domingo, 15 de abril de 2018

CANCELAMENTO DOS VOOS DE BH A MIAMI, UMA PERDA IRRECUPERÁVEL PARA MINAS


Miami é a principal porta de entrada nos EUA para o Brasil e toda a América Latina

Vocês podem até pensar que abordar um assunto como este é perda de tempo e chover no molhado. E perguntar por qual motivo, numa hora tão turbulenta como esta,   com tanta coisa relevante atormentando a vida dos mineiros e brasileiros, eu decida comentar um tema que interessa muito mais a uma empresa aérea estrangeira (American Airlines), e não tem tanto impacto assim na vida dos nossos cidadãos, porque as viagens aéreas internacionais interessam  a uma minoria privilegiada da população brasileira. Ademais, milhões de mineiros estão se lixando se a American parar de voar de Miami para BH/Confins dentro de 4 meses -  mais precisamente, a rota acaba em 21 de agosto. Seu atestado de óbito será a retirada, nesta data, do sistema oficial global  das rotas da American - ao qual todos os demais sistemas estão interligados.


Considero importantíssimo manter e estimular este voo regular para a capital econômica da Flórida (a capital política é Tallahassee, no norte do Estado) e Belo Horizonte depende dele ao máximo, por ser  o terceiro maior polo de desenvolvimento do Brasil, com um tremendo potencial de crescimento e geração de intercâmbio e negócios, enquanto Miami figura entre as 10 maiores cidades dos Estados Unidos e é o destino mais procurado não só por brasileiros, mas por  todas as  grandes nações da América Latina. Recusar-se  a ter relações com Miami já seria  um tiro de fuzil no pé, mas perder esta rota vital, por incompetência e omissão, é vergonhoso.Não é possível que o turismo  mineiro esteja de tal forma, desorganizado e órfão de lideranças.

Desculpem, mas eu falo com o respaldo de uma carreira exemplar pela fidelidade e dedicação a uma causa.Eu  me sinto obrigatoriamente,como  jornalista vinculado ao futuro do esporte e do turismo mineiro por mais de 50 anos, a não deixar passar em branco esta noticia do cancelamento dos voos diretos de BH/Confins para Miami, que representam 200 passos para trás na rota do  desenvolvimento econômico e social de nossa terra, e de mais uma queda neste verdadeiro tobogã em que a economia de Minas Gerais vai descendo ladeira abaixo, perdendo seguidas oportunidades de se recuperar e progredir.



              MUITO MAIS DO QUE GRUPOS PARA DISNEY

Disney atrai milhares de turistas o ano todo

Não se trata apenas de transportar passageiros e cargas, ou levar dezenas de grupos de jovens para os parques de Disney, mas de unir duas grandes cidades do Brasil e EUA em torno de propostas de intercâmbio comercial  internacional, quebra de barreiras (ao contrário do que Donald Trump propõe), fortalecer projetos de interesse comum, ampliar as oportunidades de negócios e transferência de tecnologia. Cancelar voos é demolir pontes de entendimento e cooperação.  Significa optar pelo atraso e isolamento.


Minas Gerais, agindo de forma consistente e confiável, e baseada em argumentos econômicos sólidos, deve enviar ao Texas uma missão de no máximo 6 a 8  empresários - políticos não, e pior ainda se forem comprovadamente corruptos -, para tentar convencer a AMR Corporation, dona da American Airlines. com base em Dallas-Ft. Worth,  a admitir reavaliar sua decisão, que está tomada: a partir de 21 de agosto,os voos AA-991 e 992, entre Belo Horizonte e Miami, deixam de constar do sistema da empresa,definitivamente. Não se trata de suspensão provisória.   

Mas, por tantos anos de bom relacionamento, seria justo esperar da AMR Corporation mais atenção  e interesse para com Minas e os mineiros. Basta lembrar o apoio que a American sempre teve, por mais de duas décadas,  de empresas tradicionais como Ytur, Visa, SR Turismo, Belvitur, Master Turismo, Primus, Estação de Turismo, Tia Eliane, Greenwich Tours e outras. E de empresas que nem mais existem, como Real Turismo, Contur,  Credireal, Pantour etc.


  AUTORIDADES E ENTIDADES MINEIRAS SE OMITEM

Belo Horizonte precisa muito dessas ligações internacionais para fortalecer sua economia


Se Minas Gerais tivesse mais ação e energia, através da Embaixada do Brasil em Washington DC ou via Consulado Geral em Dallas, já estaria em entendimentos com a American para, pelo menos, adiar esta decisão por uns seis meses, em busca de políticas de recuperação, incentivo  e mútua ajuda. Torcer e esperar que se acelere o processo de recuperação econômica de Minas, que a dupla Lula-Dilma deixou falida, como, de resto, o Brasil inteiro. Onde estão as verdadeiras lideranças de Minas? Por onde andam as Secretarias de Turismo, os Conselhos Municipais, as entidades de classe?


Não é possível que a perda de voos estratégicos e tão importantes como este BH/Miami não interesse, nem de longe, à Federação das Indústrias de MG e Associação Comercial de Minas; ao CDL de Belo Horizonte; às Prefeituras de BH, Confins, Lagoa Santa, Vespasiano, Pedro Leopoldo, Sete Lagoas e outros municípios próximos; e às entidades como Abav/MG,  Abih/MG, Sindetur/MG, Abrajet/MG, Afeet/MG e outras. Estão ainda em recesso carnavalesco?


Criou-se uma aprazível  zona de conforto, baixou-se uma cortina de silêncio -  até parece que Minas Gerais perdeu sua capacidade de aglutinar  forças e lutar unida em defesa de seus ideais. Até que ponto chegou nossa decadência - que é política, administrativa, moral,empresarial e institucional.


     PLANO DA AMERICAN  É  CANCELAR OUTRAS ROTAS

Este Boeing 767-300 será usado pela American até o último voo BH/Miami em 21 de agosto
Entre as capitais brasileiras, Belo Horizonte não é a única prejudicada pois a American pretende desativar outras   rotas. Por enquanto, Manaus não será afetada por causa do interesse mundial pela Amazônia. As rotas partindo de Salvador e Recife já foram desativadas. Fortaleza pode vir a ser afetada, embora tendo a pretensão de ser o mais importante "hub" turístico do Nordeste. Brasília fica por razões políticas, sendo a sede da Embaixada dos EUA e dos órgãos da ONU, como Unicef. 


Os voos do Galeão-Tom Jobim para JFK, o principal aeroporto internacional de Nova York, terão alterações: cinco vezes por semana, deixando de ser diários.. Com os números AA-974/975, terão partidas do Rio (com Boeing 777-200)  às 21h30, aterrissando  em JFK  às 5h40 da manhã seguinte. Na volta, partida de JFK às 21h50 e pouso na Ilha do Governador às 8h40 locais (os leitores mais jovens do blog podem não saber que tanto o antigo Galeão dos anos 50, que era também base militar, como o novo Galeão-Tom Jobim, com dois terminais e a pista antiga e a nova, ficam na Ilha do Governador, assim como a escola de samba União da Ilha).

Mas algumas rotas permanecem intocáveis: São Paulo /Nova York diariamente, com equipamento Boeing 777/300 (Triple Seven); São Paulo a Los Angeles (AA-215) com o moderníssimo Boeing 787 Dreamliner, um dos voos mais longos, com 12h10m de duração; Guarulhos a Dallas,diariamente, AA-962, com Boeing 777/300. Analistas do mercado aéreo acham que a American vende bem na maioria das rotas, mas ela queria um desempenho financeiro melhor de algumas sedes brasileiras. Acha que a incerteza política afeta muito as vendas em dólar, pois a tendência no momento é vender mais os destinos europeus da moda, em euros (já acima dos R$ 4,40)  como os voos para Portugal.

NOTA: A greve dos pilotos da TAP, que já dura duas semanas,fica como tema para a próxima edição. Fatos absurdos estão acontecendo. Todos os passageiros prejudicados devem acionar judicialmente a  companhia portuguesa.


          EM JUNHO, VOOS PARA MIAMI SERÃO DIURNOS 

Miami encanta a todos pela sua beleza

Essas informações sobre os voos de e para Miami não são do conhecimento da maioria dos agentes de viagens, cujo dever profissional é estarem sempre atualizados. Até sugiro que copiem este blog, recortem e guardem na sua mesa de trabalho. Seria deprimente se os passageiros estivessem melhor informados do que os vendedores de passagens e encarregados de reservas. 

Tomem nota: em junho, os voos de BH/Confins para Miami serão diurnos, a partir do dia 12, na alta estação - época daquela farra das viagens a Disney. Mas, por enquanto, o voo partindo de Confins (CNF) decola às 21h30, pousando em Miami (MIA) às 4h50 da madrugada, no Terminal D. Naquela hora, estão abertos apenas seis dos 40 guichês de atendimento da Alfândega americana (U.S. Customs) e acontecem grandes filas habitualmente, porque é também  hora de chegada de voos procedentes de outras cidades brasileiras e também de Buenos Aires, Montevidéu, Lima, Santiago do Chile, Quito, Bogotá e outras capitais.
latinas.

No mês de junho, do dia 12 em diante,vai decolar de Confins às 9h55, pousando em Miami às 17h30 locais, uma hora a menos que em Brasília. Mas a viagem de volta será noturna,  partindo de Miami às 23h locais e pousando na área metropolitana de BH às oito da manhã. O equipamento continua o mesmo até o voo de despedida: o Boeing 767-300 com configuração de 24 poltronas na executiva e 164 na econômica. O bilhete de ida e volta disponível tem o menor custo de U$ 580, mais taxas. O escritório da American, representado pela Prudencial/Picchioni,fica na Av. Bernardo Monteiro 1538, ao lado da Localiza.


Imagina-se que, nas semanas anteriores ao voo final, possa haver uma liquidação de bilhetes para Miami, tipo Black Friday, com bilhetes até por 400 dólares, e depois de 21 de agosto os passageiros de BH voltem via Rio ou Guarulhos, pagando o trecho doméstico à parte.

NOTA: 

Se vocês me perguntarem se eu acredito que vá haver uma reação das autoridades políticas de Minas e da elite de nossa classe empresarial e entidades oficiais do Turismo vão tomar alguma ação concreta para manter esta rota BH/Miami,digo francamente que não.

-------------


Belo Horizonte/MG - Brasil

Dia 12 de abril de 2018

Editor - Hélio Fraga
Postagem e edição - Ana Cristina Noce Fraga

Um comentário:

  1. Um absurdo completo. Como o blog diz, Minas está em franca decadência política, administrativa, moral, empresarial e institucional. Vamos ver se o eleitorado começa a mudar isso nas próximas eleições, removendo esse desgoverno petista do poder – aí incluída a maioria da Assembleia Legislativa, hoje nas mãos do PT e da banda podre do PMDB. Mineiros, aprendam a votar!

    ResponderExcluir