra nosso nível de civilidade. Exige-se combate sem tréguas às gangues de pichadores. Se eles acham que aquilo é arte, estão enganados. É sujeira, mau gosto, abuso, falta de educação e de respeito aos donos dos imóveis vandalizados.



A cidade está muito descuidada, generalizadamente: passeios esburacados, responsáveis por tantas fraturas de braços, pernas, tornozelos e pés. O transporte público continua ruim e caro. O metrô não passa de um trem suburbano ruim, vagaroso e mal cuidado. Os buracos nas ruas, provocados pelas chuvas, continuam abertos e assim vão ficar indefinidamente. O asfalto é de má qualidade, e as empreiteiras não são responsabilizadas. As sinalizações das faixas para pedestres estão desbotadas, é necessário pintá-las de novo. O pedestre precisa ser mais educado, ele parece avançar nos carros.



Belo Horizonte se orgulha de suas escassas ciclovias, mas não há ciclistas nelas. As filas duplas e triplas de carros na porta dos colégios prevalecem o ano inteiro. E as vagas de estacionamento para deficientes físicos e idosos não são respeitadas, nem mesmo dentro dos shoppings. 



Outra vergonha da cidade é a ausência de policiamento ostensivo nas ruas, garantindo a segurança dos cidadãos, vítimas de assaltos frequentes à mão armada. Isso precisa ser revisto pelas autoridades da PMMG.


Mais mazelas da capital mineira: falta de sincronia nos sinais luminosos de trânsito; gargalos constantes nas principais vias públicas, como Av. do Contorno, Afonso Pena, Bias Fortes, Amazonas, Cristiano Machado, Av. Brasil, Getúlio Vargas, Antônio Carlos, Rua Jacuí etc. São vexatórios os alagamentos da avenida perto do Minas Shopping. E dói no coração da gente ver, no MG/TV da Rede Globo, tantos carros sendo arrastados pela correnteza na Av. Vilarinho. A população de Venda Nova tem o direito de estar revoltada.



Pagamos impostos, queremos uma cidade melhor para se viver. Mais escolas públicas, creches comunitárias, postos de saúde e Umeis. Mais urbanização nas favelas, porque os moradores também são filhos de Deus. Mais parques públicos,  que garantam lazer gratuito às periferias. Mais praças de esporte para a juventude, tirando-a do domínio dos traficantes de drogas.


Expor todas essas mazelas, num dia de festa, é minha maneira de tentar despertar cada belohorizontino a lutar por sua cidade, defendê-la, colaborar na limpeza urbana, respeitar a lei do silêncio na zona hospitalar, buzinar apenas quando for estritamente necessário. Não atirar nada pela janela do carro. Estacionar civilizadamente, evitando bloquear as garagens. Belo Horizonte não merece continuar assim tão agredida e maltratada.

INTERNACIONALIZAR BH/CONFINS, MAS PARA VALER



Não tive ainda oportunidade de conhecer o Terminal 2 de Confins, inaugurado na primeira semana do mês, e escrevo baseado no que li nos jornas locais  - no geral, matérias pobres e sem informações essenciais. Não basta dizer que o terminal tem 650m de comprimento, foi construído em 14 meses e custou R$ 870 milhões. Espera-se que este seja o preço inicial previsto, sem acréscimos e aditivos - como na maioria das obras públicas brasileiras.


O Terminal 2 abre novas perspectivas para a verdadeira internacionalização de Confins. Não podemos nos contentar  com os 5 voos semanais da TAP Portugal para Lisboa, as ligações  da Copa Air para o Panamá e conexões, e da American para Miami, porta de entrada dos EUA. O número de voos deve ser cinco vezes maior, multiplicando empregos e oportunidades de negócios. Saber valorizar a posição estratégica de Minas, saber atrair as companhias aéreas estrangeiras - mesmo com o Brasil (e Minas Gerais, particularmente) enfrentando a maior crise econômica, social, política e moral de sua história. O país parece estar desmoronando, de tão esfacelado. Não há um único dia sem que os meios de comunicação não tragam mais notícias desmoralizantes. E os bandidos da política ainda tentam deter a Lava-Jato, à força.





Sabendo trabalhar (tarefa de governos e prefeituras), é possível tentar  voos diretos da Latam para Santiago do Chile; convencer a TAM ou Latam a reiniciar os voos para Miami; estimular a Delta para criar rotas de BH para Atlanta e Orlando;  e negociar com a Swiss International voos diretos de CNF para Zurique e conexões para toda a Europa Ocidental (o Aeroporto Kloten, de Zurique, participa da BH Airport e pode estudar essa possibilidade).



Imagino ainda que, no futuro, possa haver voos de BH/Confins para Aruba, Curaçao e outras ilhas do Caribe; da Air France para Paris; da KLM para Amsterdam e conexões; da Alitalia revigorada (Etihad) para Roma e Milão; e talvez até um voo da South African Airways para a África do Sul e paises vizinhos. As companhias enfrentam problemas e estão cortando voos e reduzindo frotas. O Brasil vem perdendo espaços. 


O tema é  vasto e abrangente, a gente fala dele num dos blogs de janeiro. Vamos então desfrutar das 17 novas pontes de embarque do Terminal 2; das novas lojas Duty Free da suíça Dufry AG; e aproveitar as esteiras rolantes e as novas escadas rolantes. Espera-se que não enguicem tanto como as do Terminal 1.




   VIAGENS DE ÚLTIMA HORA PARA O NATAL

A pedido de um grupo de secretárias, que viajam em conjunto e buscam preços mais em conta,  visando o Natal daqui a uma semana, aqui vão algumas sugestões, em hotéis razoáveis, à exceção do primeiro deles (Enotel), que é de luxo:


1) Enotel Resort Porto de Galinhas: um pacote de 5 dias, com hospedagem gratuita para 2 crianças com os pais no mesmo apartamento. O resort, num ponto privilegiado do litoral de Pernambuco, funciona no sistema All Inclusive, com tudo incluído, começando pelas bebidas.Viagem em voo regular da Gol, com partida em 23 de dezembro. Traslados de ida e volta do Aeroporto Guararapes de Recife e 4 diárias de hospedagem. Custo de R$ 2.856 à vista ou em 12 parcelas sem juros de R$ 238. Boa oportunidade de passeios de jangada e mergulhos nos bancos de corais.





2) Salvador, Bahia: viagem pela Gol, com embarque em 18 de dezembro. Pacote de 8 dias, com hospedagem no Golden Park, 3 estrelas, e gratuidade para uma criança. São 8 dias de excursão, com sete diárias com café da manhã. Transporte de ida e volta do aeroporto para o hotel. Salvador oferece muito mais que belas praias: Farol da Barra, mercado de artesanato, Pelourinho, Casa de Jorge Amado, belas igrejas, excelente comida. Custo de R$ 1.188 à vista, ou 12 pagamentos sem juros de R$ 99. Últimas vagas disponíveis.





3) João Pessoa, Paraíba: saídas diárias da Gol em dezembro e janeiro.O pacote especial de Natal tem embarque no dia 18, com sete noites de hospedagem com café da manhã no Nord Easy Green Sunset, de 3 estrelas. Gratuidade de 1 criança com os pais e traslados de ida e volta ao aeroporto. João Pessoa tem a comida mais barata do Nordeste, em barraquinhas ao longo da orla de Tambaú e praças de alimentação. Não deixe de visitar o Cabo Branco, ponto mais setentrional do Brasil. Custo de R$ 1.392 à vista ou parcelado em 12 mensais de R$ 116.



4) Maceió, Alagoas: pacote de 8 dias, voando pela Gol. Sete diárias de hospedagem no Porto Maceió, duas estrelas. com uma criança grátis no apartamento dos pais e café da manhã incluso na diárias. Boa oportunidade para conhecer Barra de São Miguel, Praia do Francês, Ipojuca e o trabalho das rendeiras da Lagoa Mundaú. Custo de R$ 1.392 à vista, ou 12 mensais de R$ 116. O pacote inclui traslados de ida e volta ao aeroporto da capital alagoana.



5) Outra opção em Porto de Galinhas: passagem aérea da Gol, com traslados de  idas e volta ao aeroporto de Recife. Sete noites de hospedagem na Pousada Radiante, 2 estrelas, e passeio pela cidade e pela praia de Pirangi. Uma criança  de graça junto com os pais. Para o Natal, embarque em 19 de dezembro. Café da manhã incluso na diária. Custo de R$ 1.752, ou 12 pagamentos sem juros de R$ 146.


6) Balneário Camboriú: pacote de 5 noites, voando pela Gol, com pouso no Aeroporto de Navegantes. Hospedagem no Hotel Ryan, 3 estrelas. Você terá chance de conhecer algumas das mais famosas praias de Santa Catarina  com redutos de surfistas, e restaurantes especializados em frutos do mar. Custo à vista de R$ 896, financiados em 12 parcelas de R$ 68. Embarque em 23 de dezembro.



     FOGOS DE COPACABANA NO NAVIO SOBERANO


   
Uma visão privilegiada da queima de fogos na orla de Copacabana mas, em vez de estar misturado no meio da multidão, com risco de assaltos e eventuais balas perdidas, você assiste a tudo de perto, no convés do navio Soberano dos Mares (ex-Sovereign of the Seas da Royal Caribbean). O navio, que pertence à espanhola Pullmantur, foi fretado mais uma vez e veio ao Brasil para temporada de 3 meses. O cruzeiro de Réveillon em Copacabana começa em Santos, visitando o Rio, Salvador, Búzios e Santos. Duração de 9 dias na viagem, com sistema All Inclusive, dia e noite. Embarque em 29 de dezembro.

No Rio, os passageiros podem visitar o Museu do Amanhã, na Praça Mauá, e verificar como a área do antigo porto foi revitalizada; em Salvador, visitas por sua conta ao Mercado Modelo, Elevador Lacerda, Baixa do Sapateiro, Pelourinho e Igreja do Bonfim; e em Búzios, passeio pela Rua das Pedras, com paradas nas  lanchonetes, sorveterias  e creperias, além de lojas finas. 

O Soberano tem 5 restaurantes e 9 bares, oferecendo café da manhá, almoço e jantar, chá da tarde com canapés e doces,  além de snacks de madrugada. Bebidas alcoólicas e não-alcoólicas à disposição. Em cabine externa, custo por pessoa de R$  5.624, com pagamento em 12 parcelas iguais de R$ 469.

Antes do Réveillon, com embarque em Santos em 22 deste mês, o Soberano faz outro cruzeiro com destino ao Rio, Búzios e Salvador, com duração de 8 dias e acomodação em cabine externa categoria 4 (com vista). Taxas portuárias e gorjetas já inclusas no preço à vista de R$ 3.805 por pessoa, ou 12 parcelas de R$ 318. Sistema All Inclusive em todo o cruzeiro. A passagem aérea de ida e volta a Santos, via aeroportos de Congonhas ou Guarulhos, em São Paulo, é por conta de cada passageiro. Mais detalhes pela internet (www.cvc.com.br).



E POR FALAR EM CRUZEIROS MARITIMOS DE VERÃO...


Outras viagens de navio à disposição dos mineiros fanáticos pelo mar e curtir a doce vida a bordo:

1) Navio Oasis of the Seas: com registro nas Bahamas,e partindo sempre de Port Canaveral (perto de Orlando e do Centro Espacial Kennedy), o gigantesco navio de 220 mil toneladas está operando cruzeiros de 7 dias, com escalas em Labadee (Haiti), Falmouth (Jamaica) e Cozumel (México). Entre as múltiplas atrações a bordo: simulador de surfe Flow Rider, parque aquático exclusivo para crianças, tirolesa com 15 decks (andares) de altura e shows no estilo Broadway. Custo atual (só parte marítima) de R$ 2.259, com entrada de R$ 343 e 12 parcelas de R$ 158 - .(www.royalcaribbean.com.br)



2) Navio MSC Divina: um dos orgulhos da frota da armadora italiana, o Divina tem saídas semanais de Miami com destino a Porto Rico (San Juan), ilhas Turks & Caicos e Bahamas. Dois menores de 11 anos viajam com os pais, pagando só as taxas. Este programa tem tudo para agradar ao viajante mineiro. O Divina é muito superior aos navios da empresa que vêm ao Brasil. Ver mais detalhes emwww.msccruzeiros.com.br. Esta excursão, só parte marítima, tem o custo de R$ 1.549 por pessoa, com 10% de entrada (R$ 154) mais 10 pagamentos de R$ 139. As operadoras Flytour, CVC, Agaxtur e Visual vendem este programa, e ainda a Marítimos, com DDD grátis: 0800-881-5555.



BACHARÉIS DE DIREITO/1965 NO AUTOMÓVEL CLUBE




O Automóvel Clube de Minas Gerais, no restaurante do 3º andar, passou a ser o ponto do encontro anual de  congraçamento dos bacharéis da Faculdade de Direito da UFMG, turma de 1965. No ano passado, foi lá o jantar comemorativo dos 50 anos de formatura, com presença de mais de 130 participantes.Este ano, comemorando 51 anos, o encontro foi prestigiado por mais de 35 convidados. A organização foi de Dilermando de Mello, Paulo Nonato Passini e Roberto Lobosque Neves, associado do AC. O coquetel foi servido no Salão Verde, e o jantar no Salão Privê. A foto mostra um grupo no Salão Verde. Entre os presentes, desembargador aposentado Roney de Oliveira e esposa, Marcondes Franco e Silva, Antônio Álvares da Silva, Paulo Sérgio Abreu e Silva, Nazareth Argemiro de Castro, Laerte Paulo Silva Freitas, Ana Maria Braga e Silva, Zélia Teresa Nogueira Mendes, Mauro Marcos de Castro, José Eugênio Cordeiro, Hélio Fraga, desembargador Aécio Bastos da  Fonseca e esposa (vindos de Brasília), Danaé Alves Ramos (de Goiânia). Nilma Goulart (de Brasília),  Namildes Souza Mendes e outros colegas.


---------------------------


Belo Horizonte/Minas Gerais, Brasil
13 de dezembro de 2016
Editor: Hélio Fraga
Postagem e edição: Ana Cristina Noce Fraga


Nenhum comentário:

Postar um comentário