sábado, 14 de julho de 2018

JOGOS FINAIS DA COPA DA RÚSSIA QUE VAI DEIXAR MUITAS SAUDADES




Torcedores da Croácia festejando as vitórias de sua seleção na capital Zagreb

Assim como vi as 62 partidas anteriores, grudado na TV, claro que verei também, e com a maior atenção, essas duas que restam. Estou escrevendo em 13 de julho, véspera da Data Nacional da França e comemoração da Tomada da Bastilha, 14 de julho, quando a França e Croácia vão se enfrentar no domingo,dia 15, ao meio-dia, no Estádio Lujniki  de Moscou, fazendo uma final de arrepiar, em que  os favoritos naturais, os franceses, vão enfrentar um adversário estropiado por trẽs prorrogações e disputas de pênaltis, parecendo se agigantar diante das dificuldades, liderado pelo camisa 10 Modric, candidato sério a ser o melhor jogador desta Copa.

Bélgica e Inglaterra vão disputar amanhã, sábado, o 3º lugar em São Petersburgo, às 11h, numa partida sem favorito, em que uma das motivações é o confronto entre o artilheiro britãnico Larry Kane, com 6 gols, tentando não ser alcançado pelo belga Lukaku, camisa 9, que tem 4. Ele parou nesses 4 gols, o que, de certa forma, o prejudica na disputa de melhor jogador da competição.Se não fizer mais gols amanhã, perde a oportunidade. Importante lembrar que seu colega de time,o camisa 10 e capitão Eden Hazard, permanece como o candidato natural de seu time,ainda mais se ganhar o terceiro lugar contra os ingleses. Torço amanhã para a Bélgica.  É favorita para ganhar a Eurocopa, daqui a 2 anos, e a Copa do Qatar, em 2022.
 
Modric, camisa 10 da Croácia, canditado a melhor jogador da Copa
 

A defesa da França, com Varane à frente, conseguiu "amarrar" Lukaku no ataque, impedido de receber os lançamentos de Eden Hazard e Kevin De Bruyne.
 
Foi aí que os franceses,taticamente,conseguiram anular os pontos fortes dos belgas,fortissimos candidatos a campeões mundiais.Este terceiro lugar, amanhã,é questão moral para eles -embora  um modesto (não amargo) prêmio de consolação.


                 A RÚSSIA DEU UM SHOW DE ORGANIZAÇÃO
 


Estádio Lujniki, de Moscou, palco da grande final entre franceses e  croatas
 
Assim, neste final de semana, quando a glória e o fracasso andam lado a lado, bilhões de pessoas no Planeta Terra estarão ão de olho no que acontece nas cidades russas. Apesar de ser parada nas quartas de final,  a antiga URSS ou CCCP  conseguiu organizar uma Copa de alvo nível, com estádios maravilhosos, gramados impecáveis, cidades limpas e bem preparadas, segurança impecável. Não estava lá, mas é como se estivesse: acompanhei tudo pela bela cobertura do jornal Folha de S. Paulo, com um respeitável time de colunistas, destacando-se Tostão (que escreveu de BH),Juca Kfuri e PVA com sua prancheta,e um grupo de excelentes redatoras, escrevendo veradadeiros tratados de Soclologia em vez de análises de jogos.. A Folha devia reunir tudo isso num livro.Nossa literatura esportiva é tao pobre, com enormes possibilidades editoriais.

O principal legado da cobertura da Copa da Rússia  foi o sistema VAR,de vigilância eletrõnica dos principais lances por um conjunto de mais de30 câmeras em pontos estratégicos dos estádios.Veio para ficar, embora possa ser aperfeiçoado. E um de seus mais eloquentes  atestados de eficiência foi a desmoralização do cai-cai, das encenações, da simulação de faltas e pênaltis, dos exageros nos tombos para jogar os adversários  e a torcida contra o juiz. O grande artista deste antifutebol foi desmascarado. Isso abre para o jogador Neymar Jr. a chance de se reabilitar internacionalmente, mudar de atitude,deixar de ser um menino birrento e mimado,ser menos exibicionista, tornar-se um cidadão digno do respeito dos torcedores. Saiu da Russia muito menor do que quando lá chegou.


    ESPERANDO MUITO DA CROÁCIA CONTRA A FRANÇA

Vou   tentar resumir em tópicos esta final inesperada FRANÇA X CROÁCIA

1) A França é favorita natural. Tem time mais forte, mais experiência, mais conjunto e jogadores talentosos e decisivos como: Antoine Griezmann, Mbappé, Varane, Giroux e o goleiro Lloris.

2) A Croácia chega estropiada à decisão, mas jamais pode ser subestimada. Tem incrível força de vontade, espírito de luta, uma garra impressionante e grande poder de recuperação. Portanto, será uma grande adversária, inclusive ser campeã mundial se superar todos os obstáculos.

3) Até hoje a Croácia nunca ganhou da França. Perdeu 3 jogos e empatou dois. O nacionalismo croata é um componente fortíssimo nessas finais. Os 4,5 milhões de croatas esperam que a vitória nesta Copa signifique a redenção do país depois de todos os problemas enfrentados nos anos 90 com o esfacelamento da Iugoslávia em sete nações. A Croácia é um país muito sofrido.
 
 
Kolinda Grabar-Kitarovic, presidente da Croácia, presente na Rússia para apoiar seus jogadores  




4) A Croácia terá uma grande torcida mundial no domingo, por um conjunto de razões políticas. O fato de a presidente Kolinda Grabar-Kitarovic ter ido à Rússia pagando suas passagens como cidadã comum e agindo sem nenhum vedetismo foi um consolo para os torcedores de tantos países acostumados às mordomias de seus governantes.
 
 5) A Croácia disputou 3 prorrogações e quatro cobranças de pênaltis. Isso significa um esforço quase sobrehumano. O desgaste da seleção ficou visível, mas os jogadores colocaram o coração em cada lance das partidas. Enfim, se a França pensar que a Croácia entra no estádio Lujnick derrotada por antecipação pode cometer o maior erro da sua vida.

6) Se Luka Modric, camisa 10, jogar na final tudo que já mostrou nas partidas do Real Madrid, na Copa dos Campeões, ele pode ser eleito o maior craque desta Copa em Moscou.


HÉLIO FRAGA- 13/07/2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário