quarta-feira, 4 de outubro de 2017

ST. MAARTEN E PORTO RICO AFASTADAS DOS ROTEIROS DE CRUZEIROS PELO CARIBE LESTE

O navio Fantasia opera cruzeiros partindo das ilhas de Martinica e Guadalupe

Para comprovar que os danos provocados pelos furacões, tanto na ilha de St. Maarten/Saint Martin como em San Juan (Porto Rico), foram muito mais sérios do que se imaginou inicialmente,e a recuperação será bem mais demorada e cara, as duas ilhas estão completamente fora dos roteiros de cruzeiros pelo Caribe Leste. E a ilha do meu coração, dividida pela Holanda e França, pelo visto, não volta a receber navios de cruzeiros antes de abril de 2018. Porto Rico reaparece antes, em janeiro - daqui a 3 meses, portanto.

Ainda que a imprensa brasileira, no geral, e as publicações especializadas em turismo (que vivem de brisa na Ilha de Fantasia) continuem ignorando a situação dramática de Porto Rico e St. Maarten, as populações das duas ilhas estão sem energia elétrica há pelo menos 3 semanas, sem água potável, com vários habitantes passando fome, e toda a estrutura de atendimento aos visitantes estrangeiros, se não foi destroçada,  continua abandonada e ociosa. 

Porto Rico, que sonha se tornar o 51º Estado americano, para ter direito às verbas federais,reclama que foi abandonada à própria sorte,porque a tragédia do assassinato em massa em Las Vegas, há 2 dias, desviou a atenção do país.

É preciso voltar hoje ao assunto, devido a um erro de publicação indevida de um anúncio da Royal Caribbean, no último Cad. Turismo da "Folha de S. Paulo", relativo ao meganavio Oasis of the Seas, informando sobre partidas semanais saindo de Cabo Canaveral, na Flórida, com destino ao Caribe Leste,com escalas em St. Maarten e San Juan de Porto Rico - o que não é verdade. Criou-se então a confusão, pois nem o jornal nem a Royal pediram desculpas pela falha editorial. Descuido lamentável do grupo de Mídia.


                                                                  A ilha de Tortola também deixou de receber os navios de cruzeiros



Este blog recebeu também pedidos de informações de leitores que haviam comprado cruzeiros pelo MSC Divina, com escalas previstas em St. Maarten e Porto Rico, que não vão acontecer - inclusive aquela com partida de Miami prevista para 12 de outubro. Então, dentro de seu dever de informar corretamente, o blog consultou o escritório da armadora italiana em São Paulo, que, através de Fabiana Neri (Marketing) fez alguns esclarecimentos:

1) Devido aos furacões Irma e Maria (este atingiu Porto Rico mais fortemente), St. Maarten e San Juan estão fora das escalas previstas nos próximos 3 ou 4 meses. Porto Rico, pelo visto, vai se recuperar mais depressa, pois está prevista uma escala na saída de Miami em 25 de janeiro. Por ironia, San Juan substitui Philipsburg, a capital de St. Maarten, cuja recuperação será mais prolongada.

2) O MSC Divina trocou o Caribe Leste pelo Oeste, por onde não passaram os furacões desta vez. Foram canceladas as escalas previstas para St. Maarten e San Juan, assim como em Road Town (Tortola), nas Ilhas Virgens Britânicas,e  Roseau (Dominica). Assim como ocorreu em 30 de setembro, o Divina escala em Montego Bay (Jamaica), Georgetown (Ilhas Cayman), Costa Maya e Bahamas,que, embora tão próximas da Flórida, não foram atingidas.

3) Na saída de Miami em 11 de novembro, o Divina vai acrescentar mais um dia de navegação, por não ter condições de atracar em St. Maarten, e incluiu no roteiro a ilha de St. John (Antigua e Barbuda).

4) O navio MSC Fantasia, que opera cruzeiros com partidas de Fort de France (Martinica) e Pointe-a-Pitre (Guadalupe), entre 25 de novembro e 31 de março, incluiu La Romana (República Dominicana) e mais um dia de navegação em alto mar.

5) O novíssimo MSC Seaside, que será  lançado em dezembro, fará escalas em Antigua e Barbuda por não poder atracar em St. Maarten. E os veteranos Opera e Armonia continuam partindo semanalmente de Cuba para Jamaica, Ilhas Cayman e Cozumel.

O dever de manter o leitor bem informado - compromisso número 1 deste blog - me obriga a esquecer hoje, de propósito, tudo que havia redigido sobre programas para o feriado de 12 de outubro, próxima quinta-feira. Mas lembro aos fiéis leitores que os hotéis do Rio, tanto em Copacabana como na Barra da Tijuca,continuam com tarifas ótimas para este período,e basta torcer para não chover.

Nunca foram tão baixas as tarifas dos hotéis da Barra


Não faltam boas opções de viagem aqui em Minas: Ouro Preto, Congonhas, Araxá, Poços de Caldas, Tiradentes, Andradas, Gruta de Maquiné (Cordisburgo), Caxambu, Lambari,Cambuquira, São Lourenço, Diamantina, Serra do Cipó, Escarpas do Lago, Estância de Furnas, etc. Estradas péssimas exigem atenção redobrada.

Os apaixonados pelo Nordeste podem fazer curtas viagens a Porto Seguro, Trancoso, Costa do Descobrimento,  Ilhéus, Itacaré, Olivença, Salvador, Recife, Ilha de Itamaracá, Olinda, João Pessoa, Natal, Porto de Galinhas, Fortaleza, Cumbuco  e Jericoacoara,agora com voos diretos partindo de Minas, pela Azul.

E para encerrar este primeiro capítulo, é preciso lembrar que a desgraça de St. Maarten, Porto Rico e outras ilhas do Caribe está significando a redenção e redescoberta de lugares como Aruba, Curaçao, República Dominicana e Riviera Mexicana. Boa oportunidade,também,para visitar a belíssima Cartagena, San Andrés, Los Cabos, Puerto Vallarta e Acapulco, que não perdeu seu antigo encanto.



CRUZEIROS: RISCO DE COMPRAR GATO POR LEBRE



-"A esmola quando é muita, o santo desconfia" - já diziam nossas avós e bisavós,com aquela sabedoria de antigamente, quando não havia essa enxurrada de aparelhos eletrônicos, informações, ofertas e propostas.

Aquelas velhas senhoras,de pouca ou nenhuma cultura, muitas vezes dominadas por maridos infiéis, machistas e ignorantes,alertavam os filhos e netos para não se deixarem iludir ou deslumbrar por ofertas mirabolantes - como está acontecendo agora no mercado de cruzeiros
marítimos. 

Nossas avós e bisavós falavam também em comprar gato por lebre: o vendedor prometia uma coisa e entregava outra. Aliás, a lebre caiu de moda e não frequenta mais os cardápios dos restaurantes finos. Cuidado com tudo aquilo que pode ser enganoso e mentiroso, embora
custe barato.

Creio que é oportuno fazer hoje um alerta, já que falta pouco mais de um mês para o início da temporada de cruzeiros marítimos, quando estarão no Brasil navios das empresas Costa, MSC e Pullmantur, operando viagens regulares partindo dos portos de Santos ou Rio no  período de dezembro próximo a março/abril de 2018. 

Anotem aí para não serem ludibriados:

1) Todas as companhias marítimas estão aqui para ganhar dinheiro - o máximo que puderem. Querem tirar todas as vantagens possíveis. Pretendem cobrar os maiores preços pelas passagens e pagar os menores salários aos tripulantes brasileiros a bordo. São multinacionais frias e objetivas: o lucro acima de tudo. Deixam-se chantagear pelas máfias que dominam os portos (Santos é um mau exemplo) em busca de atalhos e facilidades.


2) Cuidado com os anúncios de cruzeiros com preços baixos demais, pois se referem às piores cabines,que são as internas (sem janelas), em andares baixos (quanto mais altas, serão mais caras). E não sejam ingênuos de imaginar que todas as cabines têm aquele valor que foi publicado no anúncio do jornal ou revista, em letras minúsculas, porque se refere a apenas 5 cabines num universo de mais de 1.200.

3) Muito cuidado, também,quando lerem que a tarifa promocional, tenha o nome que tiver garante 50% de desconto para o segundo passageiro e gratuidade para o terceiro, seja criança ou não, pagando só as taxas. Essa tarifa tem tantas limitações que é melhor nem considerá-la: a) o viajante não tem direito a escolher sua cabine agora, pois ela será sorteada no porto, no momento da apresentação para embarque (check-in); b) também não poderá escolher o turno da refeição, sujeitando-se a aceitar o que lhe for imposto, o que significa obrigar crianças a jantar às 21h, quando costumam comer mais cedo.

Há várias outras restrições. Leiam atentamente os contratos, pois há várias armadilhas - como esta: dependendo da tarifa boazinha, se você desistir da viagem 1 mês antes do embarque, perde 50% de tudo que pagou; se for menos de 30 dias, deu perda total. Reembolso, nem pensar. 


QUANDO AS VANTAGENS SIGNIFICAM PREJUÍZOS

O viajante de navios de cruzeiros tem de exercer seu direito de escolha: número e localização da cabine definidos no ato da reserva, e ponto final. Se o passageiro deixar-se enganar por falsas "vantagens", isso  resulta numa sucessão de problemas. Exemplo: pais, filhos, avós e netos querem viajar no mesmo andar, se possível lado a lado e no mesmo corredor, mas serão forçados a viajar separados, às vezes muito distantes, isolados,sem conhecidos por perto.

Em tempos de tanta violência e riscos de assédio, como imaginar duas moças de 12/13 anos perambulando sozinhas pelos corredores de um gigantesco navio com mais de 3.500 passageiros de mais de 30 nacionalidades? Abusos sexuais são sempre possíveis, a qualquer hora do dia, não pode haver descuido dos pais e responsáveis. 

O ambiente no navio é o mais heterogêneo possível, falam-se mais de 50 línguas e há gente de todo tipo, inclusive estupradores e pedófilos. Vários casos a bordo foram "abafados",em temporadas passadas.Com medo de escândalo, as famílias não denunciaram nada. 

Outro problema: a tarifa promocional não permite escolha antecipada de mesas no restaurante, é tudo por sorteio. Imagine-se um grupo de seis casais amigos, total de 12 pessoas, em vez de ficar numa mesa previamente planejada para  os doze, sendo obrigados a dividir-se em duas mesas de 6 ou três mesas de 4. Isso acontece frequentemente. Outro incômodo: colocarem estranhos à sua mesa, tirando toda a privacidade das conversas.

Enfim, as empresas têm de atender  as preferências de seus passageiros, em vez de tratá-los como boiada. Para isso, cobrem preços justos e de acordo com o serviço. Elas são impositivas demais. E o passageiro que for um manso cordeiro, está ferrado. Muitos brasileiros insistem em ignorar os direitos dos consumidores. Aí, elas deitam e rolam.

-----------

PS-1: Uma noticia que me alegra muito: a Editora Abril, da VEJA, anuncia para a segunda quinzena e novembro seu guia especial Comer & Beber BH,  com a seleção dos melhores restaurantes na Capital mineira, em todas as categorias.A coordenação está sob responsabilidade do jornalista Rafael Rocha, que brilhou tanto na VEJA BH (que, por sinal, faz tanta falta). O júri da VEJA é proibido de aceitar cortesias e agrados de restaurantes.Medida salutar, para não dizer profilática e saneadora.

PS-2: Gianfranco Beting, o Panda, que considero o maior especialista em aviação civil na Imprensa brasileira - e atualmente morando em Miami, a serviço da Azul e TAP -, veio passar uns dias reunido com a cúpula da corporação em São Paulo. Retorna à Flórida no dia 10. Obrigado pelo carinhoso e reconfortante bilhete, que me fez um bem enorme. 
-------------------

Belo Horizonte-MG- Brasil
Dia 3 de outubro de 2017
Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga

(E-mail: hfraga.rmj@gmail.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário